Encontro Semanal

Iluminações mentais

Paz e Amor.

A mente processa memória e informações, associando processos de paridade, confirmando e selecionando memória. Há diversos tipos de memória, mas estamos lidando com dois tipos: as memórias orgânicas e memórias mentais idáricas. Apenas uma parte da memória encontrada em Ídar tem o seu espelho orgânico, e perto de 20% da memória física é projetada como espelho em Ídar. Isto quer dizer que os principais processos mentais ocorrem predominantemente fora do organismo físico. Mas, em sintonia e sincronismo, porque é a partir do organismo físico que o ser silosciente se expressa em seu estado duplinado. Então, estamos nos referindo aos estados duplinados apenas. Processos de icons relacionam-se ao corpo e a transformações mentais processadas e devolvidas aos organismos, aos órgãos e estruturas orgânicas. Um bom exemplo é a linguagem, que tem o seu espelho mental organizando os processos psíquicos relacionados à expressão de suas necessidades. Parte do processo mental ocorre fora do organismo físico. Outra parte está diretamente associada à estrutura física orgânica. No caso da linguagem, é possível produzir raciocínio sem articular os órgãos físicos responsáveis pelo acompanhamento linguístico. Mas, a maior parte dos seres humanos acompanha fisicamente quando articulam pensamentos intermediados pela linguagem. Interessa-nos, no momento, enfatizar a ausência da linguagem como exercício inicial para os icons. Iremos propor uma série de exercícios intercalados com discussões, se houver algum grupo de interesse no assunto. Caso contrário, os exercícios poderão ser abandonados em lugar de explicações teóricas. Iremos apresentar hoje, inicialmente, as luzes mentais já conhecidas da maior parte dos seres humanos.

Peço a permissão para a exposição de outros participantes. Agradecemos.

OA: Paz e Amor. Pedimos desculpas por variações na modulação da voz. Paz e Amor. Apresentação de exercício inicial proposto há alguns anos. Iremos retomar de uma outra forma. O primeiro exercício refere-se a projeções mentais para as diversas camadas da mente consciente. A mente aparece de forma própria para cada pessoa, pois, a formação mental relaciona-se à experiência de corpo físico em associação com os processos de aprendizagem de cada um, e dessa forma, poderão vislumbrar algumas camadas. Umas pessoas podem perceber camadas diferentes em cada mente. Vamos pensar em três níveis de camadas mentais muito frequentes em pelo menos 90% da humanidade. Uma camada imediata apresenta-se difusa, instável e pouco acessível ao congelamento de impressões ou imagens, ou de memória. A primeira camada mental é aquela que quando você fecha os olhos, e vem, de súbito, sombras, riscos, luzes, manchas em movimento, de maneira insegura, indefinida, inacessível, mas muito frequente. A segunda camada de estudo é logo atrás, mais próxima da impressão do osso occipital assim como na impressão para trás dos olhos, diferentemente da projeção entre os olhos. A segunda camada fica com algum esforço logo atrás dos olhos projetado para o palato. E por isso, aconselha-se, para ajudar a encontrar a segunda camada, pressionar a língua no palato mais atrás, forçando um pouco mais para trás. Se cansar a língua, pare um pouco. A segunda camada é levemente mais equilibrada do que a primeira camada. Mas, o equilíbrio depende de se encontrar esta camada. Estamos chamando de camada onde o seu foco mental consegue estabelecer uma espécie de tela mental. Pois, a tela mental é apenas uma impressão subjetiva. É você que tem que estabelecer esta tela dentro da sua impressão mental. E quanto mais exercício fizer para estabelecer essa tela mental, ela irá se conjugar com algum equilíbrio estável, e isso é equilíbrio, manutenção e estabilidade de imagens, manchas, sombras. E pode provocar o surgimento de perfumes e algum tipo de aroma que demonstra boa percepção. Somente a partir da segunda camada, você vai conseguir encontrar resposta olfativa. Na primeira camada, a observação pode trazer impressões de movimentos dos olhos. O movimento dos olhos causa resposta eletromagnética que repercute no primeiro nível mental. Por isso, normalmente, é desprezado pelo cérebro, por serem estímulos frequentemente associados à estrutura ocular. O segundo nível encontra-se com certa nitidez depois de um tempo de treinamento. Até então, pode haver alguma dificuldade de encontrar o segundo nível. Estamos falando sobre mentalização. Estamos explicando que há três camadas que estão sendo focadas por nós. Há outras, no total são sete camadas importantes e mais umas dez menos importantes. A segunda camada retorna impressões também de temperatura em partes diversas do corpo, dependendo de cada um. Todas as reações que acontecem proprioceptivas são pessoais. De uma forma geral, cada um deve persistir para encontrar essas camadas. A terceira camada, levemente mais profunda, lhe poderá dar impressões de maior controle da luminosidade. Ela encontra-se em projeções na direção do chamado Y ocular, que é um cruzamento na altura superior da testa acima do chamado terceiro olho. Essas indicações são subjetivas. A projeção da terceira camada é o objetivo do exercício. O exercício consiste em:

Primeira etapa: observar movimentos de manchas escuras. É muito frequente desde a primeira camada mental, o surgimento e o desaparecimento de manchas escuras. Às vezes, elas podem surgir repetidamente. Então, iremos fazer algumas descrições que podem acontecer, ou não, em sua mente. Vamos entender que as três camadas são níveis de foco mental associados a situações de auto-compreensão mental. Isto é, qual foi o tempo que você dedicou desde a infância a brincar com as suas sombras e luzes mentais? Agora, elas podem ser encontradas com maior facilidade para umas pessoas e em maior dificuldade para outras. Se na infância você imaginou muito, fantasiou bastante, foi estimulado a encontrar as suas ideias e os seus sentimentos, terá mais facilidade em achar as suas camadas mentais ou os seus focos mentais. Os icons dependem desses exercícios mentais. Pensando na terceira camada, é o foco do exercício.

Primeiro procedimento: encontrar sombras na terceira camada. Mas, como achar a terceira camada? Como saber se estou na primeira camada mental, na segunda ou na terceira? É você que vai descobrir. Ninguém pode entrar em sua mente para ajudá-lo ou ajudá-la. Por isso, vamos repetir, no próximo encontro, uma parte dessa exposição, só que fazendo alguma prática, se houver interessados.

A terceira camada portanto, vamos ao segundo passo. Simultaneamente ao primeiro passo, que é encontrar sombras escuras, disformes, é tentar segurá-las o máximo possível. É tentar fazer com que elas fiquem do tamanho que estão, ou tentar identificá-las melhor.

O terceiro passo também na terceira camada, porque dificilmente irão conseguir fazer isso nas duas camadas. Se conseguir, parabéns, ou é porque já está na terceira camada. Estamos falando de camadas mentais, que são os focos mentais. Imagine que você está com a sua câmera de filmar. E agora você aponta para um determinado lugar e espera ela focar, se ela estiver no automático. Mas, se estiver na sua mão, então você vai focar. É isso que você vai fazer em sua mente. Procure não usar palavras do tipo: estou focando agora; essa é a terceira camada, etc. Para garantir que o exercício seja feito, escolha uma hora, um local tranquilo, e dedique, se for possível, pelo menos dez minutos. Não vamos colocar mais do que isso, porque sabemos da prioridade da rotina e das coisas mais importantes do que você. Então, agora vem a terceira etapa para hoje: que é conseguir aceitar as luzes que surgem na primeira, na segunda, e principalmente na terceira camada mental. As luzes podem surgir com cores variadas, mas podem surgir pequenas, e formando formas disformes ou bolas circulares, claro, bolas são circulares, mas é importante que você não perca ela de vista. Em um determinado momento, ela vai se diluir, ela pode ficar escura, pode mudar de cor, ou pode desaparecer subitamente. Ou ainda, uma outra bola luminosa aparecer no meio ou deslocado da anterior. Então, você pode manter a sua atenção para o foco principal, que é essencialmente a terceira camada mental. A luz do amor encontra-se inserida nas expressões luminosas da mente. São difíceis de ser identificadas porque há influências musculares oculares e estímulos luminosos oculares que criam campos eletromagnéticos e estímulos elétricos capazes de confundir completamente o que é o que. Agradecemos. Paz e Amor. Paz e Amor.

Grupo: Agradecimentos e boas-vindas. Apresentação do Weber.

NA: Agradecemos a presença de todos.

Grupo: gostaria de  pedir para, se possível, interceder para q minha filha Ju encontre seu caminho.

NA: Assim seja, agradecemos a oportunidade e estaremos iniciando todo o processo para tal. Agradecemos.

Grupo: Estamos vivendo um momento difícil no Brasil e no mundo. Como podemos lidar melhor com isso nesse momento?

NA: Agradecemos. Podemos ampliar a questão para um vislumbre pessoal humanitário mais coerente. Que o amor seja mais divulgado como forma de resolução das questões difíceis. Pois, muitas vezes, as soluções estão onde está o poder. Então, é preciso que o amor seja projetado para a mente coletiva. O amor incondicional. É preciso que se confie em si para que sua projeção alcance aqueles que precisam dela. As projeções são outros capítulos de nossas exposições. É possível criar padrões de ressonância que cheguem como forma de influência. Toda mente humana se baseia em interatividade mental. São os chamados campo fi. Então, é possível que se desenvolvam também formas mais lúcidas de reagir e de se complementar ideologicamente, de tal maneira a proporcionar diálogo. Compreendemos que uma das formas mais eficientes relaciona-se à luz, à energia, à forma, à compreensão do amor incondicional. Exercite o amor incondicional para si e para os outros, e estará preparando a humanidade para solucionar-se. Certamente, aqui e agora seria ou será pouco provável que isso aconteça, pois afinal, quanta negatividade já gerastes, cada um! Paz e Amor.

Grupo: Estou nessa batalha do amor incondicional. Está muito difícil.

NA: Torne-o incondicional. Às vezes, o amor parece uma novidade nunca dita antes, pois, é tão desconhecido em sua prática, quanto algumas coisas que já expusemos. O amor é uma questão nova na humanidade. Tem apenas alguns segundos de seu conhecimento. Isso não é ironia. É o efeito da ignorância. É o efeito da impossibilidade, especialmente do comodismo. Não se pode dizer que esteja acomodada, pois o sofrimento não permite isso. Então, é uma troca. Ou o amor, ou a dor. Ou a dor, ou o amor. O exercício do amor é algo inerente de sua fé. Não se pode dizer que esteja fazendo algo, se não está fazendo. Quando se diz ‘isto não é pessoal’, quando se diz que não se consegue, estás, a priori, abandonando-se. Quando dizemos ‘confie’, estamos aplicando incondicionalmente o amor. O medo é uma ilusão. A preguiça, uma presunção. A ignorância, a indiferença, a vaidade, o orgulho, se confundem em um caldeirão. Um caldeirão que não se transforma, que não se toca, que não se mexe, mas que reclama, porque sofre. Mas, o sofrimento é uma dádiva, porque sem o sofrimento, não poderia ter nada para trocar em amor. É preciso que se aceite como és. Abandone conceitos, preconceitos e muitas outras coisas que parecem ser dogmaticamente dominadoras, mas são tão frágeis que se contradizem. É preciso amar incondicionalmente. Quer resolver a existência? Se todos amarem incondicionalmente não é possível? É uma crença. Não ser possível é uma crença, assim como crer em si, pode escolher. É uma escolha, já que crê em algo que não sabes como e por quê, já que crês em algo já perdido. A humanidade, o seu país, a sua família, o seu filho, o seu eu, o seu quem? A luz do amor incondicional é a luz do sol, é a luz do movimento, é a luz daquilo que crê que encontra eco. Eco é anteparo, é conhecimento, é descoberta, é encontro. Descubra-se, perdoe-se, aceite-se, renove-se, não se mantenha da mesma forma, mas aceite para transformar. Paz e Amor. Agradecemos.

Grupo: Gostaria de pedir pela minha mãe.

NA: Assim seja, estaremos acompanhando.

Grupo: Pedir uma luz especial pela minha filha, completa 21 aninhos amanhã.

NA: Agradecemos a confiança, agradecemos, agradecemos.

Grupo: Eu também agradeço.

N: Nossas oportunidades nos fazem transmitir aquilo que transmitimos, as oportunidades precisam ser aceitas. Se não forem, estamos aqui, e se forem, estamos aqui.

Grupo: O exercício, a primeira fase, seria abrir caminho para um auto-contato?

NA: Isso. Exercícios mentais possíveis de serem feitos, simples, acessíveis a qualquer um.

Grupo: Mesmo que tenhamos que descobrir a terceira camada?

NA: Única opção, pois não há aquele para intermediar sua própria mente com sua própria mente.

Grupo: É a localização subjetiva?

NA: Não, é localização precisa, porque precisa ser transformada em imaginação para ser usada como referência. A mente se localiza subjetivamente, mas ela tem representações físicas, locais físicos que estabelecem condicionamentos, associações.

Grupo: Quando eu mentalizo, sinto formigamento, acima dessa linha das sobrancelha, o que penso ser o 3º. olho. Tem a ver?

NA: É algo a ser observado por você.

A mente é uma projeção de luz, por ser alta vibração, por gerar impulsos eletromagnéticos e por ser impulsos eletrofis, eletromagnéticos, eletrostáticos, etc. A mente é o que é o seu ser silosciente. A mente é o que é o seu corpo orgânico, físico e é o que você faz de você. A mente é uma projeção ideológica, é uma projeção filosófica, é uma projeção racional, é uma projeção física. O ser silosciente faz da sua mente a sua consciência. E é por isso que é possível controlá-la, fazê-la da melhor forma e irá contribuir para que com os outros ocorram coisas semelhantes. As mentes são interligadas. Às vezes, de forma sutil, tão sutil que se desligam, e às vezes, tão fortemente ligadas que se tornam físicas. O que acontece com os outros também pode ou não acontecer com você. É importante dizer ‘ou não’ porque, às vezes, és diferente. É preciso compreender as dimensões das diferenças porque elas suscitam a incondicionalidade do amor. São as diferenças que fazem diferença. É preciso que se creia, que se compreenda que mesmo que não creia, creia. É preciso que se descondicione toda uma experiência de auto-destrutividade e se reestabeleça à luz da incondicionalidade do amor, pois só assim irá compreender em si o amor incondicional. É um exercício, um exercício de ser como és, para se transformar em quem poderás ser mais um como nós, crentes do amor. Chamemos a atenção que isso não é título de religião, é conduta consigo próprio, é compreensão de algo dentro da sua própria essência, a essência do amor. A gradecemos. Paz e Amor. Paz e Amor. As águas estão energizadas. Nossos irmãos igualmente agradecem. Paz e Amor.