Encontro Semanal

Os icons e a mentalização silosciente: pré-condição para a meditação silosciente

Paz e Amor.

A mente humana, como a vislumbramos, é repleta de processos mentais em plena interação com o organismo físico, em todos os seus níveis. Certamente, as “centrais” mentais estão conectadas especialmente para criar diálogos específicos com o organismo cerebral. Mas, independentemente, todas as células contêm fílens, e esses estão em busca de todo o ambiente físico, em interação com o ambiente mental mnemônico. Não fossem esses aspectos, o organismo não teria uma grande quantidade funcional de sistemas específicos, grande parte, largamente conhecidos da ciência humana. Ainda há pouco associado a tal estruturação funcional múltipla do organismo físico, os humanos ainda não perceberam a íntima relação entre os domínios mentais-espirituais com as dinâmicas funcionais da estrutura corporal, orgânica, física, fisiológica. Vários aspectos são importantes para contemplar a importância da resultante corporal-mental chamada de consciência. A consciência é um resultado funcional múltiplo. Cada um tem as suas resultantes de seus sistemas. “Aos olhos” daquilo que vislumbramos, há um emaranhado de contextos bio-energéticos altamente dinâmicos, que se sobrepõem uns aos outros, dependendo da necessidade do ser silosciente, no caso, duplinado. Quando dizemos sobre os icons, estamos nos referindo especificamente aos seres duplinados, isto é, como vocês. Uma série de fatores de auto-aprendizado, como já descritos, está baseada em paridade, como vimos ultimamente descrevendo. A questão é que há dois fatores relacionados aos icons: a paridade e a interferência.

A paridade relaciona-se a confirmações do processo orgânico, físico, que acontece em todos os níveis da estrutura orgânica bio-química e elétrica, e eletromagnética. Inclui-se a interação mental das referências inscientes do ser confinado. Essa questão, portanto, proporciona a interação orgânica insciente, inconsciente, sensciente, subconsciente e consciente. Os fatores todos são paritários, necessitam de níveis bioquímicos ou bioelétricos, “eletrônicos”, eletrofi, e de campos eletromagnéticos para movimentarem a estrutura energética, baseada em contextos de produção e absorção, e eliminação de energia diferentes. Absorção de oxigênio, manutenção das estruturas celulares, a manutenção líquida, e a reposição de sólidos, todas relacionadas a processos paritários, funcionam comparando as exigências da estrutura em todos os seus níveis. Os “encaixes” paritários são, portanto, de ordem eletrofi silosciente, isto é, envolve a mente como um todo, o tempo todo. A mente insciente está aprendendo a se manifestar com o desenvolvimento orgânico, e vai tornando-se autosciente e consciente.

As interferências são processos de substituição. As interferências mentais não são aprendidas com facilidade, porque os ambientes sociais humanos não as conhecem diretamente. Certamente, há muitas técnicas de manipulação mental bem sucedidas, mas inconscientes desses aspectos colocados por nós. Certamente, grande parte do aprendizado deve seguir a natureza dos processos mentais que se engendram na estrutura celular desde os seus níveis genéticos e de produção energética, transferência de substâncias que devem chegar de um ponto a outro para satisfazer necessidades específicas da sobrevivência. Interessa-nos reconhecer para os senhores e senhoras que tais estruturações, que chamamos de icons, têm uma base na natureza do funcionamento mental, estrutural, criando referências para a consciência. Os fatores de interferência e substituição relacionam-se a utilizar-se do poder de paridade para substituir funções orgânicas naturais, de tal forma que esses passam a obedecer a mente consciente. Todas as técnicas usadas para influenciar pelo desejo, pela vontade, pela intuição, pelo conhecimento, estão ligadas à persuasão que exemplificam as interferências substitutivas. Por exemplo: você está com alta pressão. Pode substituir conscientemente através da linguagem ou através de um icon, porque a linguagem já é uma espécie de icon. Tal aspecto depende exclusivamente do nível de confiabilidade transferida para o sistema de interferência, isto é, a dúvida causa diferenças paritárias que levam ao organismo funcionar independentemente, isto é, sem resposta mental. A confiança é um estado de paridade que promove organicamente uma sintonia, dotando de determinados fatores para receber uma substituição, no lugar de uma ordem orgânica, uma ordem consciente. Essa experiência depende de treinamento. E, assim, há treinamentos relacionados à confiança, ou relacionados a identificações de reações orgânicas e mentalizações. As mentalizações que se utilizam de icons são treinamentos para a meditação chamada silosciente, que depende de ações da consciência relacionadas a aspectos de confiança mnemônica, proporcionando áreas de influência consciente na estrutura silosciente do ser confinado, dando possibilidades de diálogo orgânico-mental, situação conveniente para uma saúde orgânica e equilíbrio entre necessidades da sobrevivência e necessidades da consciência. A base para tais situações está em treinamentos curtos sobre as evidências que cada um pode ter em seu organismo físico, evidências essas que precisam ser identificadas. Mas, as identificações relacionam-se a aspecto da consciência que se deseja compreender em si. Certamente, qualquer questionamento abre as suas prerrogativas para as situações internas de cada um. Essas situações relacionam-se à força de vontade, que gera a persistência, ou o inverso, que gera a preguiça, como aspecto crítico do desenvolvimento desejado para as situações de auto-controle. A preguiça, como aspecto crítico, e culturalmente conhecido de forma variada nas culturas humanas, evidenciam situações de auto-desrespeito, auto-indiferença, ou negatividades excessivamente exercitadas. Cada um pode buscar os seus melhores níveis volitivos para encontrar a si em seus diálogos mentais. O que acontece em sua mente é que possibilita a sua própria transformação. E que transformação é essa? Cada um sabe de si. Mas, podemos dizer que as transformações mentais não se relacionam apenas a si, mas também às complexas redes de relacionamento que tecem a estrutura mental, a cosmovisão e o exercício de viver a vida levando consigo interações visíveis e não visíveis, muitas vezes sem a consciência de quase tudo. Mesmo assim, a mente está protegida até o nível em que a sua interferência pode transformá-lo. Espera-se pois que seja em sintonia com as referências siloefléricas do amor do eixo consciencial de cada um, pois todos os seres e em todos os seres reside a influência do amor. E para se utilizar desta influência, basta encontrar com a sua consciência em plena ressonância com o seu ser insciente confinado, próximo de sua insciência, onde o amor espera pelo seu eco. Agradecemos. Paz e Amor. Paz e Amor.

Agradecimentos. Apresentação do Claudio.

NA: Agradecemos. Bem-vindo, e sejam todos bem-vindos, incluindo o acompanhamento de outros por novas linhas de conexão.

NA: Paz e Amor.

Grupo: Nosso Amigo, achei muito interessante o primeiro texto, e tenho que ler com mais calma. Mas, teremos novos exercícios voltados para a mentalização silosciente?

NA: Sim, dependendo do retorno que tivermos e do interesse. Deixamos sempre livres, pois, ninguém tem alguma obrigação a não ser consigo mesmo ou consigo mesma. Mas, depende porque qualquer sequência que seja proposta pode se perder. De nossa parte não há nenhum inconveniente nisso. Agradecemos.

A mente humana não é uma mente livre. É uma mente condicionada desde os primeiros momentos de vida, mesmo que haja razões para essas situações, pois o treinamento de algo, muitas vezes, ou, quase sempre, pode ser um processo repetitivo. E, de fato, para se abrir uma janela, não é preciso treinar com a mesma intensidade que se faz para tocar uma nota em um instrumento. Entretanto, a consciência é bem mais ampla do que se propõe vivê-la. Em muitos casos, pode ampliar a sobrevivência de muitos. O desenvolvimento de pessoas “deficientes” – pois deficiência guarda subjetividades e imposições sociais. De qualquer forma, é possível ampliar a si, baseando-se em si e no relacionamento que tens com os outros. Não há ser sem relação alheia, pois se vieste de outro, caminhas com outros, pode ser caminho, podes ser o horizonte. Depende de você. Descubra o seu amor incondi2cional para encontrar a si plenamente possível, para encontrar a sua própria essência. A essência do amor. Agradecemos. Paz e Amor. Paz e Amor. As águas estão energizadas. Paz e Amor.