Encontro Semanal

Os altruístas e as ilusões das verdades – luas suirsômicas

 

Paz e Amor.

Há um grande trânsito de múltiplas relações entre a humanidade e uma infinidade de situações envolvendo necessidades de toda ordem. Entretanto, na mesma medida, há grande indiferença quanto àquilo que acontece com cada um. As diferenças entre as pessoas carregam a sua história de tal forma que podem ser levadas de forma isolada das outras histórias dos outros seres humanos. E, assim sendo, desde o nascimento, a impiedade humana sobressai, alastrando perfis dramáticos por toda parte. Há muita carência, há muita expectativa, há muita espera. E os destinos sem controle criam estados de entropia, atrasando os eventos de desenvolvimento de toda uma parte da humanidade. Mas, esse perfil desastroso não está só. Há também as contrapartidas das forças do amor. Há uma pequena parte reservada aos seres humanos que se abriram aos universos do amor. A experiência humana relacionada ao amor incondicional proporciona uma relação muito especial. São os chamados altruístas. As pessoas altruístas são aquelas que não têm medidas íntimas para com os esforços de melhorar os aspectos destrutivos da humanidade. Mas, a importância dos seres humanos altruístas ultrapassa a concepção que se tem de uma pessoa altruísta. O altruísmo está intimamente ligado aos suirsomas. Mas, não exatamente ao suirsoma do ser altruísta. Pois, de certa maneira, trata-se de haver uma ligação profunda com o amor incondicional. Desta forma, os seres altruístas são chamados pelos Ranamás de seres RamaIntai. Essa condição especial adquirida pelo coração em sua afinação com a mente desenvolvida e inteligente, envolve os Ranamás de cada pessoa ajudada por um ser humano altruísta. E, desta forma, a maioria dos seres altruístas não sabe e nem percebe, mas estão nos ciclos dos Ranamás. O altruísmo é uma lua suirsômica, porque evidencia muitos canais de relação com aquilo que os seres Ranamás buscam em seus orientandos, digamos assim. As orientações dos Ranamás contam com a presença mesmo que fortuita de um ser altruísta. E valorizam de tal forma que se mantém ligado aos humanos altruístas. Muitas vezes os benefícios não podem ser percebidos pelo ser humano ajudante, para não interferir em suas próprias causas, e não interfere, porque cada um tem o seu Ranamás. Mas, se aproximam de seus eixos conscienciais, inscienciais, onde a sensciência íntima exala toda a sua relação com as forças do amor. Quando sentires a presença de uma ser altruísta, observem, seja a si próprios, ou outros, sempre há a virtude de alguma forma atuando em benefício daquilo que o ser altruísta alveja. Talvez seja das luas suirsômicas a mais próxima daquilo que podes fazer por si e pelos outros. Pois, os caminhos suirsômicos estão em ressonância com todos aqueles que podem contribuir para que haja sucesso na vida de qualquer um. Assim, para ser um ser RamaIntai é só compreender o sentido altruísta de viver a vida. Certamente, há aqueles que já nascem aplicando o seu altruísmo em sua própria família, começando com a sua própria mãe. Mas, é necessário ultrapassar as fronteiras da individualidade, e compreender que quando se dá aos outros, quanto mais altruísta, mais dá a si próprio ou a si própria. Certamente, há interrelação entre cada uma das luas, umas com as outras e, de outra forma, é possível perceber as situações na vida de cada um, em que se considera as verdades absolutas e intransponíveis, mas o mais frequente é haver a força da ilusão. A ilusão é uma suposição de que algo é verdadeiro, sendo esse verdadeiro não verdadeiro. Então, percebe-se que a lua suirsômica da ilusão das verdades, transformam muitos em ilusionistas de suas verdades, de suas falsidades. E muitos são levados pelas ilusões. Às vezes, se mantêm nessas ilusões por toda uma vida. Mas, é preciso e é possível perceber observando as ações da própria realidade, que muitas vezes se contradizem. E tais contradições são impostas como forças tehílicas que modificam, deixando claro que a verdade pode ser outra. Aqueles que se iludem, muitas vezes se mantêm pelas ilusões. O medo é um exemplo de uma ilusão que causa uma perturbação na realidade propriamente dita, trazendo distorções dentro e fora de cada um. Mas, ao se considerar a ilusão uma ilusão, as contradições que se contradizem externalizam a sua verdadeira face. E os eventos sem consistência e sem parâmetro, podem se revelar na medida em que se confia em si, na medida em que se externalizam as suas ações para o âmbito coletivo, pois outra ilusão típica é que és só. E que o seu egoísmo pode suplantar as suas dificuldades, trazendo só para si aquilo que dever repartir. E o exemplo mais evidente é o próprio amor. Quanto mais o amor é represado em seu ser, mais ignorante esse se torna. Pois, como se diz em todo lugar, o amor, quanto mais se divide, mais se multiplica. A ilusão talvez seja dos aspectos que mais contribui para a ignorância, para a indiferença. A ilusão retém a sua individualidade, como se não dependesse de ninguém. E não dependendo de ninguém, ninguém também depende de você. É preciso e é possível perceber que as contradições que se vive relacionam-se a ilusões da verdade. A mentira não é uma doença da ilusão. A mentira é a conveniência da consciência, pois ela sabe que é mentira. Mas, a ilusão torna opacos os espaços vazios do ar, e faz com que o seu olhar, voltado para o umbigo, não deixe que perceba a sua própria verdade. A lua suirsômica da ilusão das verdades não é um aspecto negativo da sua compreensão, mas, a revelação de que uma ilusão pode se falsear de uma verdade. Altruístas constroem o amor, contribuindo para a superação suirsômica de outros e de si. E as ilusões das verdades revelam a face oculta que podes viver. Creia em si, sinta a importância que tem quando ajuda um outro ser em suas mínimas situações. Elas não estão a seu serviço, mas a serviço de outros Ranamás, e da humildade de ajudar aos outros. Por este motivo devem ser baseadas no amor incondicional, quando se ajuda incondicionalmente. Ajudar em troca pode ser bom e deve acontecer para alguns, pode ser até uma obrigação. Mas, o altruísmo é uma relação que tens com o seu amor incondicional. Valorize-o e as fontes Ranamás lhe acompanharão, ampliando a cada vez o seu alcance com o seu próprio amor íntimo, e isto não é uma das funções do seu próprio Ranamás? Paz e Amor.

Agradecimentos

Grupo: Alguns altruístas, eles estão nesse ambiente Aintai, mas também estão no ambiente Intai, ajudando aqui? A gente recebe ajuda inconsciente deles?

NA: Os altruístas são seres Aintai ou seres Intai. São vocês, caso sejam altruístas. Aquele que ajuda, em qualquer sistema, sem esperar em troca, sem se aproveitar, é um ser RamaIntai. A designação é expressão dos Ranamás, pois sem esses seres, seria de extrema dificuldade para a experiência humana duplinada. Os Ranamás não determinam quem serão os seres RamaIntai. Eles apenas os esperam. E eles surgem das situações suirsômicas de cada um. Todos os seres são ajudados, pois nascem, e são ajudados primeiramente por aquela que recebe a missão de trazê-lo para a duplinação, a sua mãe. Já se pode perceber que a base da experiência materna é o amor incondicional. Mesmo aquelas mães que rejeitam, estão baseadas nesse amor e sofrem profundamente por rejeitar. Mesmo assim, terão os benefícios dos Ranamás, pois, de uma forma ou de outra, ela trouxe, e isto já é a experiência altruísta. Pode-se dizer que todas as mães, se quiserem continuar altruístas, elas já são. E pode-se dizer que os seres humanos masculinos terão que escolher ser altruístas. Pois, muitas vezes, podem negar e não ser. Mas, há aqueles, homens ou mulheres que independentemente das suas situações, são simplesmente altruístas. E isto, podemos dizer que é mais frequente acontecer onde há mais pobreza. A pobreza material. E mais raramente onde há riqueza material. Não deveria ser o contrário? Não. Onde mais se necessita, mais se compreende. Onde menos se tem recursos, mais se busca, e mais se põe no lugar do outro. Paz e Amor.

Grupo: pedir pelo xxxx que faleceu, e xxx xxxx que está internado.

NA: Já estamos acompanhando.

Grupo: Se me permite, queria voltar às fontes. Na verdade, temos que reconhecer e prestar atenção em onde se origina aquilo que a gente faz, ou sente. A fonte é a origem, e ao mesmo tempo aquilo que nos alimenta numa atividade?

NA: Isto. Uma pessoa encontra-se enferma. Ao lado passa um rio poluído. Já se sabe que a doença vem desse rio. A poluição vem de onde? A busca ou a compreensão das fontes mostra certas trajetórias. A compreensão de onde vem uma angústia pode não ser claramente compreendida. Mas, a busca das suas fontes pode melhorar algum entendimento sobre as suas origens. E mesmo que estes entendimentos sejam ambíguos, e quase sempre são ambíguos, pode trazer uma referência para uma decisão. Quero que compreendam que ter informações não quer dizer que terá as soluções, mas quando se busca serenamente associar os traços que desenham ou que são desenhados pelas luas, podem servir de mapas para orientá-los onde está o norte, onde está o leste, onde nasce o sol, e que lua nasce no horizonte. Não se sintam aflitos em obter informações que talvez possam sobressair as suas virtudes. Então, não construam negatividades quando as luas abordarem o medo. Compreendam que quando no horizonte surge o medo, em seu coração pode surgir a coragem. Não se confunda como se os suirsomas fossem matematicamente certeiros. Eles estão confinados em sua insciência. Não tente revelá-los. Apenas compreenda que se chove lá fora, estará sujeito àquilo que uma tempestade lhe proporciona, então proteja-se. Se o ar está poluído, é momento de buscar novas possibilidades. Não se intimide pelos sinais. Acolha-os com serenidade e compreensão, com amor, pois a sua vida não está em risco se nada indica que não está. Mas, ignorar os seus próprios sinais pode lhe trazer ilusões de suas verdades. É preciso orientar-se através de uma bússola quando se não sabe os rumos dos caminhos. As bússolas podem revelar que pelo leste não há saída. Então, vais ficar desesperado, ou feliz de saber isso? Terás que buscar um outro caminho. As luas suirsômicas são apenas traços ambíguos. Eles não dizem claramente nada. Mas, a sua observação, a sua fé, a sua capacidade de relacionar deve ser estimulada, não para execrar o seu destino, mas para lhe trazer esperança, para lhe proporcionar alívio, ou talvez, lhe trazer alguma atenção especial, nada mais. São apenas dicas para contribuir de alguma forma com aquilo que está presente em suas vidas. São apenas sinais da natureza da própria vida. São extravasamentos daquilo que em algum momento combinara com os seus Ranamás. Não se impressionem, pois, eles não dirão para você o que você tem que fazer. Relaxe, ame a vida. Amem a si, ajudem aos outros, pois, estará ajudando também a si, mas não por isso, mas pela incondicionalidade do amor. Agradecemos.

Grupo: Agradecer pela sexta-feira na xxxx. Eu senti o acompanhamento.

NA: Igualmente agradecemos, pois, fora produzido por vocês mesmos.

—————————-

Atendimentos

—————————-

Grupo: Japinha, queria saber, tenho gota. Apesar de a alimentação não justificar tão ocorrência. Porque será?

J: Sempre associamos pelo que percebemos na estrutura orgânica humana. Inflamações, ao sistema imunológico, mas relacionados aos fatores emocionais. Busque inicialmente um diálogo com as dores. Busque determinar para si que está em equilíbrio. E este equilíbrio seja suscitado para que perceba. Então, atividade física pode parecer uma ideia preocupante, mas percebemos que não. Então, não paralise. Movimente, encontre respostas nos diálogos íntimos com o seu corpo. Ele não vai falar para você. Ele vai responder para você. E as respostas vêm aumentando e diminuindo, de alguma forma, as reações orgânicas. Como, por exemplo, ao invés de dor, fica mais quente o lugar, mais entumecido. Ou pode conseguir afirmando para si através de um icon para dialogar com o seu corpo. Se houver interesse podemos também fazer uma verificação. Pode marcar com nossos irmãos. Paz e Amor.

NA: Paz e Amor. Cada experiência em seu ser no corpo ou nas ligações que se tem com outras pessoas, ou nas questões que trazem do trabalho, da família, de alguma forma as interrelações acontecem em você. E são únicas. Não há outra pessoa com o seu perfil. Aquilo que acontece em seu ser pode ser sim avaliado pela ciência humana. Mas, cada um é único, e nem tudo que se afirma é lei. As leis passam a existir quando se conclui na sua experiência. E elas podem ser diferentes, com as mesmas supostas situações em cada um. Então, aquilo que pensas de ti, aquilo que constróis em seu ser, aquilo que formata em seu comportamento, compõe aquilo que pode demonstrar como regente na sua vida. Não é apenas por plantar laranja que vais colher laranja, mas certamente poderá torná-la mais doce ou mais resistente, apenas por considerá-la desta forma. E assim, consigo próprios, e consigo próprias. Talvez consiga maior homogeneidade, buscando a luz do amor. Pois, ela é única, e irá trazer para si o seu próprio eixo consciencial. O organismo humano serve ao seu insciente porque foi construído por este ser insciente que é você. Paz e Amor. Paz e Amor. As águas estão energizadas.