Encontro Semanal

A natureza limítrofe dos sonhos

Paz e Amor. Paz e Amor.

Solicitamos autorizações para participações. Agradecemos.

A natureza limítrofe dos sonhos

Margeando os assuntos sobre os planos de energia, filergia, etc., vamos abordar, paralelamente, a questão dos sonhos no âmbito exosciente. Há muitos aspectos sobre o sonho. Buscaremos escolher abordar aqueles aspectos mais próximos da organicidade e da experiência do corpo, pois, são sonhos propriamente ditos. Há muitos tipos. Os tipos podem ser separados por categorias orgânicas ou por sistemas, como o sistema linfático, sistema endócrino, sistema imunológico, ou associado aos tipos de processamento, como os processamentos de energia ou a transferência de substâncias. Por exemplo, quando o sistema imunológico está em alta atividade, os sonhos tendem a se manifestar interassociando demonstrações de necessidade, ou afirmações de reações orgânicas, muitas vezes interassociados com processos boúgicos, lásmicos, flásmicos, ou da experiência cotidiana. Isto pode ligar-se aos processos digestivos, exprimindo-se por meio de ansiedade, por exemplo. A importância dos sonhos propriamente ditos – isto é, as manifestações de sonhos relacionados a processos orgânicos – nem sempre as manifestações de sonhos podem ser compreendidas, pois, se utilizam da experiência individual específica de cada um. Entretanto, também associa-se às chamadas ligações senscientes relacionadas, portanto, ao inconsciente ou, mais proximamente, ao subconsciente. É preciso que se compreenda que nem toda manifestação sentida como sonho relaciona-se a atividades de sonho.  Os sonhos relacionam-se a atividades mentais, corporais que podem ser jogadas no âmbito da memória, mas apenas 30%, aproximadamente 1/3 dos sonhos, são classificados por nós dentro desta modalidade. Os outros 2/3 relacionam-se diretamente a outros processos mentais. Elaborar algum âmbito dos sonhos requer compreender que a expressão corporal duplinada implica que os seres Intai não sonham. Portanto, é preciso estar duplinado. O âmbito dos sonhos relaciona a expressões autênticas, de modo geral, cifradas pela estrutura orgânica. Esta modalidade de transdutorização entre o ser insciente e o organismo também guarda relação com a experiência suirsômica. Portanto, há modalidades suirsômicas relacionadas aos sonhos, ainda não citadas por nós, por motivos não dispostos. Sempre é preciso considerar o sonho como evidência do aspecto exosciente menos expressivo para o ambiente exosciente. Portanto, se algo não é projetado para a memória, a experiência do sonho pode ser única. E quando projetado para a memória, pode ser levado para outras experiências de duplinação. Tem-se frequentemente muita cautela para a análise e/ou interpretação de sonhos, pois, normalmente, a estrutura orgânica é quem determina os sentidos associados aos processos de expressão simbólica normalmente ligados à linguagem. Mesmo assim, a estrutura imagética se amplia na medida em que é espelhada na memória, podendo ser recapitulada no momento consciente. De uma forma geral, entende-se que os sonhos regulam processos orgânicos. Por exemplo, os sonhos frequentemente espelhados na memória e relacionados ao medo podem fortalecer os âmbitos da coragem na experiência consciente. Muitas vezes, a inversão dos processos de sonho faz aludir que a experiência do sonho complementa e tenta trazer para a consciência aspectos construtivos das deficiências da experiência suirsômica. Isto quer dizer que muitas vezes os sonhos podem ser compreendidos como lua suirsômica, desde que seus propósitos sejam trazidos para a experiência positivamente. Quase frequentemente a alusão à “morte” relaciona-se, por exemplo, à construção de deficiências da experiência suirsômica, significando revitalização suirsômica. É importante compreender que as linhas de sonho para a consciência não são muito claras em relação aos aspectos exoscientes vivenciados sem distinção de qual âmbito da experiência exosciente se manifesta para a memória espelhada. É preciso que se respeite o sentido sentido pela pessoa que vivencia a experiência do sonho. O desrespeito ou a ignorância do processo do sonho espelhado na memória pode ter desdobramentos orgânicos para se fazer expressivo para a própria consciência. Certamente, as reações de cada um são interdiferentes. É preciso compreender que sonhar não acontece apenas no estado de sono. O sonhar pode manifestar-se no estado de vigília. Quase sempre os sonhos no estado de vigília são processos mentais dispersivos e acontecem por períodos de tempo muito curtos. Não está relacionado a sono, mas à própria atividade mental-orgânica. Os sonhos devem ser lembrados como experiência real. No âmbito insciencial, os sonhos se somam à experiência insciencial. Isto acontece pelo fato de a duplinação gerar processos inter-associados entre a mente e os processos diversos orgânicos.

Vamos seguindo, falando sobre os sonhos e, neste momento, especialmente, o foco é a linha intermediária entre os diversos níveis inscienciais e a manifestação de sonhos, em todos esses níveis inscienciais, ou seja, o sonho acontece em todas as formas e em todos os níveis do eixo consciencial, inclusive no momento da decomposição orgânica, como sendo o desenlace dos processos enzimáticos com os campos NIR, como já citados, que são responsáveis para chavear, para trancar a estrutura orgânica com os processos de energia do ser insciencial. A relação tênue com os sonhos demonstra que a consideração mais aberta sobre os sonhos de forma receptiva, e espelhada na memória, traz benefícios para a experiência insciencial, tanto consciencial quanto exosciencial. Os sonhos relacionam-se diretamente à saúde. De uma forma geral, sonhar não quer dizer lembrar. Lembrar de sonhos requer não interpretá-los, mas respeitá-los e segui-los. A consciência pode absorver parte do sentido revelado pelos sonhos. Isto quer dizer que, de uma forma geral, os sonhos representam revelações, não querendo dizer com isso que as revelações serão compreendidas. Uma pequena parte dos sonhos deve ser uma expressão literal da experiência vivenciada pelo corpo, ou pelo organismo. Entenda-se organismo como sendo todos quaisquer processos biológicos, físicos, interassociados com expressões de ligação insciencial. Ou seja, mente e corpo representam uma unidade relacionada aos sonhos. É preciso deixar fluir e não determinar resultados para os processos espelhados pelos sonhos. Muito frequentemente esses espelhamentos dão a entender um quebra-cabeça de espelho quebrado. Ou seja, as imagens de sonhos poucas vezes se revelam como um todo. É preciso respeitar a expressão fragmentada dos sonhos. Cada um tem a sua experiência autêntica de sonhos. Entretanto, 2/3 dessas expressões sentidas como sendo espelhamento de sonhos, relacionam-se a outras experiências exoscientes. Iremos, na sequencia dos próximos encontros, falar sobre alguns dos tipos de sonho relevantes para a experiência consciente. Agradecemos. Paz e Amor. 

Grupo: E tem a situação de se encontrar dentro do sonho, de ter consciência dentro do sonho.

NA: Nesse caso, não é o sonho autêntico e sim uma experiência exosciencial. Manifesta como a impressão de ser um sonho.

Grupo: E o sonho acordado também é experiência exosciencial?

NA: Há experiências exoscienciais em estado de vigília. Citamos o sonho porque o sonho é uma categoria específica da experiência exosciencial.

Grupo: Então os seres Intai não sonham.

NA: Não sonham.

Grupo: E eles dormem?

NA: Não.

Grupo: Eles não dormem. Não têm corpo. É isso?

NA: É isso.

Grupo: É possível controlar o sonho ou eu preciso dessa desfragmentação para trazer essas mensagens para a minha consciência? Eu posso controlar o meu sonho?

NA: O sonho propriamente dito, veja, estamos tratando especificamente do sonho, a ideia de sonhar pode ser entendida mais amplamente trazendo ambiguidades sobre o que é sonhar. Ou seja, se você sonha ter alguma coisa, não é exatamente sonhar propriamente dito. Está relacionado à sua imaginação. Os sonhos são expressões autênticas da relação orgânica com os processos inscienciais, a sua mente. Os sonhos exprimem esta relação de diversas formas, através de várias estruturas orgânicas ou de sistemas orgânicos, ou de toda a experiência de viver em seu corpo. Portanto, toda forma de controle dos sonhos só se torna possível por meio de icons. Pois, o controle orgânico mental é possível e por essa via também é possível acessar, por meio de uma experiência exosciencial, o sonho autêntico. É necessário treino e compreensão destes processos especificamente.

Grupo: Tem como você passar esse treino?

NA: Veja, a quantidade de informação vem aumentando. É preciso compreendê-las pois no âmbito exosciente encontra-se os chamados labirintos de Paxma. Então, é preciso que se compreenda as descrições e os âmbitos da experiência mental. Vamos repetindo e, pouco a pouco, estarão compreendendo como trabalhar a si sem se comprometerem com a experiência no cotidiano coletivo social, etc.. É preciso leveza para consigo e tranquilidade. Por isso, os exercícios relacionados à Pineal. Também o treino de visualização, que possibilita visualizações de campos dimensionais sutis. Estes podem ajudar no desenvolvimento sensitivo perceptivo de forma controlada. Cada um sabe de si, e vamos expondo pouco a pouco. Não adianta muito expormos grandes quantidades sem que essas sejam absorvidas.

Grupo: Se eu entendi bem, o sonho é resultante da relação orgânica com a relação mental, ou seja, insciente. E esse orgânico pode ser também inconsciente e subconsciente, por isso que você falou que os sonhos podem ter um caráter suirsômico, ou seja, expressões das luas suirsômicas. Falei certo?

NA: Como expressões das luas suirsômicas, ou seja, é possível observar imparcialmente o que dizem os sonhos.

Grupo: Tenho uma curiosidade. A deduplinação quando ocorre no estado de sono, a pessoa está na exosciência e deduplina. Como é isso?

NA: De modo geral, ela está sendo preparada para a deduplinação. Ela já tem uma assistência preparada.

– – – – – – – – – –

Elaboração pessoal

– – – – – – – – – –

NA: Primeiramente, isso não é um sonho, e sim uma experiência exosciencial. Não há como diferenciar um sonho de uma experiência exosciencial, porque essencialmente não há treinamento e da mesma forma que em tudo que necessita de discernimento proprioceptivo, é preciso treinamento. O treinamento pode levar a uma noção mais profunda sobre a experiência exosciencial. Toda vez que houver “revelações”, mais direta, envolvendo terceiros, não é um sonho. Kaíkno, um sonho Kaíkno é um sonho autêntico. Há na Terra vários locais, no espaço físico insciencial, visitados pelos seres em sonho. Estes seres podem ser seres de comunicação, assim como, os encaixes da experiência de cada um. É como se fossem salas destinadas àqueles que em sonho buscam a vivência da experiência do sonho. Da mesma forma, os seres exoscienciais se expressam coletivamente buscando auxiliar aqueles que estão no mesmo âmbito de expressão. Falar sobre os sonhos especificamente é preciso que se compreenda ambas as experiências, pois elas se farão todas de sonhos, e ambas podem ou não ser projetadas para os processos mnemônicos na estrutura mnemônica idárica de cada um. Vamos abordando esses temas, pois, os aspectos das energias, das filergias, dos campos fi, eletrofi, vão sendo pouco a pouco compreendidos. Apesar da complexidade desses assuntos, a maior dificuldade não se deve à experiência “teórica”, ou seja, aquilo que descrevemos, mas à prática, ou seja, a experiência de discernimento de cada um.

Grupo: As experiências de sonho autêntico, no âmbito da exosciência, têm a ver quando a gente acorda e tem uma lembrança de algo que parece inexistente, mas aquilo tem um lógica e, pouco a pouco, a gente se vê rodeado desse mundo físico e perde essa conexão? Isso é a experiência exosciente de uma forma geral ou o sonho também se manifesta assim?

NA: Há situações que o sonho se manifesta também, desde que possa trazer para a consciência uma noção complementar, e esta é uma dificuldade, pois a concepção do que é sonho pode limitar a experiência do discernimento do sonho propriamente dito. É como se a tentativa de revelar o sentido de um sonho causasse uma resposta equivocada para o próprio sonho. Por isso, as orientações solicitam que não se interprete, pois o resultado da interpretação pode revelar o equívoco, e não a intenção orgânica de expressar algo.

Grupo: Nos sonhos podem ter outras pessoas, no sonho autêntico. A gente pode ter um sonho com terceiras pessoas?

NA: Depende, normalmente não.

Grupo: Então, esses sonhos que a gente tem com outras pessoas não é o sonho autêntico?

NA. A respostas também é ambígua. “Normalmente” não quer dizer todas as vezes. A ambiguidade se assemelha ao suirsoma.

– – – – – – – – –

Pessoal

– – – – – – – – –

NA: Entenda, foi uma experiência exosciencial, muito comum na infância, principalmente a facilidade de identificação das questões. Não podemos interpretá-la e dizer literalmente porque você já interpretou e sente que há uma relação entre o que você sonhou, ou seja, entre a experiência exosciencial e a realidade. Não podemos destituí-la da sua interpretação. Entenda que não é um sonho a esmo, é uma experiência real, exosciencial. O fato de ter espelhado a experiência exosciencial demonstra a sensibilidade na época. Buscar compreender racionalmente é um processo equivocado, porque mesmo que os elementos lógicos estejam presentes e estão, não havia especificamente o objetivo para tal interpretação. Absorva a experiência como experiência da sua mente no âmbito exosciencial. Pode ser útil sentir esta possibilidade, pois ela pode ser treinada.

– – – – – –

Pessoal

– – – – – –

Grupo: Mais cedo perguntei sobre o controle dos sonhos. É porque quando eu era criança eu tinha um sonho muito estranho. Eu sonhava com uma melodia. Era um carrinho de sorvete que tocava uma música e essa música me gerava um incômodo muito grande. Era uma sensação horrível. E durante o sonho eu conseguia ter certo controle de me colocar em um outro lugar que tinha um quadro antigo com umas frutas. Essa visão me tirava essa sensação e me tirava essa melodia que me incomodava. Mas eu tinha esse controle. Eu me lembro que já tive outros sonhos que eu conseguia me colocar nesse lugar, em frente a essa parede com esse quadro e tinha esse momento de tranquilidade. Queria saber se isso era sonho, ou experiência exosciencial, porque eu tinha um certo controle sobre isso.

NA: Uma quantidade muito pequena dos sonhos infantis são sonhos realmente. A grande maioria são experiências exoscienciais, só que não há discernimento, pois, as projeções mentais, mnemônicas são muito frequentes. Quase todos os sonhos, a exceção está nas reações orgânicas, geralmente quando há febre ou alguma doença, especificamente. Normalmente, as experiências de sonho infantis são experiências exoscienciais. Já no adulto isso ocorre em 1/3 , ou seja, o adulto perde a sua experiência exosciencial pelo fato de desenvolver habilidades contrárias à sensibilidade mental.

Grupo: Tem um sonho que eu tive várias vezes durante a minha vida, desde criança, que ele não é muito concreto. Ele é mais a ideia de matéria constraindo e expandindo. E, normalmente quando tenho esse sonho, eu acordo bastante suado e com aquele sentimento de angústia. É engraçado porque algumas vezes, quando eu estou em estado de concentração, escrevendo ou alguma coisa assim, me parece um reflexo desse sentimento também. Que tipo de experiência seria essa?

NA: Tipicamente exosciencial, ou seja, a experiência exosciencial ela está relacionada a todo tipo de experiência no estado de sono que não seja o sonho propriamente dito, isto é, inclusive na relação com o espaço físico, com Mágnem, com a experiência com outros seres, a experiência de projeção, as experiências com seres Intai, as experiências com os próprios campos de energia, etc.. Você tem muitos sonhos exoscienciais e tem habilidade a ser desenvolvida. Isto vale para todos vocês.

Grupo: Queria pedir acompanhamento para o meu filho que vai fazer prova nas próximas semanas.

NA: Acompanharemos. Agradecemos a oportunidade.

É sempre preciso compreender a si mais do que se busca compreender. Há muitas mudanças não apenas nos seres em volta de você. Mas, em você. Não são apenas as mudanças anunciadas, pois, parte delas são expressões da imaginação. Entretanto, há mudanças nos campos de energia e nos fatores de exposição da sua mente, do seu corpo e da sua experiência de vida. É possível aproximar-se mais de si para desenvolver noções diferenciadas, ou seja, aumentar a perspicácia da percepção, do raciocínio, mas também da intuição. É preciso se sensibilizar com as noções daquilo que se apresenta para não estares igualmente imbuído de uma dispersão. É importante compreender que os sonhos se mostram ainda muito puros, autênticos, dos sentidos que o próprio corpo busca para si. E esses sentidos apontam para um equilíbrio, o equilíbrio de ser, de estar, de compreender e de ser compreensivo, pois os sonhos ampliam aquilo que és para si. E é possível alcançar naturalmente, sem torná-lo estranho como o próprio sonho. Verdadeiramente, a estranheza vem da experiência do corpo, da experiência com o outro exercitado muito mais na negatividade, no egoísmo, do que no altruísmo e do que na positividade. É possível inverter isso trazendo uma imparcialidade para o centro da experiência negativa. O positivo sobressai por si. Mas, é preciso exercitar-se. É preciso respeitar-se conscientemente, respeitando-se aos outros. Isto é a expressão do amor incondicional. Agradecemos. Paz e Amor. As águas estão energizadas. Mnahrkiwon.