Encontro Semanal

Orientações

 

Paz e Amor.

 

Todos os seres possuem formas diversas de orientação. Muitas vezes, mira-se um alvo, traça-se um destino, encontra-se uma fórmula, aceitam-se opiniões, conduz-se a vida baseada em preceitos, em tradições, em sistemas técnicos, e quase sempre em vários sistemas diferentes, mesmo sendo frequentemente antagônicos. As orientações formam elos e encadeiam comportamentos, pensamentos, e sentimentos. As orientações determinam se o norte é para um âmbito ou se aponta para algo específico. Cada um constrói suas próprias orientações. Muitas vezes, as orientações se mostram desorientadas porque não estabelecem referências estáveis, uma vez que o ser não consegue construir sua referência de forma contínua. Ao se estabelecer pontos-guia para seus sistemas, não se pensa em coerência entre os diversos sistemas. Os sistemas são orientações diferentes. Enquanto uns se atêm a preconceitos, outros formatam novas ideias. Enquanto uns determinam uma finalização da vida, outros estão prevendo a reconstrução de uma nação. As instruções, as compreensões, as limitações, as imposições, são sistemas de orientação. Evidentemente, a humanidade se multiplica por não ter orientação. Se destrói por falta de noção, por não ter orientação. As orientações relacionam parâmetros de processos de toda espécie, de toda ordem, incluindo as tecnologias e os aprendizados. As orientações acontecem nos planos de mágnem, de forma ampla, atingindo núcleos dos chamados espíritos, os seres Intai. As orientações transmigram de dimensões não físicas para dimensões físicas levando toda espécie de parâmetro para os seres humanos, ultrapassando o âmbito dos seres humanos. A vida de uma forma geral é sinalizada para gerar orientação, sendo pois as orientações referências básicas para cada um, ser vivo, sejam microscópicos ou não. Tudo isso que dizemos é o óbvio ululante, mas há facetas das orientações intimamente relacionadas aos processos inscientes e mais profundamente ligados à existência prévia de cada um dos seres humanos. A importância das orientações nos faz especificar parte de todo o processo que estamos expondo para reestruturar todos os processos expostos, para que possam ser utilizados livremente por cada um. Muitas ideias preconcebidas, muitas formas de dizer algo, reestabelecem ligações entre coisas, com níveis de complexidade que exigem maiores aprofundamentos. Nem sempre isso é possível e, assim sendo, as orientações nos fazem requerer resumos e níveis de explicação interassociada com experiências humanas e conhecimento não-humano. É bem esperado que haja diferenças de interpretação, não querendo dizer se elas são corretas, distantes das exposições intencionadas, ou apropriadas aos devidos ambientes e pessoas. No centro dos processos de orientação reside, de forma imutável, a incondicionalidade do amor. O amor não é apenas entendido como sentimento, mas como referência de orientação acertada com o universo nos ponteiros das transformações das coisas em situações legíveis para a inteligência processar experiências de vida que construam desenvolvimentos conscienciais à altura de todos os seres humanos. Estamos a ponto de estender muitos dos trabalhos, pois fenômenos necessários estão prestes a ficarem mais evidentes para a população comum da humanidade, onde as experiências individuais precisarão de um alcance consciencial voltado para o auto-reconhecimento e para a salvaguarda de outros – os outros são aqueles mais fracos, mais necessários à vida dos mais fortes. Mas, a ignorância ainda reina ao nível dos considerados mais fortes e mais poderosos, e esses poderão se atrasar, o que pode trazer para eles retornos indesejáveis. Os outros são os mais fracos, mais hábeis, com acessos multiplicados advindos das experiências de enfrentamento, de cotidianos violentos, e sem parâmetros de orientação. Quando falamos a respeito desses estados, pré-temporais, não quer dizer uma leitura do futuro, mas constatações do presente, onde muitos se iludem com o medo, com a fantasia desorientada, com a falta da presença do altruísmo, e com a força de variação das negatividades em torno do planeta, trazendo instabilidade e mais desorientação para muitos que não se ligam ao amor. Essencialmente, precisamos estabelecer que as oirentações são absolutamente acessíveis às pessoas comuns, pois todas elas em seus pensamentos fazem orações e pensamentos positivos, reconstruindo parte significativa do mágnem, com influência dos fluxos do verde negativo, associando-se a processos de destruição e de auto-destruição. É possível e acessível que os fluxos da energia do amor, que crescem a cada dia, se ampliem a partir do atendimento pessoal, desvinculado e altruístico, entre os seres humanos. Os outros estão a cada dia transitando na frente e em torno dos ambientes de cada um. Sejam leves, sejam amáveis consigo mesmos. Abram os corações às urgências do amor incondicional. Não é preciso, na maioria das siutações, fazer nada que não seja sorrir, abraçar, compreender, ser tolerante e estar isento dos preconceitos mais radicais, pelo menos, e que seja paciente consigo em suas dores, sem cobrar de ninguém, sem lembrar dos momentos ruins, sem guardar mágoas, sem levar para os recantos de solitários indiferença e transgressão. A violência cresce, mas o amor cresce em dobro. Para cada dor, de cada vítima, multiplica-se a compaixão e a compreensão de uma humanidade que precisa se transformar imediatamente. Não há mártir nem salvador. Não há heróis, muito menos anjos ou outros que possam substituir a sua compaixão. Seja simples em seu coração. Encontre-se e encontre-se também com os outros. Não é preciso criticar, não é preciso sobrepor uma voz à outra. Com humildade, soluciona por si os fluxos negativos do seu coração. Apenas compreenda e aceite os seus próprios desafios, sem torturar ninguém, sem impor condições à vida, sem transpassar ideologias ou formas coletivas como se fosse a voz que resume as soluções. Nada é preciso. Apenas ser compreensivo. Seja amoroso com a vida. Ame a si, aceite-se e construa com leveza e lentidão, pois o tempo é muito mais áspero em sua transcendência, porque repentinamente ele já não existe. A humanidade nesses próximos cem anos, provavelmente enfrentará transformações de âmbito profundamente físico, pois, muitas situações cósmicas estarão trazendo influências que poderão reduzir a densidade do mundo físico proximal, em pelo menos um terço de sua densidade atual. Muitas transformações também acontecem nos horizontes conscienciais. É preciso muito amor e muita paz em cada coração e em cada mente. As tecnologias poderão substituir muitas coisas, mas não irão substituir a sua consciência. Portanto, cada realidade deve acordar para suas orientações, para onde estás caminhando. Paz e Amor. Paz e Amor.

Agradecimentos gerais.

Grupo: Agradeço, mais uma vez peço pela casa, pelo bairro, espalhe o amor por essa região.

NA: Agradecemos a oportunidade. Assim seja.

Grupo: Apresentação da xxxx. Seja bem vinda. Paz e Amor.

Grupo: Falou da consciência. Como somos todos interligados, nós dependemos todos da iluminação da consciência de todos? por isso é tão difícil manter uma consciencia maior?

NA: o inverso da consciência é a inexistência no mundo físico duplinado. As referências em torno de cada um modificam a consciência na medida em que se amplia, se transformando em ligações; os outros complementam aquilo que é a sua experiência consciencial. E se não houver um equilíbrio entre a consciência de cada um e a consciência coletiva, o ser se transforma em um ser egoísta, individualista, indiferente, etc.

Grupo: Mas eu não dependo diretamente de que um ser egoísta para o meu desenvolvimento? (algo assim)

Grupo: Falei algo sobre as diferenças entre budismos.

NA: Independentemente das versões de cada religião, o ser humano depende de si e depende dos outros. Tanto diretamente, quanto indiretamente. Não adianta muito ajudar aos outros sem perceber a integração entre a sua consciência e o efeito do seu ser em si mesmo. Os outros participam daquilo que você é, e o que você é participa daquilo que os outros são. Na medida em que descobrir a si e ajudar aos outros irá descobrir a si e irá ajudar aos outros.

Grupo: A história da máscara do avião. Primeiro põe a sua, para depois ajudar o outro.

NA: Às vezes, ajudar pode ser o primeiro passo. Não há uma ordem porque um é o outro e o outro é um. A relação entre descobrir a si e a confiança relaciona-se diretamente às orientações desde o começo da vida. Não há certo nem errado. O ser descobre por si e se não descobrir, será ignorante. Muitas vezes, passa-se uma vida sem descobrir a si ou sem descobrir aos outros e, assim, ignora a si e aos outros. O egoísmo é ignorar aos outros. Mas, é possível descobrir aos outros para descobrir a si e, muitas vezes, é um caminho melhor do que descobrir a si para descobrir aos outros. Talvez o caminho mais equilibrado é descobrir a si enquanto descobre aos outros.

Grupo: Engraçado, a referência precisa estar no encontro e não em si ou no outros.

NA: Não na ideia, mas na experiência. Viver a vida. Ser altruísta quer dizer respeitar a si, amar a si, respeitar a si e aos outros.

——————————-

Mensagens para pessoas

——————————-

Atendimento pessoal.

——————————-

NA: Paz e Amor. Orientar-se para a vida, orientar-se para si, orientar-se para os outros, com os outros, com a vida, consigo. O amor é a referência de orientação para a vida. Aceitar-se, descobrir-se, dialogar com o seu ser, esperar, persistir, confiar, entregar-se. Não é preciso prescrever o que vai acontecer. Aceite o que já acontece. A vida é bela. Que seja bela através do amor. Paz e Amor.

Agradecemos.