Encontro Semanal

A sabedoria humana não é só humana

 

Paz e Amor.

O conhecimento liga-se à consciência, quando estabelece uma relação entre o ser e as suas ações voluntárias. Tanto o conhecimento de si próprio, quanto o conhecimento construído coletivamente, ao longo de tempos e tempos, são construídos há muitas mãos dimensionais. Acerca das influências que a mente recebe, a manutenção e o desenvolvimento da mente conta com a colaboração de muitos seres, incluindo os seres que se dizem donos do conhecimento. O acesso à dimensão física proporciona a estruturação e o domínio do espaço, do tempo, e dos objetos que são contemplados pela mente – o chamado conhecimento, as informações. Parte dessas informações é transmitida por seres invisíveis aos olhos dos seres vivos, são transmitidos por vegetais para a mente humana, são transmitidos por animais e até por insetos. Entretanto, há de se convir que esta informação exótica e não palpável da experiência humana nem mesmo precisa ser relevada, apenas um conhecimento a mais, porque as diferenças entre as mentes humanas são tão amplas quanto as diferenças entre os seres que habitam a existência em torno do conhecimento humano. Certamente, o impulso para os novos e surpreendentes conhecimentos não aconteceria se não houvesse a contribuição de muitos anônimos e invisíveis seres. Apesar disso, todo o esforço desses seres, ao transmitir ou influenciar o desenvolvimento dos seres humanos e de si próprios, vários aspectos desses conhecimentos se tornam e se tornaram irrelevantes, trazendo um grande hiato, um grande abismo entre o conhecimento e o sentimento. Mas, ainda assim, a contribuição de todos os seres permanece, ampliando-se para o espectro da sabedoria humana. Tão híbrida, sincrética, diversa, quanto aqueles seres que alojam os corpos físicos na forma humana. E isso, por si, irá trazer ao ser humano uma perspectiva igualmente híbrida de sua experiência. Os seres humanos atuais são muito mais diversos, tendo-se como referência quem são os “espíritos” que atualmente se manifestam através do corpo humano. Há muitas invasões, e muitas proteções. Mas, o embate aumenta. E a humanidade, como ser original, deixa de existir, para se tornar o ser em decorrência da participação e contribuição de outros seres. Há um aspecto positivo e um aspecto negativo. O aspecto negativo refere-se à invasão de outros seres na esfera da forma física humana, alterando os seus DNAs, modificando a sua relação central com a sua consciência, em alguns aspectos, altamente violenta. Não tão diferente dos seres humanos originalmente presentes há mais de mil anos para trás. Entretanto, o aspecto positivo reside em que a sua sabedoria e o seu conhecimento caminha num sentido de expansão. Felizmente, e ainda apesar de em ritmo menor, os aspectos sentimentais, digo, os aspectos do sentimento mais profundo crescem paulatinamente, apesar de ainda em proporção pequena. O conhecimento não é só humano. E, assim sendo, a sua sabedoria também revela-se igualmente diversa. Entretanto, em nome dos seres humanos. Paz e Amor. Paz e Amor.

Agradecimentos pela vinda,

NA: Agradecemos e, antes tarde do que nunca, àqueles que vêm pela segunda vez, e àqueles que retornam.

Grupo: Há um tempo, você mencionou sobre alguns seres benevolentes, como pássaros, insetos, que de alguma comunicariam com a gente, não exatamente verbalmente, e eu entendi que essa comunicação … informações, intuições, fossem de seres que se utilizavam desses outros seres benevolentes. Se há de fato essa comunicação, eles é que estão comunicando, ou são vocês ou outros seres semelhantes, espíritos, que se utilizam deles como canal?

NA: A experiência de todos os seres, a nosso ver, refere-se à interação nem sempre amigável entre as experiências diversas vividas por cada um dos lados. Muitas vezes, a companhia de insetos refere-se a uma alimentação boúgica, outras vezes há aspectos específicos da proteção, ou até mesmo a afinidade entre seres. Portanto, não há um motivo específico que guarda a relação entre os seres. Ela não só é muito diversa, quanto amplamente específica, podendo ser contraditória. Os seres benevolentes são aqueles abertos à interação harmoniosa promovida por eles, não pelos seres humanos. É o caso de muitos seres vegetais, micro-organismos, insetos especificamente em situações de equilíbrio. E muitos outros animais, como aves, animais domésticos, etc. Havendo, portanto, no sentido conhecido da experiência humana, uma “ecologia paralela” de relação entre os seres humanos em diversos níveis de seus contextos “espirituais” “desencarnados” e atuantes no nível físico, aparente, mas transitoriamente e eventualmente atuantes. Assim como seres de outras “dimensões”, como o nosso caso, e evidentemente, a relação de cumplicidade, de cooperatividade, de solidariedade, de rivalidade, competitividade, de amor, de outros sentimentos que promovem interações diversas, fazendo surgir grupos, famílias e estruturas físicas, fisiológicas, como doenças familiares, ou como surtos, em escala social, invasões de seres micro-organismos, invasões de seres poli-dimensionais, alguns em defesa, outros para o alimento físico, e outros, ainda, para a exploração ambiental, assim como fazem os próprios seres humanos. E, apesar disso, se mantêm escondidos da aparência física, responsabilizando o próprio ser humano por atitudes e construções de processos complexos auto-destrutivos. A movimentação nos níveis não aparentes é bem mais complexa e comprometedora do que pode imaginar os seres humanos. Na maior parte das situações, os seres humanos estão e são absolutamente desprotegidos na sua “inocência”, promovem um grande atraso afetivo e emocional, fazendo manter-se fiel a contradições auto-destrutivas absurdas. Isto traz um grande risco iminente. Por isso, é preciso uma transformação consciencial baseada no amor. Por isso, é preciso que estejamos nós e muitos outros atuando de forma limitada, mas em certos aspectos, garantindo que o processo auto-destrutivo da humanidade não se degringole de vez.  Certamente, há consciências humanas muito desenvolvidas atuando em conjunto, em seus espaços dimensionais e trabalhando arduamente para que os seres de seus parentescos espirituais possam se resolver, desatando muitos nós, como se diz, na própria espiritualidade humana. E esses processos complexos encontram-se em uma fluência maior, apesar do aumento expressivo da indiferença, do ódio, e das expressões de agravo diante uns dos outros. Confiamos que em algum momento será preciso intervenções de muitas partes, pois atuamos com distanciamento, em constante negociação. As negociações não são como aspectos humanos, mas com muito mais agressividade e poder de destruição. Essencialmente, até então, no tempo físico, este que estamos, há um equilíbrio de “interesses” no embate entre a ignorância humana auto-destrutiva, egoísta, vaidosa, injusta e irremediavelmente infeliz, contra a desconstrução deste ódio, e a transformação pelas forças do amor. Temos muitos aliados, poderosos e, por isso, agimos com distanciamento e respeito às características do ambiente de sobrevivência humana, assim como de suas abordagens, mesmo que ignorantes e equivocadas para si próprios. Aguardamos os instantes para transmitir a importância do respeito por si próprio e pelos outros, o que já fizemos, em mais de trinta milhões de seres nesses últimos dez anos, pelo menos, numa diversidade de situações. Mas, muito pouco, muitos outros seres contribuem sem a intervenção desejada por alguns, uma vez que qualquer intervenção, até mesmo no senso da humanidade, poderia ser catastrófica. Isso não impede que o trânsito de informação e de desenvolvimento autenticamente da experiência humana, esteja transcorrendo normalmente. Paz e Amor.

Grupo: Queria saber se há alguma forma de proteger das invasões ruins em nossos corpos e mentes.

NA: Sim. Há muitas formas de proteção. A mais simples e mais poderosa é a confiança incondicional no amor e a atuação consciencial em seu âmbito mental pessoal de forma a fazer uma espécie de blindagem, o que faz parte das informações que estamos há algum tempo transmitindo aos nossos irmãos humanos por todo o planeta. Dentre esses aspectos de proteção, encontra-se o fortalecimento mental, sob dois aspectos principais: um primeiro, através das mentalizações de icons, estruturando a capacidade mental de orientar os efeitos e as bases corporais em relação à auto-imagem e a experiência cotidiana de cada um. O outro aspecto é a blindagem eletro-fi. Por isso, estamos abordando o assunto, lidando com estruturas eletromagnéticas, eletrofis da mente através de tecnologia específica de interação mental com campos eletromagnéticos e eletrofis. Já fizemos algumas introduções sobre o assunto, e esboços de exercícios, utilizando ímãs, mas as explicações dependem da experiência de cada um. E assim sendo, não iremos contextualizar nenhum processo, sem que eles estejam em equilíbrio com a participação espontânea e volitiva de cada um. Não podemos transmitir algo que possa trazer desequilíbrio por falta de orientação, tendo-se em vista que algum conhecimento não humano possa ser transmitido, mas isso faz parte de nossas reservas em relação a como abordamos o próprio conhecimento científico humano, em contrapartida a algum conhecimento que não seja da experiência humana, porque não temos o direito de interferir, fazendo surgir questões específicas para cada um. Nossas limitações estão em poder de alguma forma associar o conhecimento humano, científico, ou de outra ordem, como o conhecimento cultural, ou o conhecimento de cada um de si próprio, para transmitirmos as experiências que podem ser aproveitadas o melhor possível para cada um de vocês. Isso só será possível através da interação a médio e longo prazo, porque não podemos satisfazer as questões simultaneamente para todos de forma igualitária. Deveremos, portanto, prosseguir, na medida em que aproveitarem o melhor possível, cada um de acordo com sua própria forma de ser, independentemente das condições afetivas, emocionais, intelectuais, sentimentais, … relacionadas a aspectos de saúde ou não. Assim sendo, ao nosso dispor, encontra-se a irradiação do amor que pode proporcionar sem nenhuma consciência, o equilíbrio proprioceptivo sem a nossa interferência, em cada um. Só isso já nos contenta em estarmos transmitindo que a confiança em si próprio ou em si própria, no amor incondicionalmente, pode trazer para cada um aquilo que precisa de melhor para o seu coração e para a sua inteligência. O amor é a força incondicional da existência que perpassa todas as dimensões desta existência. Paz e Amor.

Grupo: quando fala que medo não existe e agora nos dá a percepção de toda essa dimensão, é assustador. Como se fôssemos marionetes através da ignorância. Percebo que tem sido prática minha essa questão do medo e dessa briga interna e que isso unificando, deixando de ser briga interna, é o que tenho buscado sentir e entender o amor como vocês trazem. Isso fortalece a confiança de que não precisamos auto-destruir e que podemos potencializar as forças, e isso fortalece a proteção? A consciência de unificar. Maior compreensão da relação corpo-mente e mente-corpo. Tudo isso fortalece e protege contra as interferências, deixam com mais autonomia? Podemos fazer melhores conexões e melhores frequências?

NA: Primeiramente, não estamos fazendo medo, mas quando se chega para uma criança e diz não tenha medo da escuridão, você não a convence. Ela sente e vê que a escuridão guarda segredos da sua própria visão de mundo. Ela não pensa dessa forma, mas as suas reações apontam para uma grande desconfiança, porque não confia em si mesma. Encontrar a proteção é contar com a existência do perigo, confiando muito mais que ele existe do que existe a proteção. Ter certeza da proteção do amor incondicionalmente lhe impõe esquecer os riscos sem abandonar as precauções que fazem parte da noção consciencial que, por sua vez, é o seu conhecimento, é a sua sabedoria. Entretanto, a maior parte dos seres humanos encontra-se em um estado de desequilíbrio que não permite a ele saber mais de si para que possa dar um passo a cada vez, incondicionalmente baseado no amor. Os seres não sabem disso, não sabem como crer em si mas sabem como destruir e desconfiar. Infelizmente, a dor é a experiência mais forte da existência humana. É altamente comprometedora, mas ensina. É possível substituir a dor pelo amor, mas é preciso crer, é preciso desenvolver a consciência, num sentido transformador, trazendo para a realidade, baseada na confiança daquilo que se constrói. Construa crendo, para manter a confiança diante daqueles que irão duvidar. O elo entre a realização da existência é constituído da mente auto-confiante, da mente que crê, e seus poderes de ser aquilo que se constrói com base na eficiência do amor, pois a eficiência do amor não resta dúvidas. E esse aspecto é o fato mais melindroso dos problemas da humanidade. É preciso sim não adiar, é preciso saber que se pode fazer em seu âmbito, promovendo ligações que acontecem em ressonância com aqueles que se esforçam por intermédio do amor incondicional. Pois, o amor condicional é a vaidade e o egoísmo, que geram discórdia, orgulho e dependência. Paz e Amor.

Grupo: Mensagem para a Andréia, cunhada da Ronise.

NA: Cara irmã, olhe para as linhas das suas mãos e creia que elas dizem quem você é. Mas, não é o conhecimento superficial da humanidade que vai dizer, é o sentimento que tens consigo própria, que poderá revelar que o estado de ser para si própria precisa ou não da urgência incondicional do seu próprio amor. Não deixe para depois, não esqueça de si, pois esse esquecimento poderá lhe fazer sentir mais e mais a força que tens contra si mesma. Então, é preciso confiar e buscar. Como se busca? Se busca dando-se a mão à sua própria mão e reconhecendo que é preciso obter de dentro de si mesma a luz do amor. A luz que, por mínimo que seja, irá romper a escuridão, revelando-se na penumbra, a essência do seu ser. Não tenha medo, e confie. Siga em frente incondicionalmente baseada no amor. Paz e Amor.

Grupo: Posso transmitir essa mensagem para o meu pai?

NA: Pode, para qualquer pessoa.

Grupo: Queria aproveitar para pedir para um grande amigo que tirou sua própria vida. Se pudessem orar por ele, fazer essa passagem em paz, seria importante para as pessoas que rodeiam ele, as histórias que deixou.

NA: Assim seja. Paz e Amor.

Grupo: Qual o interesse desses seres anônimos, invisíveis, em estimular em nós, seres humanos, o pior em nós? A ignorância, orgulho vaidade. Por qual motivo?

NA: Poderemos falar disso, em um momento específico, mas é preciso que se compreenda que apesar de toda ignorância, é possível superá-la e que não depende de outros mas sim de si mesmo. Essa equação conhecida da experiência humana não traz nenhuma novidade até o momento em que ele crê. A partir da experiência da sua crença em seu estado de transformação, os outros seres irão abandoná-lo. Há muitos motivos para outros seres estarem nesta região da existência física. Essencialmente, há motivos tanto construtivos quanto destrutivos. Mas, há proteção. Há forças inclusive antagônicas em seus próprios pares, que fazem o equilíbrio, apesar de toda a ignorância e o sentimento de isolamento universal da humanidade. Verdadeiramente, a humanidade não se sente só. Alguns seres humanos não acreditam em algumas experiências humanas. Tanto por parte daqueles que praticam a ciência humana, quanto por parte dos outros diversos segmentos responsáveis pela formação do conhecimento e da sabedoria humana. Entretanto, os motivos dos outros seres, muitos deles podem ser tão exóticos, que não iremos relatar. De uma forma geral, atendem a situações que abrangem as suas capacidades de interferir em diversos níveis da realidade experienciada pelos seres humanos. Abordaremos em situação específica. Paz e Amor.