Encontro Semanalonline

Canalização mental

https://img.ibxk.com.br/2018/04/11/ligados-ao-nucleo-11162600001284.gif

Paz e Amor.

Começaremos a entrar em um aspecto de importância para o processamento mental, inicialmente diferenciado do habitual: a divisão de canais de acesso mental possível aos seres humanos, baseado em treinamento. Iremos apresentar um exercício na sequência dos exercícios Pina. Este é chamado de Pina C. Vamos discorrer sobre o processo mental humano baseado nas canalizações. A mente humana normalmente se apresenta para os seres humanos mais frequentes, isto é, comuns, sem habilidade mental desenvolvida, o que é denominado de monocanal. Mas, é possível duplicar, triplicar, quadruplicar os acessos mentais. O treinamento irá selecionar regiões mentais associadas à visão, associadas ao órgão vestibular, do equilíbrio, como já está sendo tratado, e associado a multicanais, possibilitando uma abertura de 20%, inicialmente, das condições “normais”. Frequentemente, os chamados médiuns acessam dois ou três canais mentais, sem o domínio específico, pois não se compreende a mente do chamado médium como sendo uma divisão de canais de acesso mental. O que será possível depende de cada um. É possível que alguns acessem os canais e outros não consigam acessar. Sempre deixamos claro que as diferenças individuais não especificam modelos padrões para todos, muito menos o não desenvolvimento para alguns de vocês. Isso quer dizer que mesmo que você não compreenda ou não acesse os seus canais mentais, isso não quer dizer que eles não sejam acessíveis por você. Ou seja, você provavelmente demorará mais tempo. Então é necessário respeitar o processo individual. Cada um tem o seu desenvolvimento, e ele não quer dizer melhor ou pior em nenhuma circunstância.

Pina C: A mente humana é desenvolvida por associações corporais-mentais, ou simbólicas- mentais. Outros processos são menos comuns. As associações mentais, portanto, se dividem em canalização e associação com linguagem ou com grupos orgânicos. Por exemplo, psicomotor, grupos psicomotores, grupos afetivos, grupos emocionais, grupos orgânicos, propriamente, envolvendo grupos de estruturas de organismos. É possível estruturar, inicialmente, os grupos de canais. Os canais, normalmente, são associados aos processos visomotores ou visuais internos, como é o caso dos fluxos de interação, as luzes de interação, juntamente com sistemas de sistemas de paridade. O exercício Pina C consiste em separar níveis de canais direito-esquerdo relacionados à dominância hemisférica e à ligação entre direito-esquerda, influenciados pela absorção dos fluxos luminosos de interação pela Pineal. Essas associações são naturais porque há uma distribuição baseada no desenvolvimento e uso do organismo físico. Algumas pessoas se desenvolvem, baseadas no hemisfério esquerdo, enquanto outras, baseadas no hemisfério direito do cérebro. Os sistemas idáricos de memória não apresentam dominância como apresenta o organismo físico. Portanto, o sistema de memória de locação Ídar está diretamente associado àquilo que o organismo como um todo se apresenta na coleta do sistema de memória. A percepção, portanto, se vê associada ao lado funcional do órgão ocular, tendo esta forma projeções específicas no âmbito do sistema pineal. As projeções regularmente se apresentam monódicas, por falta de treinamento específico. Mas, essas habilidades são funcionais, como processos de habilidade, ou seja, no desenvolvimento de todas as habilidades, os canais se apresentam como forma de acesso para melhoramento, para o acuramento dos processos específicos. Exemplo: um sujeito que jogue bola tem o desenvolvimento dos canais específicos para tratar as habilidades desenvolvidas no âmbito geral. Isto é, aquele que tem mais habilidade, certamente, estará usando dois ou mais canais sem saber que os está utilizando. Uma pessoa que execute instrumentos, especialmente instrumentos que exijam divisões de tempo ou noções harmônicas, viso-harmônicas, viso-motoras, irá precisar da solicitação de pelo menos três ou quatro canais. Os canais mentais na natureza cerebral não são parte do processo da consciência, mas manifestam-se como únicos, ou seja, como se fosse na mente consciente. Mas, geralmente, são atributos do subconsciente. Quando se desenvolve conscientemente tais propriedades mentais, possibilita o rearranjo mental e o maior desenvolvimento desses canais. Pina C então fornece uma primeira oportunidade de auto-identificação de seus próprios canais mentais. Apresentaremos 2 exercícios, um neste encontro e outro no próximo encontro. Então, vamos denominá-los de Pina C1 e Pina C2. Pina C1 será apresentado neste encontro, Pina C2 será apresentado no próximo encontro.

Pina C1 consiste na identificação mental de 3 âmbitos da atividade mental. Então, inicialmente, fecha-se os olhos, com os pés juntos, em pé, em ambiente propício, sem interferência externa o quanto possível. A proposta é identificar o primeiro canal, que é o canal do olho esquerdo. O objetivo é treinar enxergar as cenas de Guion, ou seja, o ambiente mental, seja como for, apenas localizando nos olhos esquerdos, no plural, pois são vários de vocês. Ou seja, olhando através do olho esquerdo. O olho direito deve ser mentalmente desprezado, Você deverá focar toda a visualização no olho esquerdo. Inicialmente, há um certo desconforto. Com o tempo, com o treinamento, o foco vai se fazendo. Então, digamos que este é o item A. O item B é o canal direito, isto é, através do olho direito, fazendo a mesma atividade de foco e atenção, por meio do olho direito. Em terceiro e último item – o item C – observe através dos dois olhos, alternando de um para o outro. Ou seja, inicialmente, intencionalmente e conscientemente, você deve focar os dois olhos, mas, em seguida, alternar esquerdo-direito, esquerdo-direito, esquerdo-direito. Cada um desses processos deve, de alguma forma, acompanhar por pequenos gestos livres, estimulando as associações de habilidades da natureza orgânica. De forma aleatória, ela irá contribuir com o estímulo viso-motor. Então, de olhos fechados, na posição Pina 1, observando o corpo, começa-se a observar e a focar a atenção através dos olhos esquerdos de todos. Em segundo, através dos olhos direitos. Em terceiro, através dos dois olhos, conscientemente, e logo em seguida, alternando esquerdo-direito, esquerdo-direito. O tempo todo de olhos fechados, o tempo todo buscando o equilíbrio corporal e associando com gestos livres.

Solicitamos que façam gestos quaisquer, como quiserem, mas não gestos grandes, gestos pequenos, sutis que acompanhem e ajudem de alguma forma a estimular a ação viso-motora, que tem a sua associação diretamente ligada à pineal. O tempo não precisa ser marcado. Você pode estipular o seu tempo previamente, dispor de um despertador, ou, simplesmente, fazer no tempo que lhe convier desde que passe pelas três fases, pelos três níveis, pelas três atividades. Agradecemos. Paz e Amor.

Agora, neste momento, iremos fazer uma pausa porque haverá uma substituição dos atendentes dos nossos irmãos palestrantes. O próximo grupo é um grupo de outra posição do cosmos, e precisará alternar, mudar a forma de acesso ao grupo de vocês. Então solicitamos que deem uma pausa, explique ao nosso irmão, e ele deve esperar 5 minutos, se assim permitirem. Depois desse tempo, voltaremos novamente com novo acesso e estaremos disponíveis. Os próximos não terão modulação da voz nem da imagem de nosso irmão assistente. Ele irá se manifestar como ele mesmo, mas, não estará consciente, como sempre. Agradecemos, Mnahrkiwon. Em nome deste grupo, agradecemos. Paz e Amor.

Ele saiu para a entrada novamente de outros amigos. Explicamos o processo ao Anderson.

NA: Paz e Amor. Pedimos autorizações para as participações. O acesso é feito usando tecnologias específicas para a transdutorização, portanto, não há um acesso direto dos seres, só um controle específico da expressão de nosso irmão, que irá estar de olhos abertos, como já dito. Agradecemos. Pedimos autorizações para que o processo possa ser realizado. Teremos a visita de 6 seres que podem se manifestar sem a percepção nítida das suas presenças. Agradecemos.

Paz e Amor. Agradecemos a conexão. Estamos falando de muito distante, mas vamos seguindo, portanto. Estávamos acompanhando, falando sobre os exercícios Pina, já explicados em parte, mas depois iremos fazer a complementação. Primeiro vamos às perguntas sobre o que foi exposto por nossos companheiros.

Grupo: Muito bem-vindo. Eu queria só mais insights a respeito desse foco no olho esquerdo, depois só no olho direito. Vou simplesmente focar nessa escuridão e perceber o que está acontecendo ali. É isso mesmo?

OA2: Da mesma forma que você está habituado a olhar, você pode fazer o foco, observando apenas primeiro o olho esquerdo. Então, isso é só mentalmente, você organiza essa forma de colocar a atenção. Vai haver um conflito com o outro foco, mas ele vai direcionar, e quando você consegue que esse foco, essa atenção seja direcionada para um dos olhos, quer dizer que você está estimulando o acesso ao canal mental relacionado e associado a essa parte que na pineal tem uma conexão específica. Vamos compreender que esses canais, normalmente, eles trabalham como se fosse uma coisa só, gerando a impressão de um único estado mental. E quando você começa a fazer isso, você estimula o desenvolvimento de um segundo canal mental. Esse é um exercício inicial.

Grupo: Muito grata pela presença e eu queria fazer 2 perguntas. Uma é em relação à movimentação dos olhos. Quando a gente está focando com o esquerdo, naturalmente os dois glóbulos vão para a esquerda. Isso aconteceu. E a segunda pergunta é sobre enjoo, eu senti um pouco de enjoo também, principalmente, nessa troca de foco. Normal?

OA2: Normal, isso deve ter em algumas pessoas, ou não conseguir fazer, ou ter alguma dificuldade em passar para o outro olho ou enxergar depois os dois olhos. E depois ficar fazendo a alternância. Então, primeiro, qual é a primeira pergunta?

Grupo: A primeira é de os dois olhos fazerem o movimento. Ou para a direita ou para a esquerda.

OA2: Independe, porque eles estão inter-associados, eles têm uma variação na angulação de um com o outro, porque depende de até onde eles vão. Quando se estreita, na medida em que eles conseguem um foco equilibrado, quando esse foco se desequilibra, há uma diferença entre eles. Mas, a associação, ela não é feita de forma muscular. A associação é neurológica mesmo. São os acessos, as fibras neuronais que transferem os nervos e transferem os acessos para cada olho. Se você estivesse com os olhos abertos e fechasse um, você teria a ajuda de neutralizar um dos olhos. Mas, assim fica muito claro que a ação ocular está predominando. De olhos fechados, quem predomina é a ação neuronal somada ao processo de associação pineal. Há um estímulo específico daquele olho no âmbito pineal. Ao mesmo tempo, uma seleção mental daquele processo. Como ele é inter-associado viso motor, você fazer gestos pequenos quaisquer, contribui para melhorar a associação que já existe nesse processo visomotor. Ele só vai ajudar a estabelecer uma relação específica com atenção gerada no foco de um dos olhos. Quando muda para o outro, da mesma forma. Quando você volta para os dois, você acomoda a forma anterior “original”, vamos dizer assim. E quando você faz a troca depois dos dois olhos, então você está estimulando e ajudando a compreender a diferença entre os focos.

Grupo: Se eu entendi bem, o globo ocular não mexe quando a gente busca esses focos. É isso?

NA: Não, ao contrário, esteja livre. Você pode mexer ou não. É porque a questão é você estar livre para poder fazer a mesma correspondência. A atenção mental vai estabelecer inicialmente o processo da canalização mental. Depois, em uma pessoa já desenvolvida nessas técnicas, poderá pensar ao mesmo tempo, duas coisas, três coisas, quatro coisas.

Grupo: Os gestos, eles podem acompanhar durante todo o exercício?

NA: Durante todo o exercício. Os gestos ajudam, apesar de serem livres, até porque quando você está vivendo a consciência na realidade, de alguma atividade de relacionamento entre pessoas, etc., o viso-motor funciona o tempo inteiro com pequenas pressões, sendo que a linguagem já é um processo motor. No caso, relacionado ao processo de audição e vocalização, mas também é associado à visão. Então, todo o processo, se você ficar muito quieto, ele não responderá às associações viso-motoras. Os pequenos gestos, aleatórios, irão ajudá-lo a responder as associações viso-motoras que ficarão específicas depois em cada um dos canais.

Grupo: Não sei por que, mas associei isso com o exercício de Ramanitsao. Tem alguma coisa a ver?

NA: Sim, tem, porque todos estão lidando com o ambiente Guion. Mas, neste caso, o mais específico é a criação ou desenvolvimento – criação, caso a pessoa não tenha isso desenvolvido, e o desenvolvimento, caso a pessoa já tenha alguma atividade específica desenvolvida, como é o seu caso, por exemplo, e você pode ampliar e estabelecer mais a criação dos canais mentais. Só é mais específico.

Grupo: Muito obrigada pela presença. Assim como os outros pinas, se a gente deve fazer no escuro. E se a gente colocar música para fazer os exercícios, se interfere em alguma coisa.

OA2: No escuro é melhor, mas de preferência, entretanto. Mas, no claro também pode ser feito, mas sem abrir os olhos, evidentemente, e se tiver uma luz muito forte ela vai interferir, inclusive no processo pineal. A música pode interferir porque ela vai gerar estímulos que são também viso-motores, inter-associados. Especialmente, você como musicista, terá uma grande sensibilidade às respostas visomotoras. Mas você pode se imaginar tocando, inclusive vai ajudar no processo de memória, e você tem muito interesse nisso.

Grupo: Não ficou claro para mim se é bom pro exercício, pro objetivo do exercício, ouvir música, mesmo no Pina 1 ou Pina 2, ou se não.

OA2: Nos outros exercícios a interferência é menor. Mas, neste a interferência é muito grande. Então, não é adequado, a priori.

Grupo: Outra pergunta. Você falou com o Webinho que ele tem um canal desenvolvido. Eu queria saber se é um canal de…

OA2: Você também

Grupo: Por causa da prática musical?

OA2: Isso. Exatamente.  

Grupo: Os gestos pequenos, os gestos simples, o movimento do dedo é um gesto simples? O movimento do pulso é um gesto simples?

OA2: Isto, é sim.

Grupo: A gente poderia perguntar de onde o senhor vem?

OA2: Não informamos ainda.

Grupo: Primeiro, obrigada por estar aqui com a gente. Os gestos, por exemplo, se eu estiver focando com o olho esquerdo, eu posso fazer movimento com o lado direito? Ou eles são bem aleatórios? Pode ser mexer com pé esquerdo e estar focando com o olho direito?

OA2: Não tem problema nenhum, o corpo fazer gestos tanto de posicionamento, quanto com as mãos, ombros, costas, pés. Aleatório.

Grupo: Olá, muito grata por sua presença. A pergunta da Eliene me trouxe uma dúvida. Eu estava imaginando que a associação dos gestos era direta, olho esquerdo com gesto do lado esquerdo e vice-versa.

OA2: A associação é livre, qualquer lado, de qualquer forma, não sendo gestos grandes, que eles podem ser desprezados pelo micro-ambiente criado de associações com a pineal.

Grupo: Uma vez estabelecido aquele gesto, ele deve se repetir?

OA2: Não. Sempre livres.

Grupo: Ainda sobre a questão do movimento. A Eliene falou a respeito dos pés, mas os pés eu entendi que têm que ficar grudados o tempo inteiro, como no Pina 1. Então, a gente não faria gestos com os pés, é isso mesmo?

OA2: Você pode movimentá-los levemente. Não dá para fazer gestos grandes, por exemplo, esticar os pés para a frente, tirando você do equilíbrio. Mas você pode movimentar os pés, dentro da área de equilíbrio. Gestos pequenos.

Grupo: Eu gostaria que você falasse um pouquinho mais sobre esses canais mentais. A gente tem um número específico? Isso é desenvolvido, para termos inúmeros canais? Como é a condição humana com relação a isso?

OA2: Você já deve ter visto crianças que têm associações – quando vão desenhar, escrever com a outra mão – ou com a língua, ou com os olhos, ou até mesmo com outras partes do corpo quando elas vão fazer determinadas atividades. Essas associações são ligações ipsalaterais e contralaterais que, às vezes, dentro do processo de desenvolvimento corporal, estão sob a influência de um e outro entre eles, entre as ligações nervosas e neuronais. Entretanto, a mente, ela é exercitada como se fosse uma. Há dualidade de fílens, que criam o aspecto de si mesmo original e o aspecto de si mesmo falso. Isso é uma outra explicação, não poderemos fazer agora. Mas, frequentemente, o ambiente mental é entendido como um, ou seja, você é um, você está pensando em um nível, mas naturalmente acontece a expressão dos níveis mais profundos. Por exemplo, você está fazendo uma coisa pensando em outra. Isso é muito frequente, mas não é um domínio da sua mente. Você faz isso espontaneamente. Se você quiser fazer isso frequentemente e tiver a intenção de fazer contas e ao mesmo tempo tocar um instrumento, ambos vão competir para o nível da consciência regular, aquela que você atende no seu nível consciente. Então, aí você pode ver que você tem um outro canal dentro do seu ambiente mental, só que ele não é muito conhecido, como ele se dá. Na medida em que você aprende a focar cada canal, você irá aprender a associá-los a processos e atividades e poderá identificá-los e alterná-los. Então, aí você tem, na verdade, o canal esquerdo. Não há nenhuma associação com os canais de aparelhagem de som porque o ambiente mental é multi-integrado, e ele pode se manifestar nesse processo de várias formas. Na medida em que você aprende a utilizá-los, você também aprende a criar interface entre os canais. Então, você tem um canal direito, um esquerdo e um canal associado, com direito e esquerdo, que é um terceiro canal. Veja, a característica multimental do organismo humano não treinada de jeito nenhum, ela precisa, para se entender mentalmente dessa forma, ela vai precisar de treinamento. Aonde ela é treinada? Na exosciência. Quando você está em estado de exosciência, você tem uma multiplicidade de canais. Pode chegar a 5 ou 10 canais diferentes, e esses canais estão permanentemente abertos e são independentes. Eles estão desatrelados da estrutura específica que coordena o uso dos canais, porque o corpo treinou e aprendeu a usar a mente utilizando um foco único. Veja, crianças muito pequenas são multicanais. Isto quer dizer que a mente delas precisa unir os canais, e isso é um processo que depende da mielinização, que é para aumentar a velocidade dos estímulos. Sem a velocidade dos estímulos, os canais ficam independentes. A criança pode viver coisas, pensar outras, sonhar, imaginar, sentir, se alegrar e, ao mesmo tempo, vivenciar o nível físico, que ainda está pouco desenvolvido. Então, é a formação desses canais – em nenhum momento normal das escolas, dos seres humanos, do desenvolvimento há um aprendizado de reconectar com cada uma dessas habilidades. Então, a conexão pode ser vista quando se faz atividades complexas, que dependam da independência desses canais, como malabarismos, músicos, pessoas que lidam com tecnologias que requerem múltiplas atenções. Então, há um desenvolvimento, mas não há consciência no domínio dos canais separadamente. Agradecemos.

Então, vamos prosseguir no segundo exercício. Pina C2

O Pina C2 relaciona-se à atividade de fundo da mente. Então, o Pina C2, ele vai precisar de um estímulo gestual aleatório também para fazer uma separação dos focos de atenção nos dois canais independentes, e no terceiro que é a união dos dois, e focar o fundo do modelo ocular de cada um, ou seja, o ambiente Guion. O ambiente Guion é repleto de figuras mal definidas e de figuras esponjosas, ou seja, sem um formato específico e sem forma definida. Se você enxerga alguma figura, ela pode se desfazer e virar outra ou pode receber iluminações ou pode ser alterada por aspectos emocionais, preocupação, dor, pensamentos, ideais, trabalhos que estejam em andamento. Vontades, necessidades sexuais, vários outros processos. Então, aprender a focar o fundo é um canal dos mais difíceis e também vai exigir mais tempo. Então, ele seria o Pina C2 e deve ser feito separado do primeiro exercício, por isso separamos em 1 e 2. Então, o Pina C1 relaciona-se a esses três canais: esquerdo, direito e esquerdo-direito simultaneamente. O canal de fundo é muito importante porque é o salão de Guion, e tem diversas portas que são difíceis de serem acessadas. Vamos dizer portas ou janela, porque depende do acesso de onde ele está. Esses acessos mentais são acessos de grandes habilidades, de grandes desenvolvimentos, e, evidentemente, é muito específico para cada um. Já fizemos pequenos treinamentos de encontrar o muro, o labirinto e as luzes, que refletem das exalções de paridades orgânicas, que são os fluxos de interação ou as luzes de interação, porque são as luzes que refletem e se ligam ao salão de Guion, mas o acesso é muito específico. Ele é específico porque ele protege os modelos mentais. Mas, na medida em que você vá treinando acessá-los, você passará a enxergar formas, e, nesse caso, uma das portas de interesse é a porta do subconsciente. E ela é uma maravilhosa área de comunicação consigo próprio e que lhes ajudarão a desenvolver, caso persistam nessa tarefa. Como qualquer atividade física e mental, exige treinamento, exige a compreensão das questões que envolvem. E nós trabalhamos com seres humanos em muitos lugares há muito tempo, e podemos dizer, sem nenhuma modéstia, que parte do desenvolvimento humano mental se deve aos trabalhos que nossos companheiros já fizeram na Terra e em outros planetas, como Paxma e também no planeta recente que vocês estão em contato. É isso que temos a apresentar. Então, vamos agora descrever o exercício Pina C2.

É o segundo exercício do âmbito dos canais. Esse seria, portanto, o quarto canal. Então, fecha-se os olhos e através de movimentações como os primeiros exercícios, você deverá torná-la específica. Ou seja, se você fizer um movimento e perceber um alteração, você deve encontrar esse movimento relacionado a essa alteração. Deu para compreender? Veja, você está na mesma posição, você está com os olhos fechados o tempo todo. O tempo de fazer isso pode ser 1 minuto até 10 horas, o tempo que você quiser e puder. Mas, 5 minutos já é bem razoável. Então, você vai identificar associações de manifestação corporal produzindo pequenos gestos novamente, mas atentos às correspondências entre os gestos e as manifestações. Por exemplo, você tem uma coceira, e vê uma luz. Mexe novamente na coceira e vê novamente a luz. Se você mexe novamente na coceira e não vê mais a luz, segue, segue adiante. O importante é você estabelecer uma relação de ação e reação com o fundo mental, com o seu ambiente Guion. Ele é muito sensível, mas é aleatório. Apesar da sensibilidade, ele é aleatório. O que quer dizer isso? O tempo todo, sua mente de fundo, seu ambiente Guion mostra para você diversos aspectos da sua experiência de viver a vida. Mas, ele vai mostrar para você coisas muito diretas, como o seu sofrimento, a sua angústia, a sua alegria, a sua tristeza, a sua vaidade, o seu perigo. Vai mostrar para você o seu estado corporal, vai mostrar para você as suas afinidades, as manifestações interpessoais, as coisas boas, as coisas negativas. Então é aleatório, e mistura. Pode ficar piscando uma luz vermelha. E a luz vermelha, você está com uma pendência em algum aspecto. Diferente das luas suirsômicas, que embaralham, as exalções suirsômicas também são demonstradas no ambiente Guion. Só que elas estão misturadas, você não sabe o que é o quê. Não tem condições de saber. Mas, se você aprender a observar e criar fórmulas de se relacionar com essas manifestações, pode acontecer. É uma alta probabilidade. Diz-se, nossos irmãos experientes na observação dos seres humanos, que pelo menos metade dessas observações é sugerida para a mente em forma de insight, em forma de reação corporal, em forma de várias formas de manifestação. Como você não tem nenhuma relação nem com Guion, nem com as motivações simbólicas do seu organismo, você não vai saber que uma coceirinha que toda hora aparece quando alguém passa é uma manifestação, de certa forma, uma reação orgânica existencial da sua mente através do canal mental de fundo de Guion. Ele chama o canal de Guion. O canal de Guion é o fundo preto, inicialmente, que pode encher de luz, ou pode ficar só manifestando manchas escuras, às vezes claras, às vezes imagens objetivas, muito raro em pessoas comuns, mas bem presentes em médiuns, como se chama, para simplificar, ou quando se tem a presença de pessoas que estejam no plano Intai, assediando. Os médiuns das religiões espíritas costumam ser muito sensíveis às manifestações das propriedades gasosas que acontecem, às emissões de manifestações diversas que acontecem. Mas, no caso do exercício Pina C2, é simples: é só essa observação, e a atenção para criar ou recriar o canal Guion. Ele é um canal difícil de ser tratado, mais difícil do que os outros três que apresentamos em Pina C1. Agradecemos.

Proponho que limitemos naturalmente, porque não devemos ultrapassar esse tempo. Mas, se for do consenso integral de todos, tudo bem.

Grupo: Você falou sobre a coceira, as luzes, problemas de pele, eu gostaria que você falasse sobre doenças de natureza auto-imune, em especial as de pele, mas de forma geral de natureza auto-imune.

OA2: O que você quer saber sobre essas doenças?

Grupo: Diz-se que todos os tipos de alergia carregam consigo um fundo emocional. E a psoríase é uma manifestação do corpo que é muito forte, que gera muito desconforto em quem tem, e que não há um tratamento eficaz e nem uma causa clara de como surgem as manifestações na pele. Imagino que tenha uma conexão direta com estados de stress, com questões emocionais mal resolvidas, enfim… Você teria algo mais a falar sobre isso, citando como exemplo a psoríase?

NA: Podemos pegar a psoríase. Primeiramente, qualquer “doença” – não entendemos a doença como vocês entendem – qualquer processo que é considerado pelos humanos como doença, como patologia, relacionado à imunidade, a processos glandulares, a processos da usina bioquímica orgânica, está relacionado intimamente à versatilidade de auto-defesa, de autodesenvolvimento, normalmente manifestos nos níveis de energia, nos níveis dos centros de energia, e são associados também ao que já tratamos há um tempo, dos lasmas, flasmas e boúges, que são processos de intercâmbio, de comunicação interno e externo. E, portanto, a multicanalização mental pode proporcionar um grande equilíbrio para essas questões. Desde as coisas mais leves, lasmas, que são vermes mentais, vermes “espirituais”, manifestações do intercâmbio orgânico destorcido, como problemas mentais, oligofrenias, metafrenias, vários processos de perturbação de ordem mental, que se relacionam, evidentemente, a condições de meio ambiente, questões de família, questões genéticas, questões do próprio desenvolvimento das experiências de assédio. São bastante complexas e específicas. Quando se diz psoríase, não é uma coisa só. Cada um tem a sua psoríase, e ela, como um processo complexo, pode se manifestar com alguns sintomas semelhantes, mas muitos outros sintomas específicos. Então, não há nesse momento como tratarmos de questões médicas porque elas seriam, de fato, mais relevantes baseados em alguém, com a presença de um médico interessado nas informações que poderíamos elaborar em ambiente específico, o que é possível se houver um grupo relacionado interessado, independentemente de serem médicos, mas que terão que ouvir longas exposições sobre os assuntos. Eles são bastante complexos e precisaríamos de abordar desde as ideias e as necessidades de desenvolvimento de cada um dos interessados, partindo das questões mais leves como os lasmas e flasmas, que já foram tocados por um tempo e depois, não conclusivamente, reorientados para outro momento.

Grupo: Boa tarde, obrigada pela presença. A minha dúvida, eu estive algum tempo fora, e não sei se você já explanou sobre a dúvida que falarei. Quando você fala das portas, eu já fiz hipnose, regressão. Eu até me curei de um mal físico que eu tinha através da hipnose. Regredi até onde eu estava no ventre da minha mãe e lá que fui curada. E quando retornei da sessão não tive mais o problema físico que me acometia. Então, quando você fala nesse canal de comunicação – inclusive depois dessa cura, tentamos outras vezes através das portas que você falou, do ambiente Guion. Eu poderia acessar até vidas passadas. No instituto onde eu fazia esse tratamento, Instituto de Medicina Psicossomática, que doenças que você traz até de outras vidas. Então, você pode regredir até vidas passadas, se curar lá, e depois retornar. Então a minha dúvida é essa: tem algum perigo? Porque, quando eu fazia essas regressões eu estava acompanhada de um psiquiatra. E geralmente a gente entrava em estado Alfa, deitada e ali a gente era guiada, mas estava na consciência. A gente lembrava e só retornava quando ele dava o sinal. A gente voltava normalmente. Quero saber se eu fizer esse exercício sozinha, eu posso alcançar algum um canal que me leve a outras vidas? Ou algum sinal? Eu posso fazer com tranquilidade isso sozinha?

OA2: Não é tão simples assim. Primeiro, exige todo um treinamento. Quando você fez as suas regressões, você esteve 5 vezes arriscada a ter algum problema. Os processos deram certos, mas há distorções. Essas distorções estão relacionadas à compreensão do processo, como ele foi feito e qual o objetivo dele. Não podemos descrever isso aqui agora, mas é preciso que se compreenda que o que estamos propondo neste momento é algo bem mais básico. É possível encontrar em Guion, um acesso à sua existência Kalamatsana, às rotas, isto é, a outras vidas. É possível por dois processos: o processo da memória, e o processo do acesso direto, onde você é levado a essa área e essa área é muito perigosa, porque é uma área cheia de outras interferências. A área da memória, que foi a que você acessou, é mais suave, mas tem interferências da sua própria mente, que pode recriá-la, isto é, estabelecer novos parâmetros para aquilo que você visita como processo de memória. Então, é sempre bom fazer com alguém dirigindo o processo. Fazer só esse processo é muito arriscado e não deve ser feito, e não vamos levá-los a esse risco. Iremos apenas levá-los aonde é seguro para vocês, e, quando vocês fizerem, terão uma assistência de nossos companheiros e acompanhantes.

Grupo: Muito obrigada. É bom saber, para gente não se atrever a ir por caminhos obscuros.

OA2:  Mas isso, não precisa. Os caminhos obscuros são mais obscuros, esses, da própria Terra, que se chama realidade. São mais perigosos e são mais indefinidos e surpresos, como se pode ver.

Grupo: Na dimensão Guion, você falou de um fundo. Geometricamente, seria um fundo no que está além desses três pontos que foram citados antes, não é isso?

OA2: Feche os olhos. O que você percebe?

Grupo: Estou vendo uma coisa na minha frente, um triângulo, alguma coisa assim. Tentando ver o fundo, inclusive. Ele está um pouco além.

OA2: Foque no triângulo. Ele se mantém?

Grupo: Mantém. Ele está se modificando, mas está lá.

OA2: Ele já modificou.

Grupo: Já modificou. Virou quase um olho agora.

OA2: Ele vai modificando. Pode seguir essa modificação. Então, uma coisa é você seguir e conseguir e seguir a modificação. Uma hora você não vai conseguir. Ele se perde, porque muda e não está associado a nada, Ele pode estar associado a reflexo que está nos seus olhos, que é jogado como impressão visual. Ele é viso-motor, está relacionado aos olhos e o fundo é relacionado à pineal. Então, o fundo relacionado à pineal distribui as necessidades orgânicas. Ele é todo voltado para o organismo. Como você não usa esse fundo para nada – ele está lá, você fecha os olhos, é escuro, pronto!, você dorme, você pensa. Você não faz nada com esse fundo, mas ele é o acesso mais importante que você tem na mente.

Grupo: Sim. Só mais uma insistência na questão geométrica que eu falei. Imagino, por exemplo, o horizonte como se fosse uma ideia de fundo.

OA2: Pode.

Grupo: Outra coisa é a ideia de que estou flutuando e o espaço abaixo de mim é esse fundo. É isso que quero dizer. Ele é multifuncional ou ele é multiforma.

OA2:  Não. Ele é multiexistencial.

Grupo: Ótimo. É essa pergunta.

OA2:  Ele é multiexistencial. Ele pode se manifestar até você, com um problema que você não sabe, esse problema fica lá em Guion jogando um tanto de coisa. Ou então um prazer, uma alegria. Você escuta uma música, você viaja em Guion, você viaja nesse fundo. A música é muito interessante. Vamos falar disso em outro momento.

Grupo: Nesses exercícios do Pina C2, a gente pode repetir todo o exercício do Pina C1, tentando achar o fundo? Quer dizer, primeiro o foco no esquerdo, depois o foco no direito, nos dois. Pode repetir isso?

OA2: Pode, todos podem ser repetidos. Livremente, pelo tempo que quiserem, que puderem ou que desejarem.

Grupo: Assim que a gente começou a meditação das 18h, eu sempre procuro o ambiente Guion, que é uma forma de eu me concentrar. Eu me concentrei demais, não sei se dormi, mas eu vi o rosto de uma senhora. Foi uma coisa muito rápida, mas muito nítida. Eu me assustei e saí da concentração. Aí passou. Quando você relacionou a mediunidade com os canais, eu queria saber se eu estou nesse caminho mediúnico, porque não é a primeira vez que vejo a imagem de pessoas assim. É muito rápido. Por exemplo, logo depois que meu pai faleceu, eu estava deitada e eu via a imagem dele, mas nunca de olho aberto. Tudo dentro da minha mente e rapidamente. Ele me dando um “pito”: vai ver sua mãe! Ou algo assim. E, realmente, minha mãe estava passando mal. Pode me dar informação sobre isso?

OA2: Posso dar. Você tem isso a ser desenvolvido e já desenvolveu. Por exemplo: já observou que você fica insegura na hora de tocar, mas dá tudo certo depois?

Grupo: Já. Sempre.

OA2: Pois é. Essa é uma das questões. Você precisa se desenvolver e vai aumentar sua segurança. E mesmo que você esteja insegura, vai dar tudo certo.

Agradecemos a presença de todos e essa possibilidade. É a primeira vez com esse grupo. Agradecemos. Vocês são muito gentis. Que a nossa energia de amor possa ser transferida para todos vocês individualmente, para suas famílias, para que superem em seus ambientes, as energias que estão por aí. Tenham cuidado, mas estaremos limpando o caminho de vocês, na medida em que estamos em contato a partir de agora. Fazemos parte deste grupo também. Agradecemos. Cuidem-se, amem-se. Estejam em paz. Compreendam a extensão e o acesso do amor incondicional. Não há como não alcançar todas as possibilidades que esse amor imponha dentro de si para o universo. Então, só temos a agradecer essas oportunidades, pois, muitas vezes, não podemos, diretamente, contatar com seres humanos, mas fazemos parte daqueles que atuam favorável à integralidade do amor incondicional no ser que habita a essência Intai e Aintai humana. E assim como de outros planetas, da Terra. Mas, não podemos interferir onde os seres de divergência atuam. Nós limitamos e alcançamos aqueles que estão próximos de sua luz de amor ou interessados em encontrá-la. Não é necessário ser santo para nada. Essa ideia não alcança o amor incondicional. É uma ideia política. Mas, mesmo assim, aceitamos a diversidade das condições humanas e, incondicionalmente, estamos juntos. Agradecemos. Paz e Amor. Mnahrkiwon.