Encontro Semanal

Luas suirsômicas: as mutações e as associações

 

Paz e Amor.

Há uma certa quantidade de considerações sobre aquilo que se percebe da experiência humana. E podemos verificar que no plano dos campos eletrofi e a densidade eletromagnética e suas variações, há três níveis de interação subconsciente de cada um com o seu entorno. No nível mais denso, os campos eletromagnéticos tanto podem resultar das reações bioquímicas, corporais, em suas somas, quanto da relação mental, física e fisiológica, isto é, com o corpo, e os objetos que a mente considera como posse. Num segundo nível, a mente expressa campos eletromagnéticos associados diretamente aos filens e, portanto, aos vórtices de cada centro de energia corpórea. Mas, ainda guarda relações de interação com o corpo e os estados de bem-estar e mal-estar, normalmente, prostrações e dor, por um lado, prazer e relaxamento, por outro. No nível mais sutil, os campos eletrofi interagem livremente, tanto com o corpo e os objetos mais físicos, mas especialmente com os campos de energia gerados pelos centros de energia. Desta forma, cria e manipula ressonâncias, dependendo de suas necessidades. Por este âmbito, há muita possibilidade de interação com outros seres humanos, especialmente deduplinados, assim como as ligações que se faz para adquirir domínio sobre seus próprios centros de energia. A maior parte desse processo dos três níveis acontece inconscientemente, inscientemente ou subconscientemente, havendo, portanto, muitas alternativas para que as informações geradas pelos eixos conscienciais estejam em aberto, de forma sutil e acima dos níveis proprioceptivos orgânicos. Isto quer dizer que informações de toda a estrutura insciencial podem extrapolar para os campos mentais mais de alta vibração, podendo gerar diversos aspectos relacionados às informações suirsômicas. Certamente, todos esses aspectos expostos são de conhecimento dos mentores, dos protetores, dos participantes, das famílias quando se agregam e dos Intai mais desenvolvidos que, por ora, podem contribuir ou interferir no conhecimento confinado e combinado entre Ranamás e Aintai, os seres humanos duplinados. Essas informações geram aspectos igualmente difusos e indiretos, como já descritos, e são também considerados, por esse motivo, as chamadas luas suirsômicas. Acrescentando que as luas suirsômicas são assim denominadas por poderem criar perspectivas diferentes que exigem sensibilidade, confiança e auto-observação. Esse conjunto específico para cada um é, portanto, essas chamadas luas suirsômicas. A priori, iremos apresentar doze dessas luas, talvez, dependendo das respostas de nossos irmãos e irmãs ouvintes, e do interesse, acrescentar mais outras, pois, certamente, são as mais comuns.

Muitos dos conteúdos escolhidos, ao merecerem a atenção e a reflexão, como há pouco fizeram, e agradecemos, podem trazer respostas mais recheadas de interrogações bem-vindas aos processos aqui expostos. Muitas vezes, as transformações acontecem ao lado, à frente, em sequencias simultâneas, inter-relacionando eventos diversos, criando transformações, mudanças significativas para o desenvolvimento da vida, para a sobrevivência, e para as habilidades de interação de cada um. E quando relacionamos esses eventos, é porque eles acontecem com certa frequência, possibilitando, portanto, serem observados. As mutações acontecem em todos os níveis do organismo físico, da estrutura psíquica, dos aspectos emocionais, mentais, de maneira que essas mudanças de estados, de determinados estados para outros estados – sendo esses estados as condições específicas observadas, por exemplo, as mutações genéticas – têm grande influência de aspectos ambientais, mentais e das reações resultantes, voltadas para a sobrevivência, mas também para suas próprias transformações. Outros exemplos, como simples mudança de endereço, podem trazer relações inter-associadas, de tal maneira que essas mudanças ficam evidenciadas como relacionadas ao suirsoma. Em princípio, o suirsoma é aquilo ideal que aconteça com cada um, pois fora combinado de maneira elevada com nossos irmãos Ranamás, aqui presentes. A importância da abordagem dos assuntos relacionados aos suirsomas pode fazer grande diferença nos motivos que aqui nos encontramos. Os suirsomas representam tudo aquilo que gostariam que acontecesse com vocês. Com cada um dos seres humanos duplinados neste planeta. As mutações representam todo tipo de mudança que ocorre em sua vida, e assim essa lua suirsômica representa tanto a estrutura orgânica quanto a própria vida, considerando-se o que a priori elaboraram antes do encontro. Agradecemos por estarem nos compreendendo, mas é importante que se considere que cada um tem a sua experiência, que deve ser amada e respeitada, e que pode se desenvolver, caso a sua mente se afine com o seu coração, trazendo para a frente deste entendimento as questões relacionadas ao amor incondicional, pois não se compreenderá a experiência suirsômica em seu ser, desconsiderando o amor como a referência geradora de todo este processo. Desta forma, as forças tehili encaixam-se provocando naturalmente, mudanças de rumo, mudanças que podem ser no plano energético, que pode ser no plano “espiritual”, ou nos aspectos emocionais, ou ainda podem alcançar a estrutura física em seus elementos básicos de formação. É possível até mentalizar o funcionamento de uma enzima ou de uma proteína, e trazê-la para o seu corpo, reforçando, por exemplo, a sua imunidade. O exemplo da imunidade relaciona-se com o exemplo da vaga, porque há uma inteligência orgânica independente que age com base no equilíbrio, nas dosagens, nas escolhas específicas das substâncias, e que possibilitam recriações de sua própria estrutura, sejam elas realizadas pela vontade ou pelo próprio organismo; para expressar ou para se manter; para enfrentar microorganismos ou para renovar a sua consciência; para lhe trazer a realidade como se fosse crua e nua, palpável para os seus sentidos, ou para desmanchar toda evidência de sua memória. Todas as mudanças que acontecem dentro e fora inter-relacionam-se e observá-las pode lhe trazer grande riqueza da experiência de viver em confiança consigo e com os outros. As mudanças podem trazer segurança, assim como podem expressar necessidades por meio de situações, por vezes abruptas, ou como doenças, ou como eventos que se traz nas impressões dos sonhos, ou mesmo uma expressão direta e incansável das repetições interrompidas.

Uma outra lua relaciona-se àquilo que associa aos eventos, a você, às suas impressões, aos seus sentimentos, às suas lógicas. As associações são poderosas ferramentas mentais e corporais, porque o organismo cria associações com a mente através de suas reações neuropsíquicas, criando interações profundas entre aquilo que a consciência não consegue elaborar e o subconsciente que conhece mais do que a consciência e sabe que o corpo expressa para todos, para si, e para o próprio universo. Pois, aquilo que acontece com um pode ser expresso pela via subconsciente para outros, e pelas associações, fazer ligações preciosas, ligações entre a respiração e as forças volitivas; ligações entre o medo e a ilusão. Pois, se o medo fosse real poderia cortar o próprio organismo em fatias. A imaginação relaciona-se a muitas habilidades de associação, criando ambientes internos de auto-apropriação, de auto-reconhecimento e estabelece caminhos associados com substâncias. Ou associados a memórias. E muitas dessas associações contêm luas suirsômicas – as impressões de que o caminho estará certo se eu tiver que chutar uma mesa e quebrar os meus dedos para sair de um estado de letargia inapropriado para a minha saúde. Os sinais orgânicos são abundantes, mas são naturalmente desconexos para a consciência. Eles percorrem caminhos pelo organismo físico, mas também caminhos múltiplos pela estrutura consciencial energética dos campos eletrofi e eletromagnéticos, causando uma distribuição de processos inter-associados. Por isso, dentro desta estrutura, eles são comparados porque são sistemas de paridade, que confirmam que aquela informação faz parte do seu sistema, que aquele efeito deve ser produzido pelo organismo para adquirir determinados processos que fazem falta naquela experiência. Há uma inteligência que flui pelo corpo e pela mente, que se trocam em harmonia, de forma interdependente, expressando tudo aquilo que autenticamente pode reconhecer a si. As luas suirsômicas representam sinais valiosos. Caso esses sinais possam ser observados – e o treino desta observação deve trazer novas perspectivas, novas formas de se perceber a si e aos outros – há muita relevância na estrutura consciencial quando esta percebe o seu próprio amor, e que este amor pode ser multiplicado, dividindo com os outros. As luas suirsômicas são sinais da evidência do amor incondicional em cada um. As luas suirsômicas podem levar à reflexão sobre a sua própria existência. Por mais confinado que se esteja, há muitas formas de perceber o que há dentro de uma estrela. Normalmente, encontra-se a luz do amor. Paz e Amor. Paz e Amor.

Agradecimentos. Saudações.

———-

Atendimento…

———-

NA: Paz e Amor. Cada pessoa tem dentro de si meios de encontrar-se em sua luz de amor. Pense e dialogue com si, com o seu si. O seu si é algo difuso, mas que representa a sua impressão. Busque, com leveza, soluções para as questões do seu caminho, observe. Todos os caminhos são próprios. Por mais que se assemelhem, sempre há diferenças muito grandes. Os motivos de cada um são mais profundamente próprios, porque se fazem de tudo que é para si. A todo instante, assim como o próprio corpo se mantém, a sua mente se mantém, e os seus estados orgânicos interativos com a sua mente, também se mantêm, assim como os planos de energia que se trocam, tanto no ambiente, quanto no mágnem, com outros. É complexo, mas funciona simplesmente. É direto e é com você. Não há como se substituir. Ame-se, confie em si, incondicionalmente. Estabeleça relações com aquilo que vive. Reflita, dê tempo. Não há pressa. As pressas que se percam. Tudo pode esperar, tudo pode mudar. Tudo pode se transformar. Qualquer coisa que tenha que fazer, estabeleça o seu tempo. Não imponha as obrigações externas, com nenhuma violência. Não imponha com impiedade, como se nada pudesse fazer. Olhe para si com respeito, com intimidade e cumplicidade. Aceite-se. E aceite os seus desafios, pois eles são da natureza desta existência. Não é preciso entender tantas coisas. Apenas entender a si. E entender a si é observar-se. Não se deixe para trás como tantas vezes. Perder faz parte da vida. Mas, não é preciso justificar, porque não há justiça quando se perde. Fazer a si, perder é diferente de perder porque perdeu. Porque perdeu é da vida, porque nasceu. Mas, é mais forte em si, em seu mundo, aprender. Mas, não esqueça. Recrie. Colora. Pinte. Cante. Se expresse. Escreva. Desenha. Dance. Abra os braços, aceite a preguiça. Mas, não seja ídolo e nem venere a ignorância. Seja humilde, simples. Então, simplifique. Retire o excesso. Doe. Doe tempo. Doe luz. Doe amor. Doe compreensão. Aceite a dor dos outros. Assim como a sua. Não se sinta só. Pois, nunca estás só. A solidão física não é a mesma da solidão mental, nem da emocional, nem da “espiritual”, pois, não és apenas um. Viva, sorria! Pense todos os dias: em que momento você sorriu no dia anterior? Adquira alguma condolência, pois todos sofrem. Compreenda que o sofrimento é algo pessoal. Não é coletivo. Mas, quando você aceita o sofrimento dos outros, e o torna coletivo, você amacia a sua e a vida desse outro. Porque há uma distribuição de amor. Compreenda que a dor pode ser literalmente substituída pelo amor, e que você, ao negar para si, também nega para outros, e ao negar para outros, também nega para si. Então, doe. Até a sua dor, mas troque a dor dos outros pelo seu amor. Isto significa cura. Você cura pelo amor, pelo seu talento de perceber a dor e o sofrimento dos outros. E, desta forma, cria a realização de muitos suirsomas. Não imagina quanto poder está contido no amor. Agradecemos. Paz e Amor. Novamente, os Ranamás de cada um energizaram as águas, cada um, do seu Ranamás. Agradecemos. Paz e Amor. Paz e Amor.