Dando sequência para a retomada de exercícios das coisas já expostas até o momento. Estamos lidando com vários aspectos da mente humana, com o propósito de atender às expectativas individuais, dentro de suas próprias possibilidades. Pequenos desenvolvimentos podem ter grandes significados. Cada um possui o seu próprio arcabouço de informação, vivência, experiência consigo, com os outros e com os significados de sua própria existência. Lidamos com o desenvolvimento mais especificamente de processos mentais, considerando informações e explicações a um nível superficial, mas que possibilite algum novo entendimento sobre processos mentais humanos, considerando nosso “ponto de vista”, sendo diferente em muitos aspectos à auto-cosmovisão humana. Entretanto, buscamos adaptar ou reconsiderar os níveis possíveis de serem ao longo das exposições compreendidos e, para isso, buscamos uma interlocução com aspectos não apenas da ciência humana, mas, também de outros conceitos da sobrevivência e da convivência, considerando muitos outros aspectos. Certamente, essas informações só terão sentido para aqueles que estão interessados em se desenvolver, considerando ainda que todo desenvolvimento não acontece repentinamente. Sugerimos exercícios, posturas ou outras considerações, ou referências, para que vocês possam exercer essas atividades com tranquilidade, com segurança, e sem a interferência de outros planos, a priori, dentro do razoável e possível. Muitos conceitos tendem a fazer revisões ao nível pessoal, para que a divergência de processos em andamento na vida cotidiana possa ser coadjuvante e, de alguma maneira, possibilite o seu exercício pessoal consigo em busca de um equilíbrio mental, corporal, apesar das inúmeras limitações que cada um possui naturalmente. Com o nosso respeito e o nosso amor incondicional, nossos caminhos através dessas exposições precisam ser arautos de si: explicações para uma boa vida no sentido físico nesta duplinação atual de cada um, de cada ser humano, especialmente, nesses momentos necessários. Portanto, não é preciso viver no mundo da lua para contactar com seres não humanos, pois, os seres não humanos já existentes já são capazes de questionar toda a experiência egoísta, intransigente, elitista que vivem os seres humanos do poder, da dominação, que não nos importa porque o amor é incondicional, e assim acolhemos e abraçamos a todos na experiência de que para cada um alguma coisa possamos contribuir de bom. Pois, é a luz do amor. Solicitamos um certo tempo para naturalizar a expressão vocal do nosso irmão. Aguardem alguns segundos, por favor. Paz e Amor. Continuamos. Agradecemos.

Outro amigo: Os canais mentais que estão sendo propostos são processos mentais que possibilitam todo arranjo de identificação pela consciência, trazendo possibilidades para o desenvolvimento de novas habilidades. É preciso que se tenha em mente que tais recursos fazem parte da natureza mental humana. Isto quer dizer que há habilidades não desenvolvidas e que podem ser desenvolvidas dentro das possibilidades naturais humanas, assim como ler e escrever, falar, caminhar, pensar. Já expusemos sobre alguns canais mentais: alguns exercícios relacionados à transformação mental como a identificação dos canais sensoriais que têm representatividade mental, como olhar com os olhos físicos e aprender a olhar com os olhos mentais, tanto individualmente quanto com o par de olhos. Cada forma representa um canal. E os processos mentais como um todo se somam no exercício de desenvolver cada habilidade natural de cada um. Atividade natural quer dizer fazer simplesmente pelo próprio desenvolvimento, pelo exercício de cada habilidade. Por exemplo, caminhar é uma atividade, é uma habilidade que é treinada desde muito cedo, e que cada um, dentro de suas possibilidades, pode caminhar até o momento de sua deduplinação. Certamente, há uma infinidade de habilidades. Cada um exerce a sua habilidade dentro da sua natureza possível. Os canais, portanto, relacionam-se aos processos de interação insciencial, possibilitando que cada habilidade tenha o seu canal mental que representa o acesso tanto à interação insciencial, quanto às atividades desenvolvidas pelo próprio organismo. Todas as suas funções são habilidades, e muitas dessas funções criam canais mentais de interação, como é o caso dos níveis de paridade, que são habilidades desenvolvidas e desenvolvíveis pelas células, tanto individualmente quanto coletivamente. As células comunicam entre si, reconhecendo-se e transmigrando informações a partir de luzes e de reações bioquímicas. Mas, também os órgãos se reconhecem e produzem processos de interação insciencial, que podem transferir informação, processos inscienciais, resultando em habilidade orgânica, assim como todo o corpo a partir de sua integração. Tudo é habilidade. Milhares dessas habilidades criam portais, criam conexões inscienciais, ajudando a configurar a consciência, a criar domínios de defesa e de desenvolvimento, gerando processos complexos que quase sempre têm espelhamentos mentais, processos de memória complexos que reúnem instantaneamente a memória orgânica, transferindo-a com naturalidade e eficiência para ser desenhada pela interação insciencial do organismo para Ídar, interagindo com diversas dimensões. E, dessas dimensões, o ser mental, o ser “espiritual”, o ser orgânico físico se integram, se equilibram em suas funções, proporcionando que cada um exista em sua consciência, a partir do seu próprio desenvolvimento. Cada canal mental tem o seu ritmo e a sua temporalidade relativa. Ela pode constituir níveis diversos de diferenciação, o que ajuda na soma de sua participação orgânica e insciencial do ser siloeflérico, conhecido por você como o seu eu, seu auto-reconhecimento. É como se fosse, no estado de vigília, o seu canal central, o comando daquilo que proporciona toda a sua rede nervosa, toda a sua rede cerebral, tanto a parte autônoma, quanto a parte da sua autonomia consciencial, a consciência. Desta forma, esse aspecto é chamado de Nadra: o aspecto em que as variáveis de cada processo se adaptam e buscam acompanhar a centralidade insciencial, o equilíbrio, a integração do ser insciencial chamado de espírito, que está duplinado e centraliza a sua interação por meio do seu corpo, gerando uma mente, um processo específico, uma dimensão única para que o seu âmbito de alcance possa se reconhecer e se desenvolver. Num estado de sono a centralidade se amplia para que haja uma grande revisão constante da sua atuação existencial. Pois, você não está só. Você é acompanhado ou acompanhada de muitos ajudantes, de muitos amigos, e de acordo com as suas experiências, cada um deve enfrentar e buscar o equilíbrio entre todas as suas possibilidades. Às vezes, complexas, às vezes, conturbadas, mas indiferentemente, abertas à “correção”, aos desvios suirsômicos, que são importantes para que o bem-estar possibilite a motivação, possibilite o prazer, sem a perturbação da natureza essencial do amor, pois o prazer físico pode desviar, pelo seu próprio caráter de ser a busca pelo equilíbrio entre o suirsoma, em sua busca intrínseca pelo amor, e as condições ambientais e sociais dispostas para cada um. Mas, o Nadra relaciona-se à diferença entre os canais mentais, fazendo com que as densidades, as forças Nir, que influenciam cada âmbito do desenvolvimento dessas habilidades mentais, possam então alcançar seus objetivos de desenvolvimento. Os Nadras são as condições específicas de cada canal e podem ser diversificados e precisam assim ser, para se expressarem como canais mentais. Na medida em que se estabelece o que é um canal mental, deve se considerar alguns fatores importantes para cada situação. Por exemplo, o pensamento ordinário é um canal mental muito específico e tem as suas íntimas relações com a linguagem, com as línguas, mas exercem influência simbólica em outros diversos, inúmeros canais, inclusive, os canais celulares de auto-expressão. O ser orgânico, são seres celulares, formando um ser único, adotando suas funções específicas que não se restringem apenas ao fator biológico, mas exercem larga influência no diálogo com o ser insciencial por meio de sua interatividade. Os Nadras representam as diferenças de processos de cada canal. O pensamento tem a sua velocidade, tem o seu ritmo. Como interage com a linguagem, exerce grande influência nos significados adotados pelos outros canais, os significados de construção ou de destruição, os significados de entendimento, de obediência, de aceitação, de interatividade, de abertura, e muitas outras habilidades relacionadas ao pensamento que cada um tem em sua mente Guion. Visualizar as imagens que são externalizadas são processos muito específicos que também têm a sua temporalidade. Perceber-se como corpo, perceber os sons, perceber os movimentos, perceber as reações corporais. Cada canal tem o seu Nadra, e o Nadra compõe a interação entre os canais. É essencial que se entenda que o Nadra é uma expressão de integração, considerando, pois, então, o ritmo de tempo, de densidade, isto é, o tempo de presença daquele fator, daquele canal. A individualidade do canal representa também a capacidade daquele canal de se estender e ajudar outros canais. Estamos falando da capacidade que cada um tem em sua mente de lidar com suas próprias habilidades. A consciência, como um processo que se desenvolve a cada habilidade que se estende a ela, isto é, à consciência, precisa de ser treinada. É possível o treinamento dos Nadras, e os exercícios que se podem fazer para melhorar este auto-reconhecimento não são tão fáceis para uma mente pouco desenvolvida. Desta forma, ao propormos algum exercício, há que se considerar com humildade que esses aspectos extraordinários e não tão conhecidos da humanidade, possam ser sentidos com alguma dificuldade. Não querendo dizer que todos terão a mesma dificuldade, mas é preciso persistência, paciência e a isenção de julgamentos, pois, cada um tem em sua mente as suas limitações e elas só serão rompidas para o desenvolvimento na medida em que se entrega à confiança de si, na medida em que alcança o respeito integral e amoroso por si. Pois essas habilidades requerem níveis maiores de confiança, níveis mais assertivos de alcance do seu próprio ser. Os Nadras irão proporcionar impressões muito individualizadas. Não se preocupem com nenhuma questão relacionada à saúde, pois, desenvolver-se em uma habilidade só irá melhorar a interatividade orgânica, melhorando, portanto, a saúde, assim como acontece com qualquer habilidade desejada. Tocar um instrumento é bom para a saúde. Dançar é bom para a saúde. Ler é bom para a saúde. Ser um ser bom para si é bom para a saúde, etc. Os Nadras representam as diferenças entre as habilidades e é possível se desenvolver com esperança, com tempo. Nunca tenham pressa. Enquanto se espera, se sente, se reflete, se conclui, se abstrai, se inspira, e respira as coisas boas que existem em Kalamatsana, na sua visita ao seu corpo e aos seus novos interlocutores, aos seus novos vizinhos, aos seus novos amores, aos seus encontros com as possibilidades de se melhorar. Não importa quando, pois mesmo que se vá, irá se contentar com aquilo que se conseguiu, desde que não tenha traído a si e negado o seu suirsoma. Isto é fácil de perceber, que é quando o amor é reconhecido como parte daquilo que você faz. E por isso mesmo pode ser reconhecendo em sua vida se o seu suirsoma, por meio de suas luas, refletem esse amor requerido em suas vontades, por meio de suas ações, por meio do seu sentimento, por meio das suas luzes, das suas atividades, daquilo que você faz por si. Há um caminho específico para cada um, cheio de ramificações, cheio de Nadras, que são as diferenças de suas habilidades espelhadas em suas atividades. Aceite-se em qualquer atividade. Não se limite, não se reprima. Acolha as diferentes formas de ser, cada um acrescenta às outras demais, ampliando o seu interior, clareando o sentido da luz, e contribuindo de maneira prática e possível de ser reconhecido em seu ser.

Vamos a um exercício que precisa de uma explicação. Como os Nadras são as diferentes formas de ser de cada canal, de cada mentalização, de cada habilidade mental, de cada habilidade orgânica, física, de cada habilidade diante das atividades que você realiza, a mente Guion está presente e integra todas essas habilidades por meio da interação insciencial, que é o seu ser íntimo atuando para formar a sua consciência. E cada habilidade alcançada irá contribuir para isso. Os Nadras são como sombras mentais. Vamos entender a sombra Nadra. Quando você abre os olhos e vê imagens e que essas imagens, como todos sabem, são projetadas e convertidas em sinais neuronais, que são sinais elétricos, com frequências, densidades e influência eletromagnética, etc., esses sinais são gerados para a mente física e reconhecidos, cada um em seus locais específicos, resultantes de complexas redes de integração e interação no organismo físico, gerando, em consequência da interatividade insciencial, uma dimensão chamada de Guion. Guion não existe para os Intai como para os Aintai, porque é uma sombra. É como se fosse uma nuvem gerada no ambiente físico, mas uma sombra mental não é possível de ser definida por processos matemáticos. Ela gera o ambiente Guion de tal maneira que seus aspectos impressivos na consciência são indefinidos, eles são influenciados pelos canais de habilidades, que são os canais mentais. Uma luz na mente não é uma iluminação direta nos olhos. Então, é chamado de sombra. Alguns preferem a expressão como espelho, mas é mais do que um espelho, e mais indefinido do que o real. Ela se desfaz pelas influências Nadra, pelas diferenças de processos e de geração de tempo. Cada canal tem o seu tempo relativo. Esse tempo é gerado por associação orgânica e extrapolado pela interação insciencial, por meio da influência da memória, o que proporciona uma indefinição em sua formação. E por isso se um objeto se assemelha a muitas pessoas, a sua imaginação se diferencia completamente de pessoa para pessoa, pois a mente que comanda essa imaginação é capaz de modular a expressão desta imagem de tal forma que ela, para a consciência, ela pode corresponder, mas nem para o corpo nem para o processo insciencial ela se relaciona diretamente ao objeto imaginado. Desta forma, a mente que se configura, ela é absolutamente individualizada, entendendo-se, pois, a sombra como sendo um processo Nadra da mente e diferenciando de cada canal mental. O exercício a seguir é um exercício para esse Nadra, para ajudar a consciência acessar e aprender consigo algo sobre si. Este é o exercício. O exercício é nominado como a sombra de Nadra.

Você deve se sentar, como em muitas propostas de mentalização e meditação, buscando o relaxamento, e não se importando com aquilo que acontece em volta, buscando desligar-se, dispersar-se. Em dado momento, onde se sinta confortável, busque a inspiração lenta e a expiração lenta, relativamente controlada, isto é, com pouca consciência, mas buscando ampliar e tranquilizar o corpo e os fluxos respiratórios. Podes fazer isso por meio dos sibilados da respiração, se atendo levemente dispersos a eles, mas com atenção suficiente para não interrompê-los. Estando em estado tranquilo e respiração levemente aprofundada, há 3 propostas mentais específicas:

A primeira é desenhar um círculo de luz em sua mente. Esse desenho deve ser lento na primeira proposta. O que é desenhar lento? Você não vai se imaginar desenhando o círculo, você vai buscar enxergar a sombra desse círculo. A sombra Nadra. Essa sombra é uma imagem não real, mas uma imagem sutil e definida. Ela irá surgir com o treinamento. Inicialmente, ela não vai surgir na maioria de vocês. Por isso, é preciso ter humildade. É preciso crer em si, é preciso tranquilidade. É preciso amor e deixar que a sua mente expresse em seu canal mental um desenho lento na sua formação, até surgir todo o círculo. A influência mental e a vontade são essenciais para que, em algum tempo, em algum momento, essa imagem surja, e sabendo do seu surgimento não como uma imagem brilhante como aquela projetada quando se vê um círculo de olhos abertos e se fecha os olhos. A imagem resultante das impressões neuronais do estímulo da luz não faz parte da impressão Nadra de sua sombra mental. Ela se forma pelo poder dos canais de expressão, dos canais de habilidade, já explicados alguns deles. O exercício irá potencializar completamente as suas habilidades ao longo do tempo.

O segundo exercício é fazer com que o círculo seja feito mais rapidamente. Esse rápido há de ser bem mais rápido que o primeiro. Duas ou três vezes mais rápido que o primeiro, não tendo uma marca numérica para expressar com exatidão essa formação. Da mesma forma que se faz lentamente, você irá fazer bem mais rapidamente o mesmo círculo. Isso irá alcançar um nível mais profundo da sombra Nadra, considerando o controle de duas velocidades, pois os sistemas orgânicos irão se esforçar para gerar em Guion, as suas sombras Nadra. Elas são simplesmente importantes para a integração orgânica dos sistemas mentais. Delação insciencial, ou seja, o seu “espírito” voluntariamente se abre para o seu corpo, e o corpo se abre para o seu “espírito”, melhorando a influência que tem sobre si mesmo, por exemplo, como nos exercícios Icons.

 O terceiro exercício aumenta ainda mais esta profundidade Nadra de suas expressões. Você deve fazer com que o círculo surja instantaneamente em sua mente. Ele deve simplesmente aparecer pronto, inteiro, mas da mesma forma, na mesma intensidade, sem exercer influência orgânica alguma, simplesmente no âmbito Guion.

O surgimento do círculo de Nadra em sua luz mental irá contribuir para o seu desenvolvimento mental, das habilidades, das portas, dos canais de ação da sua mente pensante, dos seus sentimentos e das suas habilidades em perceber e crer em si. Esses 3 exercícios devem ser sempre acompanhados de leveza, de paz, de um sentimento bom de amor consigo e pelos outros, pelo ser que és, pelo momento em que estás em sua vida, trazendo ainda mais a sua força interior de dentro para fora, alcançando a luz do amor. Agradecemos. Paz e Amor.

Grupo: Perguntei se esses exercícios ou alguns desses exercícios podem ajudam na memória, na manutenção e revitalização da memória.

NA: Sim, eles podem ter influência nos processos de memória, que também é uma habilidade mental. Eles podem ter e têm influência grande.

Grupo: Nosso Amigo, muito obrigada, quero agradecer também. Três vezes tive problema sério com pessoas próximas da minha casa e nas 3 vezes solicitei sua ajuda e fui atendida prontamente. Eu moro no mato, em harmonia com a natureza, e temos tido problema com pessoas que vêm de BH fazer confusão e fazem coisa alto. Da última vez estava fazendo fazenda aula on line e não consegui por causa disso. Eu solicitei a sua ajuda e imediatamente o som deles deu problema e eles não conseguiram. Foram 3 vezes. Gostaria de relatar isso e de agradecer, que tenho certeza absoluta que os senhores vieram e acompanharam a situação e resolveram de uma forma boa. E sempre que eu peço, peço por amor e paz. Sua presença na minha vida tem sido muito forte e linda. Uma presença constante. Paz e amor. Agradeço profundamente.

NA: Igualmente agradecemos. Paz e Amor.

Grupo: NA, gostaria de falar sobre o exercício. Antes, queria perguntar. Você falou Nadra e Adra. Existe diferença entre as duas palavras?

NA: Pronúncia errada. É Nadra.

Grupo: Exercício: como outros que a gente faz, ele deve ser feito de olho fechado. Entendi certo?

NA: Sim.

Grupo: O ambiente escuro é mais propício para o exercício, em função das manchas mentais?

NA: Sim.

Grupo: E falou de 3 fases do exercício. Entre uma e outra fase, posso abrir o olho, posso fazer o processo que achar melhor, para poder diferenciar as fases?

NA: Os três exercícios devem ser feitos seguidamente, e não deve abrir os olhos entre eles.

Grupo: Então, faço, desfaço, faço outra fase, desfaço e faço outra.

NA: Faz uma fase, espere um pouquinho, faça a outra. Espere, faça outra.

Grupo: Notei a coisa do círculo é muito dominante, não sei se isso tem um fator nisso. As luzes mentais vêm na forma de círculo, e tudo se faz nesse formato de círculos. Tem alguma coisa a ver ou uma coisa natural, sem consequência?

NA: É natural. Veja, os olhos são uma mandala. A mandala é círculo. O círculo é uma forma perfeita, mesmo que ele não seja o círculo com um raio. Se ele é uma elipse, ele tem mais de um raio. Então, as luzes, elas são expressões às vezes de pontos. Às vezes uma célula gera um círculo, às vezes um órgão gera um círculo. Ele é concêntrico. Ele pode se ampliar quando ele se expressa, e ele pode ser absorvido, diminuindo o tamanho até gerar um ponto. O círculo representa ciclos da experiência. Espirais são círculos em movimento. As órbitas dos planetas seguem círculos ou círculos modificados pelo movimento, como na expressão das rotas, no movimento dos sóis, levando em espirais as elipses dos seus planetas. É da natureza o círculo e a sua expressão, como o som, como a luz, como muitas coisas da natureza.

Grupo: NA, durante o exercício, pode ser feito escutando música, ou não tem nada a ver?

NA: Pode, porque, de uma forma ou de outra, o canal auditivo é aberto e pode haver, como agora silenciamos o povo ao lado, naturalmente a interferência do som pode acontecer. Então, pode sim, desde que não se atenha ao canal auditivo. Deve-se dispersar o quanto possível daquela influência.

Grupo: Na verdade, não pode prestar atenção à música, né?

NA: Intencionalmente, não. Você deve tentar dispersar. Se não conseguir, paciência. Com o tempo você vai aprendendo a se dispersar dos canais.

Grupo: O exercício tem 3 fases, mesmo que na primeira, não tenha conseguido ver o círculo?

NA: Exatamente. Isso mesmo. Provavelmente não vai ver. Pode ser que veja, quem sabe?

Grupo: NA, primeiro, gostaria imensamente de agradecer. Fiquei com uma dúvida no exercício. Como se na primeira vez eu não consigo… Você falou que com o tempo essa imagem vai surgir, não é? Como vou fazer a segunda e terceira etapas, se na primeira etapa eu não consegui ver o círculo?

NA: Não conseguiu, passa para frente.

Grupo: Mas passar para frente é aumentar a velocidade. A minha dúvida é a seguinte: eu posso não ver na primeira etapa e conseguir ver na segunda ou na terceira?

NA: Pode. Tente as 3 etapas.

Grupo: Muito obrigado. Essa semana, a Xxxx e o Xxxxx fizeram um grupo para podermos editar as histórias do Nossa Amigo e o livro. O Xxxxx teve a ideia de pedir-lhe que fizesse um texto introdutório para essa publicação. Sou apenas o porta-voz. Ele pediu que vocês pudessem fazer esse texto introdutório.

NA: Faremos. Faremos a introdução em momento mais definido do processo. Agradecemos.

Grupo: Outra coisa que gostaria de pedir. A minha filha mais nova teve 2 experiências na exosciência no último ano que ela relatou que foram ruins, com espíritos ruins. Queria pedir acompanhamento para ela.

NA: Assim faremos. Agradecemos a oportunidade.

Grupo: Muito obrigada pela presença, estava com muita saudade. Desde que comecei a fazer o Pina 1, que foi o primeiro exercício que eu fiz quando entrei no grupo, é muito comum eu fechar o olho e enxergar um círculo no meio. Ele é escuro. É como se fosse um grande biscoito. E ao redor dele é mais claro. Vejo também vultos de pessoas. E uma vez esses vultos esticaram o braço e apontaram uma direção para mim. Eu queria saber se esse é um círculo Nadra. Uma outra pergunta: na primeira fase do exercício, você falou que é para formar um círculo na cabeça da gente pela sombra. Eu entendi que a gente não desenha um círculo que é brilhante, mas que ele vai se formando pela sombra que vai aparecendo. Estou certa?

NA: Com relação à primeira pergunta, não é um círculo Nadra porque é uma habilidade a ser desenvolvida. E, normalmente, as projeções com presenças, como é o caso que você teve, é um acesso exosciencial. É mediunidade sua, na sensibilidade de aceitar as projeções. Isso pode ser desenvolvido também. Mas, agora indo para a segunda, a sombra não é entendida como sombra. Ela é uma iluminação um pouco diferente. Se assemelha às luzes de interação, só que são mais estáveis e estão relacionadas aos canais mentais. Ela deve surgir. Provavelmente você pode ter sensibilidade a fazê-la mais rápido. Vamos ver como vai acontecer. Você verá a diferença. A sombra Nadra, ela é uma iluminação específica, mental. Ela é diferente dessa projeção que você descreveu, por exemplo, como a imagem de um biscoito. Ela não teria esse caráter associativo. Ela é desassociada, ou seja, sem ligação específica com a imagem e sim com o estímulo mental mais profundo dos canais mentais. Vamos ver como você vai conseguir.

Grupo: Mas aXxxxx perguntou se ela não ver o círculo, se ela passa para o segundo e depois para o terceiro. Mas o que eu entendi é que a gente tem que imaginar o círculo. Então não é imaginar. É esperar que ele venha?

NA: Ele vem. É esperar, que ele vem. Você não vai fazer uma imagem. Você vai esperar. Ele vai surgir no exercício. Se você fizer a imagem, você vai utilizar canais de imaginação da luz. Aí você está usando um canal específico de habilidade. As sombras Nadra, elas surgem por você estar propondo a ela que ela surja. E ela vai surgir. É um exercício mais profundo, que na maioria das pessoas, pode demorar. É preciso confiança, é preciso paz, é preciso crer que a sua luz vai surgir. Essas condições são da natureza da profundidade e da falta de exercício especificamente. Imagine seu aluno que vai fazer a primeira aula. Você não tem a expectativa de que ele saia tocando, se ele nunca tocou. Então, você vai mostrar, você vai explicar e ele terá que encontrar por si a sua explicação e o seu desejo, que isso se formará na mente dele. A vontade dele e a intenção irá conduzi-lo a ativar mentalmente essas habilidades. É algo nesse sentido.

Grupo: NA, gostaria de falar sobre a estabilidade dessa sombra. Então, é um círculo estável, né? E apesar da gente não formar o círculo através de alguma habilidade, entendi que é importante buscá-lo, que é diferente de formar.

NA: Isso mesmo, e você tem que esperar que ele desenhe lentamente. É o primeiro exercício. O segundo, rapidamente, e o terceiro, instantaneamente.

Grupo: E a prática dos exercícios dos canais, uma coisa pode ajudar mutuamente a outra, não é isso?

NA: Pode ajudar, ajuda. Vamos deixar um pouco claro, que, quando você não realiza os outros exercícios, não há interferência na realização dos exercícios outros que você fizer. Ou seja, não é necessário fazer todos os exercícios, porque você teria que ficar o dia inteiro fazendo esses exercícios. Não é esta a proposta. A proposta é que a cada momento você conheça as experiências, e elas podem ser repetidas quando você tiver necessidade ou desejar.

Grupo: Gostaria de fazer mais uma pergunta. Sobre o exercício do Pina S. Há umas 2 semanas, eu ouvi um zumbido. Eu tenho tido zumbidos no ouvido. Um deles foi muito forte e atravessou de um lado para outro e me deu uma sensação de uma outra realidade. Eu fiquei um pouco preocupada e acabei não fazendo mais o Pina S, por causa dessa reação muito forte. Tem alguma conexão ou foi uma reação independente do exercício? Você poderia me dizer?

NA: É possível que tenha alguma conexão, mas não tenha medo. Não tenha medo, não há fatores negativos interferindo. A reação de cada um, que não seja dolorosa, ela pode ser respeitada, não a entendendo como empecilho para fazer. É até possível e provável que não se repita. Mas, cada estímulo não está mobilizando a sua mente e seu corpo às percepções, à sensibilidade? É natural que algumas situações possam ocorrer, como pruridos, como sons, ou até o sentido gustativo. Expressar alguma coisa, sentir um perfume, ou um tremor leve nas mãos, coisas que são da experiência individual. Não podem ser previstas, mas são sempre razoavelmente leves.

Grupo: É que essa foi um pouco intensa. Não sei se foi uma coincidência, mas eu cheguei a ouvir umas vozes que eu não sei se são daqui ou do campo insciencial ou exosciente.

NA: É natural. Não tenha medo.

Agradecemos a todos. À medida em que cada um esteja buscando a luz do amor, na medida em que cada um esteja confiando em seus projetos, em seus trabalhos, em suas ações com as pessoas, ações de respeito, ações de tranquilidade com a vida, poderá colher os frutos desse amor, dessa tranquilidade, exercendo uma força na experiência suirsômica, que aprofunda o seu bem-estar, que aprofunda o seu sistema imunológico, que aprofunda a experiência de estar em paz e em amor. Assim seja. Paz e Amor. Paz e Amor. Agradecemos. Mnahrkiwon!

Leave a Reply