Encontro Semanal

A mente se transforma

Paz e Amor.

Há muitas áreas de interesse em relação ao uso da mente. Algumas vezes, é usada como algo que se controla. E outras vezes, como algo que impõe. As muitas formas de utilização da mente relacionam-se aos caráteres diversos dos interesses humanos, em grande parte sem se considerar sentimentos e comportamentos, sem se considerar processos divergentes. Em grande maioria, a mente é dominada pelas repetições do comportamento. Apenas se supõe que alguns privilegiados seriam capazes de sobrepor as suas mentes sobre outras. Mas, há informações importantes para divergir da forma como os humanos se utilizam de suas mentes. Certamente, a forma fragmentada reduz o poder amplamente reconhecido de associatividade, assim como a chamada plasticidade, que nada mais é do que a capacidade de adaptação. Mas, podemos dizer, entretanto, que a mente não se constrói de seus únicos aspectos de uma vida. Mas, de um conjunto maior que se projeta de uma vida para outra, compreendendo-se uma vida e outra como os ciclos de vida e morte, já bastante conhecidos em várias religiões humanas. Entretanto, ainda, mesmo assim, utiliza-se a compreensão de que a vida resume-se à vida atual do ser que vive. Esse aspecto polivalente e descontínuo reforça muito os motivos indispensáveis para a manutenção e sobrevivência dos seres humanos. Podemos perceber ciclos mentais tanto a partir de experiências dos seres duplinados e de todo o processo sendo continuado, desde o nascimento até as configurações conscienciais se completarem vidas e vidas após o início deflagrado em determinado momento. Assim sendo, a maior parte dos seres humanos vivencia ciclos vitais mentais introspectivos pelo fato de estarem em uma camada consciencial mais longa e, assim, vivenciarem em pelo menos dois ou três, até mais, ciclos vitais. Desta forma, a mente infantil nem sempre está começando do zero, mentalmente. Pode estar em níveis diferentes do tempo atual em que se encontra. E isto pode trazer diferenciais sobremaneira mais ricos e mais potencialmente poderosos. Apenas uma parte mediana sincroniza os ciclos de vida com ciclos mentais em uma única vida, por vezes, estendendo o ciclo de vida para conseguir amadurecer-se mentalmente. O interesse no conhecimento desses processos mentais introspectivos refere-se à auto-localização em relação ao comportamento, ou aos comportamentos que saem da média em áreas específicas, tanto de forma virtuosa, quanto de forma desequilibrada. Certamente, ambos, ao se situarem fora da média, chamarão a atenção positivamente ou negativamente. Assim sendo, conhecer um pouco das extensões mentais pode contribuir para o seu equilíbrio e auto-confiança. O assunto relaciona-se diretamente com uma gama ampla de situações e, por isso, será inserido pouco a pouco, para que se demonstrem os motivos mais gerais e contundentes, e suas repercussões mentais, no âmbito geral. Maiores esclarecimentos ficarão, desta forma, inseridos em contextos diversos a serem apresentados, como vimos abordando – aspectos dimensionais e aspectos duplinados, comparados aos aspectos não duplinados. Isto é, na linguagem espírita, aqueles que já se foram, em relação àqueles que aqui estão. Por nossos interesses, não propomos discutir curiosidades a respeito dos seres duplinados, porque a maior parte das dúvidas poderemos dar versões polêmicas e isso pode trazer um realce negativo para a compreensão mais isenta dos assuntos mentais. Certamente, dúvidas mais localizadas, com sentido estimulado por aquilo que propomos, nos caberá responder o mais próximo possível da forma humana, para não ejetarmos as ideias, mesmo que erroneamente pré-concebidas dos próprios seres humanos. Isso se deve ao fato de que nem sempre é possível comprovar, ou melhor, quase nunca é possível comprovar ideias e fatores apresentados fora do escopo do conhecimento humano. Aquilo que é possível e não lhes traga nenhuma repercussão negativa, poderá ser momentaneamente demonstrado. Paz e Amor. Paz e Amor. Agradecemos.

Grupo: Pode explicar a relação entre a alma e a mente? Se existe relação.

NA: Certamente existe, porque a alma é a mente e a mente é a alma.

Grupo: Quando você fala que as pessoas vêm com mente de outras vidas, é a mesma coisa, que a alma?

NA: Certo. Desenvolva mais.

Grupo: O carma, a bagagem, porque a alma é coisa pura, livre de qualquer coisa, eu penso, e a questão da bagagem da outra vida, podem ser positivas ou negativas, certo?

NA: Certo.

Grupo: Por isso fiquei em dúvida se eram a mesma coisa, mente e alma.

NA: Certo. Porque alma é pura?

Grupo: Eu acredito que sim, acredito que estamos para conectar com nossa alma. É pura de julgamentos. Por isso pergunto, minha crença é de que estou aqui para conectar com minha alma e ela é pura.

NA: Falamos muitas vezes, e sempre, a respeito do ser eflérico que selide ressonâncias, criando um eixo. Chamamos de ‘o eixo consciencial’. É o ser em sua essência, a que você se refere como alma. Muito bem. Caso o ser esteja selidindo no universo físico pela primeira vez, talvez não consiga se expressar e a sua pureza lhe restará para se transformar com simplicidade em seres especificamente escolhidos. Talvez não fossem seres humanos na forma atual ou anterior. Mas, os seres humanos, em grande maioria, já completaram centenas e centenas de ciclos vitais, isto é, na linguagem espírita, de reencarnações. E, assim sendo, o seu eixo consciencial guarda as suas memórias e experiências, dando-lhe como direção a luz do amor. O amor, na essência, é a pureza da alma. Mas, todo ser, mesmo em sua inocência, ainda não se conecta à pureza de sua alma, como disse, e à pureza do amor, como dissemos nós. Pois, a sua experiência não o leva especificamente em direção às suas fontes de amor incondicional. Ao perceber essa possibilidade, e ao tentar buscá-la, não se pode idealizá-la, pois irá maquiar a sua sensibilidade em relação aos sinais exteriorizados pelo eixo consciencial. Chamamos esse acúmulo mnemônico de silo eflérico. A memória armazenada lhe potencializa muitos passos adiante do seu encontro consigo próprio, tornando-se de muita valia encontrar-se, essencialmente consigo mesmo, com o seu eixo consciencial, pois o que lhe domina a este nível, são apenas as fontes do amor. Certamente, este é o desejo do ser silo-eflérico, pois não há pureza em sua alma. Ele busca a pureza e pode encontrá-la em sua confiança, exercitando o amor incondicional. Cada um pode fazer isso a seu modo, porque não existe regra para reconhecer e encontrar a si próprio. Mas, se assim o fizer, poderá ser altamente transformador. E, de forma contundentemente significativa, também poderá transformar – e deverá assim acontecer – àqueles que estiverem em seu entorno. O amor é a essência mais profunda da alma humana. Paz e Amor. Compreendeu?

Grupo: Compreendi, obrigado.

NA: Agradecemos.

Grupo: Nosso Amigo, pedido da Tereza, que não pôde vir, para acompanhar na viagem, e pede luz sobre o visto da filha.

NA: Agradecemos a oportunidade. Acompanharemos e, na medida do nosso possível, influenciaremos, mas são prerrogativas da vida de qualquer um. Certamente, é um bom momento, pois logo não será. Paz e Amor. Agradeço.

Grupo: acompanhe meu sobrinho e a filha de minha aluna, internada.

NA: Acompanharemos e agradecemos a oportunidade. Paz e Amor.

Grupo: Nosso Amigo, uma vez já perguntei sobre isso, mas agora, com tudo que vem sendo exposto sobre a mente, e sobre Ídar, queria saber sobre as pessoas que perdem a consciência e continuam nessa vida, confinadas no corpo – como fica a mente?

NA: A interação entre a mente e a consciência está no organismo físico. Então, quaisquer desconexões físicas, seja de origem psíquica ou de ordem neuroquímica, química, ou fisiológica, certamente promoverá desconexões entre a mente e os seus processos. Entretanto, não os perderá. Se são aspectos de uma experiência terminal, assim que o ser duplinar em insciência, irá recuperar seus estados gradativamente, até tornar-se insciência de tudo que está em volta, recuperando suas memórias atuais ou anteriores. Portanto, a mente tem como interface o organismo que irá processá-la em todas as suas formas e constituí-la organicamente, simbolicamente, permitindo, se em estado normal ou natural estiver sem problemas, irá permitir, portanto, o intercâmbio entre e interdimensional com Ídar e os seus aspectos de interface orgânica. Muitas enzimas e proteínas são processadas em decorrência de conexões cerebrais tanto com o universo físico, quanto com as dimensões inseridas neste universo físico, como é o caso de Ídar. As desconexões físicas podem resultar em desconexões da experiência de vida do ser que vive as desconexões. Elas serão temporárias até o próximo momento que, ou é por meio de alguma reconexão, o que é possível por diversos processos, ou em momentos pós-morte, tomando insciência da experiência vivenciada ao longo de algum tempo e por meio da assistência que deve receber nessas situações. Paz e Amor.

Grupo: Obrigada.

Grupo: E isso que nós seres humanos chamamos de ego, gostaria de saber que características atribuem a esse elemento e de que maneira ele interfere … ou dificulta o acesso ao amor incondicional.

NA: Há uma rede complexa de questões e situações envolvendo o ego com o processo mental ou consciencial. Dentre as diversas questões, já fizemos uma exposição a respeito dos fílens, em que, digamos, na sua anatomia tripartite, uma quarta situação reflete enganos na leitura orgânica, promovendo uma ênfase proprioceptiva, formando estados mentais específicos, especialmente funções egóicas mais especificamente ainda localizadas em resultante ou de autopreservação, ou de formação hiperdirecionada e hiper-estimulada. O ego tanto é uma ilusão quanto uma função que, a priori, tenta contribuir no processo consciencial em sua autopreservação. Há aspectos positivos e negativos decorrentes das funções egóicas, digamos assim. O assunto deve ser tratado em momentos bem mais à frente, quando concluirmos as bases que estamos demonstrando. Agradecemos. Paz e Amor. Peça, por favor, os textos relacionados às características descritas sobre os fílens, e lá estará uma das questões que estamos abordando. Agradecemos.

Grupo: Você já passou diversos exercícios. Algum desses pode ajudar nesse encontro da gente com a alma, a essência, o amor incondicional, ou há algum mais específico?

NA: Há possibilidade de tratarmos desse assunto sempre acompanhado de alguma proposta técnica para ser exercitada, o quanto possível, por cada um. Mas, nem sempre as situações são favoráveis. Há exercícios compreendendo assim, que contribuem para a manutenção orgânica e o equilíbrio estrutural dos filens, dos campos eletrofis gerados pelo próprio organismo e dos fluxos fi chamados de ki, através dos muito reconhecidamente intitulados meridianos. Esses fluxos relacionam-se à manutenção de campos eletrofi, que são aqueles que se comunicam polidimensionalmente, absorvendo os fluidos vindos do espaço, como a luz solar e os reflexos gama mais fracos, que são úteis para diversos processos do organismo e da mente como um todo. Certamente, os exercícios anteriores atendiam às propostas específicas dos assuntos abordados com aqueles objetivos. Vários dos exercícios têm repercussão mais ampla. E, por isso, poderão ser reavaliados. Paz e Amor. Agradecemos.

A mente que se constrói é a mente que está em sua consciência a todo instante, tomando decisões e exercitando-se diante dos conflitos e das propostas da vida. Cada um pode seguir-se atentamente auto observando-se e aos outros também. Seguir desta forma pode, de forma ampla, fazer-se alcançar novos patamares, tanto do conhecimento, quanto da própria mente. Fazer-se propostas a si mesmos é criar diálogos íntimos, mesmo que verbais, para se desenvolver, para se avaliar e reavaliar comportamentos, condutas, de acordo com os efeitos do amor, de preferência, pois o amor naturalmente irá propor limites e esses limites são de extrema valia para a sobrevivência e para o desenvolvimento pessoal. Por isso, estamos aqui, transmitindo um pouco do que podemos, pois, poder nesse caso não é o que nos cabe, mas o que cabe verdadeiramente na mente, no comportamento e na vida de cada um. Que seja o amor a referência da vida de vocês e de todos nós. Paz e Amor. Paz e Amor. Agradecemos.

30