Encontro Semanalonline

Ganara: a soma das coisas

Paz e Amor.


A experiência humana relaciona-se a estar e ser em dimensões limitadas pela experiência. A experiência é uma soma de fatores. Ela traz as oportunidades necessárias para fortalecer aquilo que fora combinado com os seres Ranamás: a experiência de viver a vida. Muitas vezes, é preciso compreender que em cada pessoa há diferentes formas de ser nesse universo. E de estar presentes na experiência de cada momento. As experiências são particularidades das necessidades de cada pessoa. É preciso em algum momento que o desenvolvimento proporcione um contato com o seu próprio ser em relação àquilo que em outro momento fora combinado.
Esse momento antes da duplinação, é um momento em que a situação do ser Aintai precisa ser correspondida à situação do ser Intai. Isto é, a situação do ser “encarnado” precisa corresponder com a sua situação “espiritual”. Isto quer dizer: a experiência serve ao ser em espírito, o ser Intai. De muitas formas, isso deve acontecer. Cada um de vocês veio e irá retornar. A cada experiência, se soma a outra. Entretanto, aquilo que importa precisa ser de alguma forma encontrado por aquele que vem à experiência duplinada, isto é, à experiência da “encarnação”. É necessário que se compreenda alguma coisa de si. É imprescindível que se perceba dentro dos contextos existenciais da experiência a ser vivida. A infância é exatamente um período para que esta experiência se prepare e se torne uma base para as coisas importantes que irão surgir no trajeto de cada ser. A mente proporciona uma grande interatividade entre o corpo, o meio ambiente e os outros seres, sejam eles humanos, vegetais, animais, minerais, ou sejam eles seres da espiritualidade ou do “cosmos”. Compreender níveis diferentes dessa experiência pode trazer para próximo do seu eixo de consciência, o eixo consciencial, o âmbito da experiência insciencial, inconsciencial, subconsciencial, consciencial e exosciencial,s os fatores de superação de si.
Há a existência dos seres chamados de Ranamás. A forma mais simples de descrevê-los é que eles são os responsáveis por combinar com cada um de vocês o que vocês deveriam, devem ou não devem fazer na experiência da duplinação, da “encarnação”. Certamente, é um assunto complexo que não faz parte da consciência e por esse motivo pode ter uma compreensão fora daquilo que é considerado realidade. Muitas experiências são proporcionadas com uma grande capacidade de interagir consigo, com os outros e com o meio ambiente. O universo “conspira”, diz-se por aí. Sim. Há as forças tehili. As forças tehili são as respostas para além de uma realidade simples, da natureza em relação à força interativa de cada ser humano. Cada um pode movimentar em torno de si o universo, e os objetos do universo podem-se encaixar, podem-se somar, podem alcançar aquilo que a existência traz para a consciência. Como há muitos níveis em seus eixos conscienciais, cada nível interage à sua maneira. O subconsciente, por exemplo, tem grande atuação com a consciência, apesar da consciência não conhecer o subconsciente. A insciência íntima interage largamente com a exosciência. Esses fatores de interação entre os níveis do eixo consciencial são fortes indícios e fortes formas de se perceber e agir em relação à natureza, a natureza das forças tehili. Tudo se soma. As forças de interação são extremamente participantes de como o corpo ou o organismo proporciona para o ser em sua experiência algo que o ajude a encontrar o seu suirsoma.
O suirsoma são as coisas que acontecem com cada um ou que devem acontecer com cada pessoa, e que se relacionam com aquilo que o ser Ranamás combinou com você antes de você ser biologicamente concebido. Apesar de existir uma combinação, dificilmente você terá clareza sobre o seu suirsoma e, portanto, você deve observar todas as coisas que influenciam a sua vida. Observar a si, as suas atitudes consigo, com os outros, com a natureza e com a existência. Podemos perceber que grande parte dos seres humanos ignora extensamente a sua própria experiência com a vida. É preciso que se atenha em si e naquilo que contribui para que você se aproxime do seu suirsoma. Pode se fazer a pergunta: como assim? Como me aproximar de algo que não sei o que é? Temos uma forma de dizer sobre isso, e que dizemos a todo instante: observe em seu ser a luz incondicional do amor. É o amor que está em seu ser que alcança por vislumbre, ou pelas forças tehili, ou pelas luas suirsômicas, pela intuição, pelo sentimento, e pela reafirmação do altruísmo que reside em sua força de compaixão, de empatia e de gratidão. Gratidão por si, empatia pelos outros. O amor pela existência há de alcançar cada um. O amor é a referência do seu suirsoma. E trará o bom senso, o equilíbrio, a força daquilo que sente e pensa em e por estar vivo. Estar vivo é saber de um ou vários universos no interior do seu ser. Outra forma necessária, que podemos trazer como referência útil e neste momento em que a Terra se ascende para a sua consciência, agradecemos aos seres microscópicos pelas ações que impetram nos corpos humanos para realçar a sua consciência. De certa forma, o mais importante é a percepção, a noção, a luz incondicional do amor, a soma das coisas. A experiência de cada um pode trazer como retorno tudo aquilo que está em seu ser. Observe aquilo que se soma em cada coisa somada que se soma, assim como podemos observar o que a interação do seu eixo consciencial pode trazer para a sua consciência. A sua consciência, a sua vontade, a força dessa vontade, que são as forças volitivas, elas têm base orgânica e base insciencial. Aquilo que se soma como os parâmetros daquilo que se compara pelas paridades dos sistemas de sistemas matriciais de paridade, desde o movimento com alguma parte do seu corpo, até o alcance complexo, simultâneo e extensamente resultante das suas atividades cotidianas. Ou seja, levantar, apanhar um copo d´água, bebê-la, senti-la, refletir sobre a vida, sentir, se estender para todas as coisas que faz todo o corpo estar presente simultaneamente. As coisas se somam. São matrizes de processos orgânicos, alinhados, multiplicando-se em matrizes de processos mentais, inscienciais, sustentados pela existência do seu ser. De uma forma mais próxima, as suas resultantes vão se somando, uma após uma. E vão se fazendo parte das suas ações, das suas compreensões, formando em sua consciência camadas de senso. Senso de todas as formas, que trazem noções, que trazem atitudes, e traçam para o seu ser toda a relação que tens consigo e com a natureza, incluindo todos os seres, como você, ou de outras formas. A soma das coisas é algo para se observar, pois elas se acumulam. Elas reorientam as ações de cada um. Elas ajudam a compreender o microcosmos, o mediocosmos, e o macrocosmos, ao nível dos seres, quando as políticas aparecem, quando os poderes econômicos surgem como processos obrigatórios e quando o mundo material disposto para todos pode surgir como um processo específico para a sua experiência.
Este aspecto do que você faz com a sua vida é essencial para se perceber o que foi feito de si. Porque tudo se soma. As referências do amor se colocam ao longo da sua experiência, e você é capaz de absorvê-la, de compreendê-la. Infelizmente, grande parte da humanidade que compreende “teoricamente” esse aspecto, não é capaz de vivenciá-lo. Então, aquelas coisas que se somam, se acumulam, ajudam a vocês, a cada um, a encontrar os fios que tecem a existência consciente e, para além da consciência, também relacionam-se às atitudes. Que sejam coerentes com os seus bons sentimentos, as suas boas noções. Certamente, não vamos apenas descrevê-las, mas, essencialmente, tocar nelas. Qual é a coerência daquilo que se soma em seu ser? Qual é a paridade daquilo que forma a sua noção em relação ao coletivo? Em relação ao seu ser individualmente? Não em relação ao seu ser subjetivamente egoísta. Cada um tem a sua própria forma de compreender aquilo que é bom para todos ou aquilo que é bom para aqueles que dominam. Quando o universo resolve implantar uma ajuda para evidenciar as forças do amor, esse universo quer privilégios? Ou privilegiar? Quando as árvores, os vegetais trazem a natureza de suas generosidades, elas pensam em apenas alguns escolhidos? Para isso é que as coisas podem e devem atingir mais a todos. Mas, a consciência de cada um é parte da existência de todos. A existência de todos é formada pela sua consciência. Não pelo seu individualismo. À altura das somas da existência de todos, os suirsomas se completam para formar uma experiência em uma fase da existência, quando ela transmigra para os campos de Mágnem, para a experiência Intai, para o encontro do seu eixo consciencial. A memória é levada para o âmbito de suas rotas, quando a existência Kalamatsana pode trazer para si a superação do seu ser material. Agradecemos. Paz e Amor.
Agradecimentos, boas vindas.
Grupo: Achei curioso quando Nosso Amigo agradeceu aos seres microscópicos. Ele se referia a todos o seres de uma maneira geral, ou, em particular, a esse corona vírus, por essa experiência. Queria saber disso.
NA: Agradecemos a todos os seres, pois cada um tem a sua razão de ser. Os seres humanos são feitos também de seres microscópicos, mas tudo aquilo que se desenrola num sentido maior, de um sentido maior até um sentido individual, contribui para um resultado específico. E esse resultado específico é a fonte do agradecimento, quando ele desperta, quando ele incute, quando ele revoluciona, especialmente num âmbito de insegurança, pois a existência em muitas situações é em si, como se diz, ‘por um fio’.
Grupo: Você se referiu às experiências suirsômicas, à soma de todas as experiências, da exosciência às experiências físicas como parte do suirsoma, e também à nossa quase incapacidade de perceber tudo. Mas que isso vai se somando e a gente depois, como você se referiu ao Magnem, seria quando a gente conseguiria, talvez, liberando-se de uma experiência física, atingir outras esferas de experiência. Eu tenho uma pergunta um pouco estranha. Nós vimos ouvindo vocês nos dando conselhos, nos ensinando coisas para a gente tentar alcançar uma coisa maior do que a gente vive. A gente tem uma expectativa e uma visão quase que nublada das possibilidades disso. E esse contato que a gente está tendo com vocês, isso talvez tenha um desenrolar mais profundo depois que a gente deduplinar? A gente vai levar isso? E isso vai ter um significado que vai no nosso suirsoma de uma forma reveladora?
NA: Agradecemos. A experiência de vocês já inclui a nossa participação. Certamente, ao revelarmos algumas questões, não quer dizer que estejamos “certos” ou “errados”, entre aspas, cada um irá processar a experiência da sua forma e a influência dessa experiência, como qualquer outra, irá ser transferida para adiante, pelos processos de interação e de memória, e mais especialmente de transformação. Por esse aspecto, sim, especialmente. Entretanto, toda duplinação já causa em cada um grandes transformações, e é por isso que a experiência humana da duplinação pode trazer mudanças para a experiência de todos os seres humanos. E, na medida em que num plano consciencial exosciente as atuações de cada um ganham maior repercussão daquilo que estás atuando agora, no nível exosciencial, ou seja, em relação às suas ações exoscienciais, você já está atuando com base em todo tipo de aprendizado que você tem. Se as suas habilidades conscienciais às vezes parecem não se mover, ao contrário, quando você adormece, as suas ações são amplamente mais efetivas em relação a tudo aquilo que lhe transforma. E quando da deduplinação, poderás, dependendo de como és para si, perceber onde os seus caminhos mudaram. E esse aspecto positivo da transformação em relação àquilo que cada um aprende ao se transformar aquilo em seu ser consciente, mais profundamente se transformará em outros âmbitos existenciais, ou seja, a experiência que vivem de expansão mental irá expandir também a sua mente no âmbito deduplinado.
Grupo: Nosso Amigo, eu queria saber: um vírus, como esse, tem consciência ou obedece a outros tipos de consciência? Como é esse processo? Porque a gente está vendo que é processo de grande transformação.
NA: Certamente a ação de um ser microscópico qualquer, no ambiente terrestre, ele é gerido por consciências coletivas. Essas chamadas “consciências coletivas” se ampliam de acordo com as questões suirsômicas de cada ser. Ou seja, o equivalente ao suirsoma, que já descrevemos em outro momento, para os seres não humanos, obedece a outros processos, mas que atuam em paralelo, atuam interagindo com as necessidades de suas próprias atuações. Neste caso, quer dizer uma invasão de um ser em um nível consciencial global. Podemos dizer que influenciados pela ação dos níveis conscienciais globais dos seres humanos. Eles são encontrados de acordo com os seus pontos fracos, de acordo com seus âmbitos de alcance, e os pontos fracos humanos são não prestarem atenção em suas formas de contato na experiência física, pois estão mais relacionados a uma dominação. A tendência humana seria ampliar a sua dominação até ela se esgotar? Ou seria encontrar níveis de interação relacionados ao amor incondicional? Eis uma das questões.
Grupo: Obrigada.
Grupo: Diante disso que você falou, eu queria saber o que podemos fazer como individuo e como grupo para evitar uma catástrofe maior e para contribuir para uma consciência maior do mundo e das pessoas.
NA: Certamente, confiar em si, perceber, refletindo sobre que seria para cada um o amor incondicional. Seria aquilo que leva a uma comunhão? Seria aquilo gerado pela empatia, que pode trazer colocar-se diante das questões uns dos outros? Seria alcançar bom senso para compreender os processos políticos? Seria desapegar das restrições, das falsas restrições, das questões de dominação do capitalismo? Seria olhar para si e perceber que há amor em seu ser? Seria perceber e agir nas horas possíveis para você? Certamente, algumas dessas perguntas podem ser multiplicadas em outras perguntas, cujas respostas trariam respeito, dignidade, felicidade, igualdade, sinceridade, não competitividade, não ao mundo cão, não à destrutividade, não ao egoísmo, à futilidade, à ostentação. Ao mesmo tempo, não ao moralismo, ao abuso, ao desequilíbrio. É preciso olhar para si com sinceridade, desapegar-se dos acúmulos além das fronteiras. Reconheça a sua liberdade, mas não a imponha aos outros. É preciso redescobrir que valores que são ditos como valores porque valor ainda se associa a dúvidas do que são valores. É preciso olhar para si com leveza, para tornar leve olhar para os outros, respeitando a si, respeitando aos outros, respeitando a natureza, respeitando a sua existência.
Grupo: Respeitar a existência e respeitar, hoje, até o espaço, né? Sou relativamente novo no grupo, estou aqui há dois anos. É um prazer imenso. E nesse tempo todo, uma das coisas que você deixou sempre frisado é que a gente tem interdependência entre a gente muito grande. Ninguém pode ser feliz à revelia da felicidade do outro. Quando você parabenizou os pequenos seres, eu me senti um pequeno ser. Acho que cada um de nós é um pequeno ser que forma um ser gigante, que é essa nossa Terra e todo esse imenso cosmos que a gente tem, seres Intai, Aintai e tudo. Minha pergunta é: O que podemos esperar desse processo todo de depuração que a gente está passando, de introspeção, de repensar as nossas rotinas e nossos relacionamentos. A hora de acontecer isso era agora, porque está todo mundo repensando. O que podemos esperar disso?
NA: Agradecemos. Pelo lado daqueles que se forem, uma percepção aguçada de erros e acertos de uma humanidade. Pelo lado da dor daqueles que ficaram próximos daqueles que se foram, uma lição ampla e mais profunda de uma humanidade fragmentada, de uma humanidade injusta, daqueles que se apavoraram mas nada fizeram, serão os 30% que se manterão da mesma forma. Para aqueles que se uniram e ajudaram, reconheceram, sentiram, colaboraram, se preocuparam com outros, nos traz uma luz inovadora, que acrescenta no mínimo 20% à indiferença, como a experiência não desejada para a humanidade. Especialmente para aqueles que se transformaram, que representam próximo de 10%, daqueles que viveram, como todos, a aflição, mesmo que não tenha atingido a si, esses levarão uma transformação muito especial, e estarão, portanto, trazendo a luz do amor mais intensa para a humanidade. E assim, diante da experiência de todos, os outros são os outros. Aqueles que desejam apenas para si, a natureza e o universo, infelizmente não terão. A luz do amor não é uma luz justiceira. O amor é algo tocante. Que traz a singeleza de uma flor no jardim, e simplesmente exala o seu perfume na intenção de achar o melhor para os outros.
Grupo: Eu queria fazer duas perguntas: Você falou sobre a compaixão, empatia e o amor incondicional. O amor incondicional, ele é referente à existência. Então, quando uma pessoa entre em depressão é porque ela não está sintonizada, ela não sente esse amor incondicional pela existência. Isso que me veio à mente. E uma outra coisa que está muito evidente para mim esses dias é que o tempo parece que está mais acelerado. Eu noto isso pelas atividades que faço uma vez por semana Eu queria saber se é verdade que o dia está com o tempo diminuído mais curto. Em vez de 24 horas, atualmente é 16 horas, atualmente.
NA: Agradecemos. Em relação ao tempo, primeiro, há mudanças no tempo sempre, mas as mudanças não são maiores fisicamente do que mentalmente. O organismo está percebendo o tempo mais rápido. O organismo está se sobrecarregando em relação à estrutura original anterior. O anterior é ao longo de últimos 50.000 anos..Há diferenças substanciais nesses últimos 500 anos. A experiência humana não possibilita transformações mais drásticas, pois a sua estrutura genética não lhe permite uma rapidez maior em suas mutações que influenciam toda a cadeia estrutural insciencial do ser. Desta forma, há mudanças físicas no tempo. Cada grau de sutileza representa grandes transformações inscienciais na estrutura física e mental humana. Ela se fará na medida em que outros processos físicos, como a chamada inversão magnética, se completar. Ela acontece de milhares em milhares de anos, em 6.000 anos. A outra pergunta sobre depressão. Há uma forma generalizada que em nosso ponto de vista, apresenta uma versão quase que contrária. Entendemos que, se o ser deprimido humano encontra-se aparentemente excluindo-se da vida, em muitas situações ele exclui porque a existência humana não considera os fatores relacionados ao amor incondicional. A referência que você fez ao amor incondicional reforça-se em relação ao ser deprimido. Se a depressão é uma crise da sua experiência de vida, é porque em muitos aspectos as relações de vínculo com outros seres humanos se deterioram, ou se perdem em relação ao seu eixo insciencial. Muitas experiências da depressão são os sinais de uma humanidade carente, não de um único ser.
Grupo: Relacionado a essa praga. É um momento bíblico para aqueles que acompanham a bíblia. É uma angústia que todos devem estar vivendo hoje, saber quanto tempo isso vai durar. Como vocês acham que a gente deve lidar com esse tempo? Especialistas da saúde e de várias áreas dizem que vão ser 2 a 3 meses, mas que isso depende do isolamento social, são muitas informações jogadas nas mídias sociais. É difícil ponderar. Como vocês acham que a gente lide com isso? Existe um tempo que vocês recomendam para a gente poder nos programar? Até porque o mundo não pode parar por tanto tempo. Se aumenta esse tempo, se passa de 4, 5 meses, as pessoas podem até enlouquecer. O que vocês têm a dizer em relação a esse tempo? Para a gente refletir.
NA: O mundo pode parar. Certamente, há limites e já falamos disso, para tudo. A experiência de cada ser, ela é específica para cada ser. Muitos vão compreender e a grande maioria não irá compreender. Alguns ficarão bilionários, enquanto outros serão a resposta de uma humanidade injusta. Muitos irão sofrer enquanto alguns irão se resolver. Não há uma única resposta para essas coisas porque elas não destinam para o universo humano, mas para o universo como um todo. Da mesma forma que uma formiga constrói o seu mundo e vive em suas medidas, e em seus alcances, pode acontecer dessas formigas dominarem o seu âmbito de alcance. Esse domínio, como tudo, terá um limite, e o seu limite poderá transformar a experiência das formigas, como no caso das formigas. Em relação à humanidade, há um aumento da consciência de que cada um não é sozinho no planeta. Os outros planetas não irão perceber que houve algo no planeta Terra. Mas, aqueles que estão em contato com os universos inscienciais sabem porque um simples vírus pode e é capaz de invadir um planeta porque há uma grande prepotência na mente e no corpo humano, como se este fosse único no universo, e isso está mudando. O invasor contribui. Ele invade e alcança. Quando alcança, traz consciência. Consciência aos seres invadidos. Aquele que vencer a “batalha’’ biológica, irá vencer o transcurso insciencial, e esse aspecto é importante para a humanidade. A humanidade vai vencer, e espera-se que tenha aprendido algo sobre si mesma, e não sobre o seu domínio.
Grupo: Boa tarde, eu fui convidada, é a primeira vez que participo. Não tenho consciência do tempo e das lições que vocês estudaram, que você passou para todos no grupo. Queria perguntar mais sobre o “Ramás”, que você explicou que seria o ser ao qual nos conectamos antes da reencarnação e com o qual fazemos os combinados da nossa trajetória. Durante esse período em que estou encarnado, tenho como me conectar com esse ser? Ou isso é uma lei natural da reencarnação, que tenho que levar com minha intuição e com os conhecimentos seculares que tenho? E gostaria de compartilhar, que senti muito o chakra cardíaco trabalhando bastante, e me senti em flutuação. Se isso é normal.
NA: Agradecemos. Seja bem-vinda. A luz do amor é sempre a nossa referência, e estamos aqui por intermédio dessa luz incondicional. É normal que, baseado na sensibilidade de cada um, as suas reações ao nosso encontro possam surgir. Aceite-se com o amor da sua essência. Seja feliz. A questão dos Ranamás – não com a intenção de corrigir, mas o nome é Ranamás, já corrigindo – é a luz do amor, é o ser que atende à humanidade, ou os seres. São seres de uma origem muito distante e não podem, a priori, por nenhuma técnica ou nenhuma forma, serem contactados, apenas por meio de uma exceção, quando eles mesmos fazem isso. A experiência dos Ranamás com a humanidade, o ser benevolente que proporciona uma espécie de acordo, uma espécie de combinação de cada um para consigo mesmo, orientado pelo ser Ranamás. O ser Ranamás cuida de fazer todo o processo da duplinação. Chamamos de duplinação o processo da “encarnação”. Não utilizamos essa expressão e sim duplinação, que relaciona o ser insciencial, a “alma”, o “espírito” com a experiência corporal, pois a consciência relaciona-se ao desenvolvimento corporal, e depois se ascende em direção à exosciência. Certamente, aquilo que é combinado com o ser Ranamás não sobressai à experiência de cada um como processo consciente, mas como relações da experiência a serem encontradas por cada um. Se um ser combina determinado aspecto com o ser Ranamás, de algumas forma essas combinações podem ser vislumbradas ao longo da vida de cada ser. Mas, não de forma evidente, não como mensagens. Mas chamamos esses vislumbres de luas suirsômicas, quando há semelhança da comparação à luz solar que bate na lua e reflete como experiência de iluminação. As luas suirsômicas já estão disponíveis nos textos, e explicam a sua indefinição, os seus aspectos subentendidos e relacionados às forças tehili. Cada um, quando encontra em seu ser a sua luz de amor, se aproxima de seus suirsomas.
Grupo: Me ocorreu, falou você sobre a prepotência, fiquei pensando na prepotência do ser humano, de acharmos que somos mais importantes do que os seres microscópicos. Isso é uma batalha? Temos que lutar para sobreviver, para vencer? É uma questão de batalha, de vencer ou de perder?
NA: O amor é a essência mais profunda existencial dos seres humanos. A sua experiência pode se aprofundar em vários sentidos. Há que se reconhecer que o desenvolvimento dos seres humanos se apresenta de forma desigual. Há uns mais desenvolvidos e outros pouco ou muito pouco desenvolvidos. Cada um tem, portanto, o seu alcance insciencial, ou seja, as suas noções, que têm origem em sua estrutura existencial. Cada um pode e deve encontrar formas de se melhorar. Isso não é fácil, porque algumas vezes não se concebe ou não se reconhece. A humanidade certamente não se concebe de forma incondicional em relação ao amor. Então, os aspectos de sua violência, de sua auto-destruição, de sua auto-desconformação, tornam-se processos diretamente relacionados à sua dominação, a dominação de uns em relação a outros. Não há parâmetro para a dominação, a não ser o aspecto econômico e político para dominar os mais “fracos”. Ora, há um embate desigual, injusto e violento. Certamente, esse âmbito alcança os seres humanos em suas “almas”, em seus “espíritos”, em seu tronco insciencial. Os seres microscópicos, os seres da existência “espiritual” também se aproveitam desses elementos violentos, e fazem parte de um processo de dominação. Isso é assunto para outros momentos. Mas, certamente há uma “guerra”, e essa “guerra” que acontece no nível consciencial humano, por escolha dos seus âmbitos de dominação, repercute por outros níveis. Este não é o primeiro, nem será o último. Outros seres mais poderosos, por ora, estão dominados. Mas não é para sempre. A humanidade pode se proteger, fortalecendo o seu âmbito de equilíbrio, fortalecendo a sua incondicionalidade amorosa.
Grupo: Tenho uma pergunta sobre os nenéns, e seres que ainda não nasceram, como o Xxxx. Eles já têm algum tipo de consciência desse momento, ou já têm uma atuação exosciente, mesmo quando nenéns, crianças e fetos? Têm algum tipo de consciência ou atuação?
NA: Agradecemos. Sendo mais objetivo, os seres que nasceram depois de 2009 para cá já têm uma sensibilidade em relação ao que está acontecendo agora. Esses que estão nascendo e os que vierem à frente, trarão as repercussões do que acontece no momento. E para o futuro, a consciência poderá se ampliar se o respeito a esses seres se fizer presente.
Grupo: Muita luz para o meu, para o nosso Xxxxxx, por favor.
NA: Assim seja. Agradecemos. Estamos acompanhando.
Grupo: Sobre 2 sentimentos que se tornaram mais constantes nesses tempos de crise do corona vírus, acho que mundialmente, são a culpa e o medo. Minha pergunta é como lidar com esses sentimentos, mesmo que já saibamos lidar com eles em relação a nós mesmos, como ajudar outras pessoas que têm esses sentimentos. Como trazer serenidade e calma dentro dessa situação caótica atual?
NA: A culpa é um sentimento que o ser pode ter, é uma ilusão em relação ao outro, por alguma coisa que se tenha feito e a consciência tenha percebido. Normalmente, a culpa, como um processo de ilusão, pode castigar a mente que não confia em si. Ao mesmo tempo, quando a culpa acontece, ela pode ter um alcance positivo e um alcance negativo. O negativo deve ser trocado pelo positivo. Se há uma culpa, há o que fazer. Se a culpa é uma ilusão, o fazer é voluntário. O interessante é que o lado positivo, que é de não jogar a culpa fora, é aceitar o desafio ilusório da culpa, mas sem destruir a sua confiança. O desafio é de reparar o sentimento baseado na acusação do sentimento. Se é culpado de destruir algo, construa algo. Se é uma ilusão, você é um voluntário. Não jogue fora o sentimento de culpa, transforme-o em construção, em reparação através da incondicionalidade do amor.
Em relação ao medo, o medo é uma ilusão que traz para o âmbito pessoal um sentimento de ser refém, um sentimento de impossibilidade, porque estás submisso a algo que pode lhe colocar à prova. O medo é uma ilusão e pode ser destruído por ações de coragem. Não uma coragem por causa do medo, mas uma coragem de ser o que se é, a coragem de confiar em si.
Grupo: Obrigada.
NA: Igualmente agradecemos. Compreendamos todos que, se há uma relação entre as coisas da existência, elas se somam. É possível observar a si em todas as formas que a sua consciência lhe permite processar. É preciso considerar aquilo que constrói, é preciso respeitar aquilo que destrói. É preciso alcançar aquilo que se precisa, é preciso ampliar o alcance e a experiência de todos. E isso é possível por intermédio do amor incondicional. Agradecemos a todos. Paz e amor. Mnahrkwion.
Conversa com Shamir, Tono e Dzark
R-STD: Estão aqui. Shamir quer falar uma coisa para vocês. Agradece a presença e a preocupação que alguns de vocês têm e a concentração que fizeram ontem (18h), de atenção para um problema maior. Eles participaram. Outras pessoas em outros lugares coincidentemente fizeram. Coisa boa que foi feita. Principalmente a consideração, a preocupação com cada um, com as pessoas nas ruas, com as pessoas que estão vivendo a aflição do momento, e a condição que as pessoas ficam. Eles criaram uma corrente de proteção para as comunidades mais pobres, e algumas comunidades não vão ser atingidas praticamente em nada. É o que podem fazer, porque eles não podem intervir muito.
Grupo: Pergunta se a corrente que fizemos ontem, a mentalização às 18h, qual é a dimensão desse resultado. A minha proposta é que a gente faça todos os dias, queria a opinião deles sobre o que pode ser acrescentado.
R-STD: Eles realçaram que começaram agradecendo isso. Quanto mais gente envolver, melhor. A intenção fortalece o processo. Mesmo que você foque uma certa coisa, a intenção de reunir e desencadear um processo de mentalização, ele já mobiliza as forças tehili. Isso quer dizer que quando você tem a intenção de fazer e faz, essa é a resposta, ela é efetiva. Ela acontece. O mundo todo está fazendo isso, em vários lugares. Tem muita gente pensando no Brasil agora na China, e no sul da Índia. O movimento, ele entra em ressonância. Ele alcança um âmbito. Mesmo que as pessoas não saibam, ele contribui para todo o processo.
Grupo: A minha preocupação é a gente tem que pedir por tantos, pelos doentes, pelos já infectados, pelos que não têm uma condição de saneamento básico, uma condição de vida digna, que podem se acometer facilmente. Então, como pedir? Fico meio sem saber. É muita gente.
Grupo: A gente pensou, inicialmente, em focalizar a Terra, coloco a Terra entre as mãos, depois faz igual imagem de satélite diminuindo o foco, América do Sul, Brasil Minas Gerais Belo Horizonte, cada um focalizando o seu lugar. Nesse momento vem várias coisas e intuitivamente vai lembrando das pessoas a quem você quer emitir. É bem intuitivo. É como eles falaram, o importante é essa intenção e deixar rolar o amor incondicional.
Grupo: Obrigada.
Grupo: Queria pedir proteção para as crianças da Casa Lucas.
R-STD: Eles estão presentes lá. Nosso Amigo já tem toda uma coisa com o que todos nós pedimos, o que nós pensamos e quem tem contato com NA, eles atendem. Eles vão estar presentes onde nós pedirmos. Eles vão atuar com o amor incondicional. A referência de expressão é o amor incondicional.
Grupo: Vamos colocar 10 minutos antes de 18h, um lembrete no grupo.
Grupo: Eles podem falar algo sobre a perspectiva do Brasil neste momento?
R-STD: Ele fala que em alguns lugares do Brasil vai ser complicado. Mas, em outros lugares, vai ficar para mais para a frente. São Paulo vai crescer muito, e vai ter número razoável de deduplinações. A questão é as pessoas se preservarem. Se você não der acesso ao vírus, você não vai ser atingido. Eles não querem falar o que vai acontecer para não criar uma situação de prever o futuro, o que não é bom. As ações que cada um fizer, as mentalizações, e as intenções mentais que você para e pede, e isso se soma e entra em ressonância com outras pessoas que estão fazendo a mesma coisa. No Brasil, há um grande número de pessoas fazendo isso.
Grupo: Hoje é meu plantão para ir ficar com meu pai. Estou tomando todo cuidado. Quero pedir esse acompanhamento. Eu já sinto que tem, mas estou reforçando.
R-STD: Está reforçado.
Grupo: Queria pedir para ajudarem a proteger a Rebeca na Austrália.
R-STD: Eles estão atendendo. Na verdade, eles não estão nessa tarefa com relação a você, mas que tem um grupo com ela lá, acompanhando ela. Para ela ficar atenta.
Grupo: Gostaria de reforçar o pedido de acompanhamento para o meu pai, e junto para toda a rede de ajuda que está em torno dele, cuidador, etc.
R-STD: Está também, e incluindo a sua tia. Suas 2 tias.
Grupo: Gostaria de fazer um pedido pelo meu filho. Ele está em Viena com a esposa. Ela está passando um pouco de mal, com problema de rins. Queria pedir proteção aos dois.
R-STD: Eles vão acompanhar. Pediu para você falar para ela redobrar a distância, o contato que tem com outras pessoas.
Grupo: Eu estou em Linz. Se ela precisar de alguma coisa, pode pegar meu telefone e nos colocar em contato. Eu estou de quarentena, mas estou à disposição.
R-STD: Eles gostaram disso.
Grupo: Também queria pedir pelo meu pai, pela cuidadora dele. Minha família que está aí.
R-STD: Pai está bem assistido, com Nosso Amigo e grupo desde a vez que você já teve contato aqui. É o mesmo grupo que está acompanhando ele.
Grupo: Eu queria pedir pelo meu pai. Ele está morando no sítio em Pedro Leopoldo. Tentamos de todas as maneiras que ele ficasse conosco, mas a teimosia é muito grande e a dificuldade de ficar com a gente é enorme. Fizemos tudo e não conseguimos. Meu pai é do grupo de risco, tem uma série de problemas de saúde, assim como eu. Ele optou em ficar lá com um amigo que deve ir embora e ele vai ficar sozinho.
R-STD: Falaram que seu pai a priori está muito bem lá. Se não chegarem outras pessoas, ele vai ficar protegido, e que estão lá desde que começaram essas questões.
Grupo: Queria pedir proteção para minha cirurgia, que corra bem com a recuperação, sem complicações.
R-STD: Eles estão acompanhando. Disseram que nunca abandonaram você. Estão com você desde sempre.
Grupo: Queria agradecer pela força. Sempre que eu posso, sempre que tenho agradecimento, penso neles. Gratidão de sentir a presença e o conforto deles
R-STD: Eles agradecem a oportunidade.
Grupo: Também pedir proteção pela minha mãe e minhas tias, que são muito idosas e agradecer pela ajuda deles.
R-STD: Eles agradecem da mesma forma. Sua mãe teve o problema na vista, não é? Eles conyinuam com a sua família. Vocês pedem e eles seguem. Agradecem a oportunidade.
Grupo: Queria pedir pelo Fernando Rodrigues e pela Edilene que acabou de deduplinar. Ela já se encontrou com o filho que deduplinou recentemente?
R-STD: O Shamir falou: Ela não encontrou ainda com o filho dela, mas vai encontrar. Ficou um pouco dissituada com a deduplinação, mas está sendo atendida, e vai encontrar com o filho dela, que já está esperando.
Grupo: Queria pedir pela mãe, um acompanhamento. Essa situação com o vírus não é somente contra o vírus, mas em favor de uma mudança, uma transformação da gente, da nossa visão.
R-STD: Dzark disse: não precisa ter dó do vírus não. Faz parte esse embate, e o lado melhor é quando há uma mudança de postura de uma parte. A maioria não vai mudar. As coisas vão continuar. Grandes empresas perdendo muito dinheiro em bolsas e tal. Os mais ricos e dominadores não querem nem saber. A questão, o que importa é aquela parte que compreende um pouco mais. Não é, claro, baseado na dó que você vai ter de uma parte ou de outra. A perda humana para nós é muito dolorosa, às vezes, por um motivo bem peculiar de uma situação como esta. Mas, isso acontece desde que o ser humano existe. Houve no começo da humanidade na Terra uma dificuldade muito grande de sobrevivência, e morria muito. A história dos micro-organismos, que é milhões de anos anterior aos humanos, ela é inevitável, faz parte. Nós somos compostos de seres micro-orgânicos. Eles confirmam uma coisa que é uma suposição: a mitocôndria era uma bactéria.
Grupo: Sem eu falar com a Marina sobre esses amigos, ela me contou que sonhou com 3 grandes seres. Queria saber se esse sonho pode ter sido um encontro ou se ela pode ter visto os Nossos Amigo. Tem como saber disso?
R-STD: Vou aproveitar, porque eu também tive um sonho, mas foi só com um.
R-STD: Os dois casos são contatos com seres, no nível exosciente. No caso da Marina, pela sensibilidade dela, ela teve contato com seres do grupo deles. Eles podem, se ela quiser, desenvolver esse contato com ela.
Grupo: Vou falar com ela. Ela vai ficar feliz.
Não entendi a pergunta e nem quem perguntou.
R-STD: Sim, já estão no mesmo acesso do Nosso Amigo, com a proteção que já foi designada para ela e pro Ravi, nem se fala, porque ele faz parte do grupo. Ele, o Rafael e a Alice.
Grupo: Quero pedir para acompanhar meu pai e minha mãe, que tem vários fatores de risco
R-STD: Ele falou que todos que têm contato com eles, do grupo do NA e de outros também, porque parece que eles fazem parte de outros grupos também, eles estão acompanhando os pais, os tios, as tias e os parentes, como um forma de agradecimento porque eles vieram aqui para isso.
Não registrei a pergunta
R-STD: São Paulo vai ter um pico maior. Se for sair, não encostar nas coisas. Ter a consciência. Reforça que o bom humor melhora muita coisa no organismo. É para divertirem, rirem. Dar carinho para os mais velhos. Multiplicar o ambiente, melhorar o astral do ambiente. A imunidade e também a atuação do campo áurico, ele vibra mais rápido e mata uma parte dos seres micro-organismos próximos do corpo, se você estiver bem, não estiver pra baixo, e acreditando só na desgraça. O humor tem um efeito de defesa. Rir…
Os vegetais estão tomando conhecimento do que está acontecendo e estão reforçando uma parte da qualidade deles. A interferência negativa não ajuda. Primeira luz, confiar que as coisas serão melhores que aparentam ser. Às vezes, elas são exageradas por algum aspecto, até por questão comercial. Humor.!!!!
Grupo: Qual orientação pro meu pai, que continua saindo de casa todos os dias para fazer caminhada?
R-STD: Pode deixar fazer a caminhada, mas põe alguém com ele.
Grupo: pedidos para a família. Alguns são médicos.
R-STD: Médicos e enfermeiros: há uma tarefa de higienizar essas pessoas, conseguem salvar uma parte.
Alguma recomendação?
R-STD: As recomendações que estão sendo veiculadas são boas. Tem uma parte da população que não acredita que tem vírus. Essa é a parte complicada porque não respeitam as recomendações. A parte médica está uma parte comprometida, mas que eles respeitam os procedimentos.
Grupo: Pedir acompanhamento para mim, por eu já ter tido pneumonia, e embolia, e por estar há pouco tempo no trabalho.
R-STD: O Tono está falando para você seguir o que está fazendo, está protegendo a sua família e você, que não pode se expor. Obedecer ao seu bom senso. Emprego para você não é complicado como é para outras pessoas.
Grupo: Quem deduplinou, queria pedir por essas pessoas.
R-STD: Apesar de estar morrendo gente em reação ao vírus, o mais importante é o comprometimento que está acontecendo. Estão morrendo também de outras coisas. O que está por trás do vírus, do envolvimento da humanidade com o problema, é que é importante. As mortes estão sendo reunidas no plano Intai como um processo de aprendizado desses que estão indo. A porcentagem é pequena.
Grupo: pedir proteção para o marido, minha mãe, senhorinha teimosa. Proteção para todos os que precisam, pessoas da comunidade.
R-STD: Pessoas devem prestar atenção no contágio. Se vai viver situação próxima com pessoas doentes, ter cuidado.
Grupo: o maior pesquisador …. cloroquina. Teve um site que foi tirado do ar sobre isso. Tem envolvimento de gente do poder em função de interesses?
R-STD: Tem. Tem envolvimento de ambas as situações. Têm os que querem e os que não querem. Para eles, eles não querem discutir esse embate. A humanidade tem que saber. Tem aqueles que estão aos dois lados ao mesmo tempo. Isso faz parte das características de violência no mundo. O que é novidade é que tendo poder é q você vê se houve mudança.
R-STD: Agradecem a oportunidade de ter essa conversa, e estão irmanados com os seres humanos. A experiência é valiosa para eles também, eles estão observando as reações humanas e têm esperança que o resultado pode ser melhor do que o que se apresentava. É melhor transformar a ilusão em esperança do que em confirmação de algo negativo. Se alguém estiver iludido, transforme em esperança, porque é melhor algo que esteja acreditando para o bem, porque a grande maioria pensa em algo pior. Eles respeitam … Estão tendo embates no nível espiritual e extraterrestre que têm a ver com vigência dos poderes. Muitos se sensibilizaram com os riscos dos países menores, onde é maior o contágio e os efeitos no país, do que em países grandes. Inclusive o Brasil. Onde tiver mais concentração de pessoas, pode ser mais dramático, e outros, menos. A longo prazo, como já é do conhecimento, vai ser como os outros vírus. Há outros mais perigosos, e há outras tensões políticas mais graves, mas o fato de acontecer com as cidades, delas notificarem e afetar os aspectos econômicos, já é grande contribuição para a humanidade.
Só a fome na África mata 10, 20 vezes mais do que esse vírus. Abandono da mídia, e principalmente o pouco fazer em relação a essas coisas. 20% da humanidade vive desastres humanitários.
Grupo: Existe influencia de outra dimensão nisso?
R-STD: Sim, esse assunto fica para outro encontro. Tem sempre influências. Seres que assediam. Pessoas que têm muito poder interferem negativamente em quem tem poder. Tem um submundo paralelo vigente que é muito complicado, porque é tão estranho e seria mudar o perfil dos encontros se fosse falar sobre isso. Preferem não ser foco de nossos encontros. De fato, há interferências negativas, mas que também eles fazem parte do outro lado.
Quem consegue atingir o estágio que atingimos, deve encontrar o amor incondicional, vai interferir nas pessoas próximas.

Shamir, Dzark e Tono estão presentes. São seres não humanos que têm nos acompanhado desde o começo de 2020, através de contato clarividente e clariaudiente de RAGS. Eles têm acesso direto conosco, e pedem que seja organizada a conversa pelo sistema, GL ou ALG. Quando acabar o encontro com o Nosso Amigo, eles vão conversar conosco, contribuindo com a conversa. RAGS é a interface com eles. Em relação ao Nosso Amigo, a mesma coisa. Ele vai responder as pergunta de cada um, e dar tempo para ele responder. Reforçando, RAGS não tem consciência quando Nosso Amigo vem.