Encontro Semanalonline

Suirsomas e a luz dos Ranamás

Paz e Amor.

A experiência da duplinação é uma experiência recorrente, em que o engajamento do ser silosciente Aintai se submente ao confinamento consciencial, proporcionando uma integração entre sua insciência e um organismo físico, a ser preparado para cada um. É um projeto que visa o desenvolvimento e a superação de limitações resultantes das imperfeições, das distorções e das características existenciais de cada um. Há muitas formas de se eleger o ser silosciente em um engajamento tão profundo e tão necessário para cada um. Cada um tem um perfil, uma forma, um alcance, um limite e características tão próprias, quanto tudo que existe no mundo material. A vida duplinada é um projeto, é uma proposta, é um entendimento, é uma experiência, em conjunto com os Ranamás, que são aqueles orientadores que proporcionam atendimento específico para cada um. Toda a preparação pré-duplinação está sob a responsabilidade de um Ranamás. O amor e a benevolência nas mãos de nossos irmãos Ranamás proporcionam a todos os seres humanos, sem exceção, desde seus primórdios na Terra, a orientação de suas duplinações e seus tratos, formando e configurando a experiência de estar presente fisicamente diante de si e de todos os outros. Os estados de necessidade são avaliados pelos Ranamás. Cada um tem a sua necessidade e a sua condição para estar vivenciando uma experiência duplinada. Há um contrato, há uma combinação, há um trato, há um planejamento em torno de cada experiência de duplinação. Cada um opta como quer vir, o que quer enfrentar e faz a sua proposta, e desenha o seu futuro como se fosse uma previsão. Essa combinação tão importante para cada um chama-se Suirsoma. Suirsoma é o horizonte da experiência consciente. Suirsoma é o acompanhamento dos Ranamás. Suirsoma é o seu karma, é o seu caminho, é a sua tendência. Suirsoma é o seu destino. Aquilo que você combina com seu Ranamás para cumprir em sua vida. Entretanto, a duplinação confina as informações de seus suirsomas. A priori, não será possível pré-antevê-los. O suirsoma é um segredo, mas de conhecimento do seu subconsciente, e com graus de liberdade, com algum conhecimento do seu organismo. Como a experiência duplinada supostamente começa do zero, o zero já é a carga total do seu suirsoma. Ele já age por meio do seu subconsciente e do seu organismo físico. E faz sempre três tentativas em cada alvo. A primeira tentativa é de reconhecer a sua essência de amor em seu eixo consciencial. A segunda tentativa é de reconhecer a si em seu próprio organismo. E a terceira tentativa é encontrar-se diante dos outros. O suirsoma é uma suspeita, uma intuição, são insights, reconhecimentos, sentimentos, são dicas. O suirsoma é o seu objetivo de viver. Mas, não encontra-se em sua consciência. Não é possível afirmar qual é o seu destino. O suirsoma é uma característica da implementação da sua experiência, baseada nas referências de memória, nas configurações do perispírito, a sombra e o espelho, de outras duplinações. O suirsoma é a continuação, a impressão que tens de felicidade, de dor, de angústia, o peso de cada dia, a extensão das tarefas. Suirsoma é a essência do que pretende ser. É possível encontrar o seu suirsoma. A todo instante ele se revela escondido de si, porque não consegue se expor claramente, por estar confinado. À medida que cresce o ser em seu organismo físico, o suirsoma vai externalizando através de muitas formas de expressão e promoção dos ajustes do universo, ressincronizando, reincronizando a consciência aprendiz em seu corpo, em seu organismo, dando dicas, dando imagens, impressões, sensações, e especialmente, proporcionando o sucesso quando o subconsciente emparelha o suirsoma na experiência da consciência, trazendo de volta habilidades e coincidências, repetindo erros, repetindo acertos, demonstrando se o caminho está correto, se o caminho não está correto. Suirsoma pede a você: Observe-se, aprenda consigo. Estejam atentos às luzes daquilo que tendes a ser. Aceite-se como és, pois o suirsoma é o que és. Não poderias ter combinado algo fora daquilo que tens a oferecer para si mesmo ou para si mesma. A experiência da luz própria é apenas a percepção da proximidade do seu eixo consciencial, da sua luz de amor e daquilo que viestes a fazer nos mundos duplinados. Confiar em si é estabelecer parâmetros para o subconsciente revelar, mas a ignorância pode fazer se perder do seu suirsoma. Muitas vezes, estarás cada vez mais distante do que viestes fazer, se não prestares atenção naquilo que és para si e para os outros. Confiar em si estabelece parâmetro para as paridades da suirsomia. As sombras das necessidades, as sortes e os acertos podem ser revelados para si próprio ou para si própria, quando tendes a observar a si. A imparcialidade do amor incondicional pode trazer consequências de redundância para o suirsoma se tornar presente em suas jornadas experimentais de vida e corpo. E quase sempre, quando saíres da trajetória de seu suirsoma, sempre haverá anteparos e proteção, desde que perceba a si e oriente-se pela sua sensibilidade. Aquele que se abandona, abandona também o seu suirsoma. Aquele que escolhe os caminhos turvos da arrogância, do medo, da violência, da tirania, do orgulho, da vaidade, afasta-se das suas origens combinadas com os seus Ranamás. Não há moralismo em optar-se pelos bons caminhos, mas, certamente, sentirá os seus desvios morais quando perceberes as escolhas escuras e escusas, se forem essas escolhidas. O suirsoma pode até desaparecer, propondo um novo começo. Mas, os Ranamás, em sua infinita justiça, abrem todos os espaços para todas as experiências. E as retomam de onde elas estão para continuar em outras jornadas. Então, não desista, pois, de fato, poucas experiências podem retornar às estacas iniciais, quando alguém desiste. Persistam. Confiem em seus corações e em suas inteligências. Sintam e observem as luzes que guiam os seus passos, as suas decisões, as suas escolhas e as suas justificativas. O suirsoma não é um ser. O suirsoma são as suas decisões. O suirsoma é a luz da oportunidade, engendrada na vida de todas as pessoas para que elas em momentos específicos a tenham como um guia que orienta e que introjeta em seu ser o reconhecimento do seu esforço, o esforço de viver confinado na experiência orgânica. Estejam cientes de si. Por esses motivos e outros estamos a demonstrar a importância da mente e de seu alcance dentro de si, conseguindo aproximar-se de sua própria essência para trazer a luz da consciência, a consciência que se desenvolve e proporciona seguir em frente, a encontrar a luz do amor incondicional. Paz e Amor. Paz e Amor.

Agradecimentos.

NA: Igualmente agradecemos, Paz e Amor.

Grupo: Qual é a relação entre os Ranamás e os acompanhantes que temos aqui?

NA: Paz e Amor. Os Ranamás não podem ser vistos pelos acompanhantes, à exceção se houver algum acompanhante com determinado nível de desenvolvimento, suficientemente alcançável, ou disponível para alguma questão, o que é muito raro. Os Ranamás estão em outro patamar vibratório, não sendo percebidos pelos “espíritos” comuns.

Grupo: É como se os Ranamás vibrassem numa frequência que não é acessada pelos espíritos.

NA: Isso é apenas uma analogia, pois as expressões vibratórias são complexas e multi associadas, não tendo resultantes específicas para parametrizar uns e outros. Assim, os Ranamás estão fora de alcance. A exceção é quando eles próprios desejam se manifestar para esses acompanhantes.

Grupo: Eles não são humanos?

NA: Não sãos humanos.

Grupo: Mas, podem se apresentar como humanos?

Grupo: Eles podem entrar em contato com os acompanhantes…

NA: Procurem compreender que o nível humano para os humanos, pois comparações tornam as explicações mais complexas, e não se pode dizer que eles aparecem ou desaparecem, pois, as situações não são tão simples.

Grupo: Esses espíritos que nos acompanham também têm Ranamás deles?

NA: Ranamás não são acompanhantes de ninguém. Ninguém tem Ranamás. Os Ranamás atendem em situações específicas relacionadas à duplinação, à deduplinação, e a muitas outras situações, e muitas vezes, multiplamente. Não existe um Ranamás para uma pessoa. Ninguém tem um Ranamás. Cada um tem a si. Os Ranamás atendem com a sua generosidade, com o seu amor, a espectros de necessidades que podem variar de um indivíduo em sua vida, ou de grupos, em seus momentos, ou de indivíduos em seus momentos, pois, todo o processo exige um grande acompanhamento. Grupos de Ranamás podem atender a uma pessoa. Um Ranamás pode atender a grupos de pessoas. Grupos de Ranamás, duplas, trios, etc, podem atender a situações específicas, a indivíduos diferentes. São escolhas dos próprios Ranamás.

Grupo: xxx pergunta se os Ranamás escolhem as famílias em que os indivíduos duplinarão.

NA: Cada um escolhe a sua trajetória. Os Ranamás contribuem com esclarecimentos e encorajamentos, proporcionando o melhor possível da duplinação e da deduplinação.

Grupo: E eles auxiliam nessas intuições em relação aos Suirsomas, ou é o nosso subconsciente que tem esse papel?

NA: Metaforicamente, o seu eu íntimo, a sua senciência íntima conhece o seu suirsoma. E pode distribuir para o subconsciente ou para o organismo, ou ainda para a sincronicidade do universo.

Grupo: Do tipo: o que é seu às tuas mãos virá?

NA: Se você confiar.

Grupo: xxx já está ….. neste momento, ela pede luz …

NA: Já estamos atuando e assistindo. Agradecemos as considerações.

Grupo: Eu tive sonho, não sei se é sonho ou outra coisa. Isso seria uma informação? Vem do meu inconsciente?

NA: Relate o sonho.

Grupo: Deitei, tive dificuldade de dormir, tive um clarão, e vieram cores e imagens de santos, não sei. Tentei entender porque a imagem é muito próxima da que a gente vê, mas às vezes tenho essas coisas. É a segunda vez que sonho que vem imagem que parecem santos. Sempre acontece às vezes estou dormindo, ouço barulho, estalo, tenho consciência que vai acontecer alguma coisa, e aí vem, rostos muito diferentes dos que tenho …

NA: Você consegue interagir?

Grupo: Hoje eu tentei, perguntar quem eram e queria continuar o contato, mas vai da mesma forma que chega e acho que adormeço, nunca acordo e fico pensando, sempre durmo. Às vezes, no dia seguinte vou lembrar. Minha dúvida é se eu que estou produzindo, ou se isso está acontecendo.

NA: O que dá no mesmo, porque o que acontece não é uma via única. Mas, de duplo sentido. Normalmente, a mediunidade se manifesta fora do controle e vai aos poucos manifestando como algo a ser desenvolvido porque relaciona à sensibilidade a situações possíveis de suas manifestações. Portanto, assemelha-se a estágios a serem desenvolvidos de sensibilidade mediúnica. Procure sempre manter-se calma e não tenha medo. Avalie sempre o seu estado de saúde para que tenha leveza para se desenvolver.

Grupo: Realmente eu passei um período muito ansiosa, teve uns acontecimentos, e eu mesma não estava entendendo a ansiedade, e interfere no corpo físico, medo de doença e entro na bola de neve. Daí descansei, e veio essa imagem, muito boa e bonita, e no dia seguinte eu levanto bem e isso faz eu não ter medo, achar que é uma coisa boa.

NA: Muito bem. Propõe-se então que esteja atenta ao desenvolvimento de processos mentais de autoconsciência, concentração e autocontrole, para ajudar a estabelecer inclusive os momentos pertinentes para o desenvolvimento destas habilidades. Sempre há determinados sinais, por exemplo, pode ser especificamente em determinado contexto de tempo, local e até de temperatura, mas alguns sinais corporais podem demonstrar habilidades e desdobramentos que podem acontecer nos intervalos de sono, ou durante o sono profundo, as chamadas viagens fora do corpo, em que as camadas dos centros de energia se expandem e os fílens formam um contexto de espelhar a ligação dos corpos sobrepostos a se desdobrarem, formando a iluminação de fílens que é chamado de cordão de prata pela intensidade da luz concentrada. As projeções podem também ser expressão da própria sensibilidade em contato multidimensional. As ressonâncias selidentes promovem ressonâncias mentais que reverberam em luzes de interação, essas que estamos exercitando, que também podem ser exercitadas e estudadas. O auto-estudo é auto-observação e o aprendizado transdutorizado do organismo às vezes até para a linguagem, dotando de determinados conhecimentos passados para a consciência. Assim, alguns sinais corporais, como a sensação de anestesiamento ou vibração, ou ainda vibrações rente à pela, ou acima, à frente dos centros de energia podem demonstrar sensibilidade e se externaliza em sonhos. Portanto, dada a diversidade das situações, é possível que se observe e de preferência faça anotações com os dias e os horários e se possível descreva o que acontece. Esse material registrado irá contribuir para a sua racionalização. Do contrário, a racionalização pode ser infrutífera por conter emoções e impressões não memorizáveis, ou de memória volúvel, o que lhe impediria de lembrar depois de algum tempo. Paz e Amor. Estamos ao dispor, na medida em que nos acompanhe para proporcionar alguma orientação. Agradecemos. Paz e Amor.

Grupo: O que aconteceu na minha visão, os raios que saíam e eu via começar a sair raios do olho, vi um vidro quebrado, depois tampei o olho, vi vários prismas, caleidoscópio, falou que é processo normal do olho humano. Antes disso, tinha facilidade de ver as cores, não sei se eram do campo da visão, porque senti que depois do fenômeno, tive dificuldade, ou criei dificuldade. Fiz o exercício e tive dificuldade de ver as luzes, veio imagem de um olho que variava as cores, só uma vez. Tem uma ligação ou eu mesma fiquei tão achando que tudo era da visão sofrendo um processo…..?

NA: Como já descrevemos, as interferências orgânicas são altamente relevantes porque criam também reflexos por distorcerem campos eletromagnéticos e eletrofis e até por alguma disfunção ou transformação orgânica pode fazer reflexos de iluminação, de áreas separadas com manchas que são reconhecidamente típicas da estrutura orgânica. Mas, é possível discernir as luzes de interação pelo caráter específico de sua coloração, não sendo uma coloração possível no ambiente físico, contendo ressonâncias ultra-violetas, acima, ou grupos de ressonâncias com determinadas faixas de cores não encontradas no campo visual comum e a sua dinâmica de surgir e, estando relacionado aos fílens, tem uma fluidez em dois sentidos, uma descontinuidade extremamente ágil ou uma fluidez de degradês incomuns para a experiência visual. Mas, é comum a interferência, como já descrevemos, da fisiologia e da estrutura de alguma interferência de mudanças orgânicas, como alguma agressão às estruturas celulares, ou inflamações ou organismos bacterianos ou viróticos, que interferem e podem provocar espelhamentos, imagens quebradas, manchas que são conhecidas e, em sua maioria, típicas. Paz e Amor. Observe e procure descrevê-las o melhor que puder. Agradecemos a oportunidade.

Grupo: Eu queria pedir acompanhamento pós-cirúrgico do xxxx, é simples, e pedir que corra bem a recuperação.

NA: Assim seja, agradecemos a oportunidade.

Grupo: Queria pedir uma mensagem algo sobre a tosse da xxxxx.

NA: Paz e Amor. Vamos apenas sugerir que façam chá para a criança, de camomila, e que ponha uma pequena pitada de sal e que se possível incluir o gengibre, com um corte fino da raiz, no chá e espere ficar morno. E estaremos atuando dentro de nossas possibilidades. É essencial que não se interfira mentalmente construindo uma espécie de rejeição à situação. Pois, parte dessa situação relaciona-se à reação da própria criança às situações e impressões não conscientes evidentemente. Então, a priori, mantenha-se atenta a mudanças relacionadas à temperatura e aos detritos no ar, por questões alérgicas. Creio que não diferenciaremos daquilo que dizem os médicos. Portanto, que estes tenham a prioridade. Agradecemos. Paz e Amor.

Segue-se na essência de cada pessoa, aquilo que fazes com a sua própria vida. Observe a si naquilo que a vida sempre repete e traz de volta como faz o mar. Aquilo que jogas e não quer. Mas, aquilo que se traz de volta. Pois, cada um em seu suirsoma, é sempre jogado para próximo do seu eixo consciencial, a sua essência de amor. Agradecemos. Paz e Amor. Paz e Amor.