Encontro Semanal

Entre achar e encontrar

Paz e Amor.

O ambiente humano é repleto de fluxos eletromagnéticos e radiações cósmicas que sincronizam e promovem ações e reações em diversos níveis da mente e do corpo humano. Grande parte da interação mental automática relaciona-se aos fluxos jogados na atmosfera. Muitas vezes, as situações são consequências de aspectos sincronizados e captados involuntariamente por determinados seres, como as plantas, que fazem uma espécie de higienização desses fluxos eletromagnéticos e de irradiações ionizadas, além das sínteses de gás carbônico e oxigênio. O meio ambiente exerce influência de diversas formas e iremos focar em dois aspectos que sobremaneira influenciam a mente e o comportamento humano. Escolhemos duas expressões para simbolizar um aspecto automatizado do organismo e um aspecto voluntário da consciência: achar e encontrar. Aquilo que se acha é o que está no entorno. Pode ser descoberto e pode ser encontrado. Achar relaciona-se com aspectos involuntários da mente, do que encontra-se em sintonia e/ou afinidade, sendo um somatório de fluxos intercambiando entre si aspectos do meio eletromagnético, influenciando acontecimentos e desenvolvimentos orgânicos. Dizemos que encontra-se com aquilo que a mente constrói, com o desejo, com a ação voluntária mental, com o pensamento. Encontra-se com aquilo que se marca. Entre achar e encontrar, há diferenças de concepção, de ação, de compreensão e, por isso, achar aproxima-se do que é aleatório, mas daquilo que influencia diretamente ou indiretamente os objetos e os seres vivos. Muitas vezes, as sincronicidades acham-se disponíveis para serem encontradas. Por outro lado, encontrar requer conhecimento, consciência e força da vontade. Por isso, requer também confiança. Achar as coisas que se perdem; achar o que o outro disse; achar o que se perdeu dentro de si requer aprender a lidar com o ambiente. Encontrar-se consigo próprio requer consciência, força volitiva, limitação, alcance de algum aspecto inter-relacionado, como a mente e outros fatores. Promovem, portanto, uma diferença entre o que influencia a vida dos seres humanos, sem a participação da consciência, da escolha e de outros fatores relacionados à consciência. Isso, por um lado. Por outro lado, a consciência age quando se constrói o que se procura, e promove um encontro entre a mente e o meio ambiente. A mente pode influenciar através dos mesmos processos não voluntários que relacionam-se à dinâmica dos icons. Brevemente, iremos discutir o poder que a mente pode adquirir, compondo-se pela consciência, pela confiança, e pela influência de fluxos eletromagnéticos que no ambiente estão desconectados da consciência de uma forma geral e outros aspectos que podem trazer transformação para as ações do cotidiano. Achar é lidar com ambiente com muitas influências, sem destino. Encontrar é lidar com ambiente, com influências endereçadas, o que permite controle mental. Encontrar é parte dos chamados processos mentais. Encontra-se pela consciência. Acha-se por motivos muitas vezes fugidios. Assim como a natureza humana contém em sua essência fluxos de amor incondicional, é possível achar fluxos de amor incondicional no meio ambiente sem destino. Ao mesmo tempo, é possível encontrar o amor que reflete na consciência, que interfere no plano consciencial, dotando a mente humana de vontade, dotando o ser potencialmente capaz de influenciar também a si próprio, aos outros, e ao ambiente. A luz do amor amplia, fortalece, virtualiza a experiência humana; seja o amor que já está no ambiente para ser achado; seja o amor que é trazido para a consciência, balizando, potencializando e reforçando o poder da confiança. Paz e Amor. Paz e Amor.

Grupo: Esse assunto está conectado com o que conversávamos antes: a sincronicidade vivida pelo xxx hoje, e eu ia pedir pela xxx, hoje, e me lembrei de achar um papel na casa da xxx.

NA: Falamos sobre isso para reforçar o exercício, pois a influência da consciência precisa ser desenvolvida e treinada.

Grupo:  Também as pequenas certezas, como achar vaga, a consciência atua no mundo…

NA: Da mesma forma que o mundo atua nos seres. Se os seres não atuarem no mundo, ele estará mais sujeito aos problemas e aos descompassos do mundo. A consciência pode e deve transformar o mundo. Começa e termina com a mente, o pensamento, a confiança, a vontade, a capacidade de direcionar o pensamento, de associar uma coisa com outra, de fazer movimentar aquilo que não tem vetor, criando fluxos especificamente orientados para um alvo. Aquilo que se deseja, que se escolhe, pode tornar-se fruto dos eventos futuros, promovendo incronizações, sincronizações, sincronicidades.

Grupo:  Especialmente no tempo presente, os acontecimentos no mundo e no Brasil, temos a capacidade de influenciar positivamente nessa ordem de dimensão?

NA: Qualquer pessoa tem a capacidade de influenciar, digamos, grandes quantidades de fluxo aleatoriamente, sem destino. Entretanto, o que é plausível relaciona-se ao exercício de conseguir a confiança necessária para produzir tais influências, como no exemplo citado, das vagas. Mobilizam-se grandes quantidades de fluxos. Como estão desorientados, uma mínima fonte de luz irá promover, em cadeia, de maneira que um pequeno fluxo orienta um fluxo maior e outro maior orienta um fluxo ainda maior, e assim, sucessivamente. Tal influência praticamente não gasta energia física, pois a mobilização inicial pode ser mínima. Ela irá se transportar, passo após passo, de um micro para o macro, como que derrubando barreiras cada vez maiores. As barreiras são fluxos simbólicos para as situações reais. Portanto, a mente não precisa de gastar energia, mas precisa emitir fluxos certeiramente autoconfiantes para que produzam ressonâncias em cadeia. Os fluxos desorganizados influenciam aleatoriamente a vida de cada um pela via da ressonância, criando afinidades com aquilo que está no entorno de cada ser. Há um grande número de fluxos eletromagnéticos e eletrofis sem destino, desorientados, reverberando, refletindo, sendo absorvido por cada um. Paz e Amor.

Grupo:  Recentemente, tive uma experiência dessa, que para mim tem tudo a ver com o que foi dito hoje e tem a ver também com aquela impressão que eu tive sobre a xxx, que eu estava certo. Foi quando eu ganhei um instrumento num workshop do percussionista cubano, coloquei muito foco que eu ia ganhar, e ganhei. Estou certo?

NA: Certamente, é um bom exemplo, o que você fez foi criar um icon.

Grupo:  É um poder que tem que ser usado com muito amor. Com base no amor.

NA: Certamente.

Grupo: Queria falar sobre xxx, me parece que ela está atraindo fluxos desordenados. É isso? Ela foi se deixando influenciar por uma certa falta de confiança, ou excesso de confiança nas dificuldades? Muitas coisas próximas uma das outras. Crer no negativo?

NA: Exatamente.

Grupo:  Queria pedir por ela hoje. O que podemos fazer?

NA: A priori, transfiram para que mude o padrão mental. Que confie que fará escolhas acertadas em termos mais práticos, e evitar o exercício negativo. A substituição da supremacia do negativo pela simplicidade positiva, baseada no amor, é ao nível do ser humano comum, a forma mais bem sucedida, tanto espontaneamente, isso é, feita sem o conhecimento dessas técnicas, tanto quanto feita voluntariamente focada conscientemente nas energias do amor. O amor é um fluxo constante no ambiente, que não encontra-se desorientado. Como é um fluxo desconhecido, acontece apenas, em relação à maioria dos seres humanos, de forma espontânea, ou seja, sem o conhecimento desse fator.

Grupo:  Ou seja, tem pessoas que estão facilitadas para que isso aconteça. Espontânea, elas carregam isso, estão pré-dispostas a intencionar o positivo, a confiança. Ela não tem consciência da técnica, mas está predisposta a intencionar o positivo?

NA: Isso mesmo. Exatamente.

Grupo: Imagino que a pessoa que faz com consciência, isso deve ter mais poder.

NA: Tem mais poder, mas como a consciência é treinada ao contrário, dependendo da pessoa, ela precisará de algum exercício. Por isso, sugerimos as pequenas certezas, e por isso, por mais cotidianas que sejam as situações, como estacionar um carro, são considerados exercícios, quando são resultado de um foco consciente para uma determinada situação. A realidade se configura tal qual aquilo que se intenta, sem que tenha que ser alterada. Haverá uma interferência nos fluxos de sincronização, incronização, sincronicidade, possibilitando as coincidências, os encontros. De outra forma, serão achados. Paz e Amor.

Grupo: Para se ter o foco consciente, é também necessário um exercício específico? Por exemplo, parar um tempo, limpar a mente, e daí construir mentalmente o que se deseja?

NA: Simplesmente confie, que a vaga aparecerá. Não é necessário construir mentalmente, pois estará manipulando algo que provavelmente não acontecerá. Peça a vaga. Como? Deixe as sincronicidades agirem. Vamos usar algo do conhecimento da física quântica, o princípio da incerteza. Se determinares, como não conseguirá a vaga?

Grupo: Isso que a xxx falou em relação com à xxx, ocorre também com a xxx, confia demais no negativo. Me surpreendeu, ela ter falado que ainda tem esses medos e essa crença no pior, que pensa e sonha que as pessoas vão morrer, que vai acontecer um desastre, me parece compulsivo, e veio de uma situação de vida. Como virar a chave de uma situação compulsiva? Como lidar?

NA: Primeiramente, é preciso compreender que todos têm proteções, proteções da própria consciência ou do inconsciente, e proteções dos seres que acompanham. Entretanto, se você planta laranja não colherá uva, a não ser que a sua confiança alcance estágios improváveis, transformando laranja em uva. A priori, a confiança é a chave para a realização daquilo que precisa e está presente no diálogo subconsciente, inconsciente, insciente, de cada ser. O aprendizado desenvolve a consciência. A consciência potencializa o subconsciente, o inconsciente, e o insciente. O mínimo que pode acontecer é de o negativo potencializar desorganizações, potencializar o caos. Mas, frequentemente irá potencializar o negativo porque planta laranja, colhe laranja; planta uva, colhe uva. Se pede chuva, confie, que a chuva cairá. Se duvidar, a chuva não cairá. Se for um lugar muito seco, ela cairá, mas dependerá mais da sua confiança. E da confiança dos outros. Se a maior parte duvida, a chuva não se formará. Se o ambiente ajuda, precisará menos da desconfiança, ou da confiança. De qualquer maneira, colhe-se o que se planta. Não duvide, acredite, irá acontecer. Se não aconteceu, é porque não confiou. Paz e Amor.

Grupo: Queria pedir pelo meu pai, que está passando por momentos delicados.

NA: Confiem e sejam assertivos. É preciso convencê-lo com conversas abertas e amorosas. A luz do amor direciona os encontros. Paz e Amor.

Grupo: Queria pedir que me acompanhem na reunião na sexta, que me ajudem com o amor, as intuições.

NA: Confie e transfira a confiança para outros, para que a união, como se diz, faça a força. Foque no amor. Sem amor, é preciso dor. Foque no amor, porque a luz do amor elimina a dor. O amor é sempre uma experiência bem-sucedida. Confie. Paz e Amor.

Sigamos, mirando para os caminhos dos encontros, onde o sentido do amor pode revelar a essência das coisas, onde a força do amor pode orientar aqueles que não têm destino. A lógica do amor pode esclarecer muitas dúvidas. A essência do amor promove transmutação. A confiança é a ferramenta do amor. Paz e Amor. Paz e Amor. Agradecemos. As águas estão energizadas.

A resposta para a energia da água de coco é positiva. Funciona igualmente ou melhor, e já está energizada.