Encontro Semanal

Permeabilidade mental

Paz e Amor.

A mente é resultado de inúmeros processos integrados, interassociados, consequentes e somados. Os processos partem de um fluxo de interação que tem uma continuidade na experiência insciencial de cada um. Não tem uma única origem, mas expressa, em última instância, uma profunda interação com o organismo físico duplinado, constituindo fisicamente estruturas de campos Fi, Nir, eletrofi e pelas características de interação com fluxos de eletricidade, também é capaz de produzir alterações e interfaces com os campos e fluxos eletromagnéticos. Chamamos de eletrofi, ou magnetofi, ou eletromagnetofi. Da mesma forma, os fluxos e campos eletrostáticos podem ser influenciados, alterados e utilizados como processos, criando redes irregulares de indução. As induções Nir podem criar movimentação de objetos físicos sem alteração de campos eletromagnéticos ou elétricos. Essa interface não projetiva, isto é, não baseada em projeção de fluxos ou de campos, e sim, em suas resultantes físicas, pode demonstrar que há grande variabilidade no chamado tecido mental, baseado no ambiente Guion. O ambiente Guion é de uma ordem de compreensão listada como Ordem Tsana, em que o seu aspecto mais amplo relaciona-se às rotas e se liga aos processos de existência, portanto, ligada aos processos conscienciais, inscienciais e exoscienciais, consequentemente, ao inconsciente orgânico, ao subconsciente e ao consciente. Esta interação, estes modos de interação que criam e manipulam fluxos de correntes elétricas ou de campos eletromagnéticos, formam uma espécie de textura. Essa textura tem variação na densidade, isto é, quando muitos elementos físicos são parte de um processo, pode inclusive materializar-se, isto é, criar fluxos ou campos de bloqueio mais densos a ponto de impedir como barreira física uma densidade menor. Não quer dizer um fluxo elétrico ou um campo eletromagnético mais fraco, mas com aberturas aos aspectos físicos da matéria bariônica. A expressão desses processos da listagem Tsana relaciona-se ao que a priori é a chamada mente humana – a mente não só do sujeito duplinado, ou duplinada, bem como dos seres Intai, pois, os processos mentais perduram na sequência das transferências inscienciais. Ou seja, no processo de deduplinação. A grosso modo, os chamados espíritos também possuem mentes auto-dialógicas e níveis variados de insciência, postulando-se que a consciência depende de uma base orgânica, isto é, é o corpo que possibilita a separação em graus diferenciados de expressão insciencial, como inconsciência, subconsciente, consciência, exosciência e outros. Diz-se por analogia, que este “tecido mental” possui uma espécie de permeabilidade. Há diversos fenômenos mentais, orgânicos, etc., relacionados diretamente aos processos mentais, principalmente às suas características de permeabilidade. Por exemplo, os extravasamentos. Outro exemplo, as conjunções mentais que possibilitam leituras mentais de um ser para outros. Todas essas listas que serão expostas este ano relacionam-se às listas Tsanas. Já abordamos o aspecto mais geral Kalama, dando origem à noção existencial Kalamatsana. O ambiente mental sensorial é bastante restrito no ambiente físico orgânico em relação à consciência. Mas, não em relação à base orgânica, isto é, não em relação ao corpo. Isto dota o organismo físico de autonomia no seu desenvolvimento e também na interface, diferenciando-se que essa interface precisa ser processada do ser insciencial em direção ao organismo físico, que é capaz de corresponder. Por exemplo, com a experiência da sobrevivência, o organismo físico retém e administra informações, decisões, incluindo os níveis de coerência orgânica. Isto quer dizer que o corpo é capaz de discernir o que é melhor para ele mesmo. E a sua complexidade possui diversos níveis de paridade. Isto é, as informações bioquímicas podem reger os sistemas conjuntos de fluxo elétrico e eletromagnético administrados por órgãos, por células e por sistemas de proteção e manutenção do organismo físico. Isto pode se fazer alusão que apesar de ser raro, podem existir corpos orgânicos sobrevivendo sem o espírito. Desta forma, há outras questões perturbando a idoneidade dessa afirmação. Ou seja, não é tão simples assim. O “tecido mental” é um objeto do sistema de paridade e é resultante dos processos de memória, da atuação orgânica, da relação criada pelo eixo insciencial, para gerar suas habilidades e seguir os planos orgânicos que permitem, ou não, a ampliação de suas permeabilidades mentais. Há muitas formas de se perceber a permeabilidade mental. Alguns exemplos para serem abordados em outro momento incluem a “presença de espírito”, a intuição, a relação com o processamento mental dos sentimentos, as chamadas “clarividências”, os extravasamentos suirsômicos, as reações orgânicas às inflamações, as comunicações intra e intercelulares, dentro de processos orgânicos integrados, como hormônios ou sistema imunológico, gerando arquivos de informações ao nível das memórias idáricas, e, por isso, instantaneamente processadas em todo o sistema orgânico. Nada disso faz parte do âmbito consciencial. Na maioria dos casos, o nível exosciencial, que já não se apresenta para o consciente, pode segmentar esses processos em diferentes níveis de permeabilidade. A permeabilidade tem diversas designações, que não iremos apresentá-las neste momento. Mas, é preciso que se compreenda que o próprio ambiente Guion, isto é, a própria impressão consciente da sua própria mente, inclui todas as formas de manifestação dessa consciência, como o pensamento verbalizado, o pensamento mesmo que difuso não verbal, a imaginação consciente, a imaginação criativa, as capturas de processos mnemônicos de diversas ordens. Por exemplo, numa ordem mais geral, como memórias de infância, ou como memórias vivenciadas exosciencialmente e extravasadas para a consciência na forma de sonhos, ou como em muitos processos oligofrênicos, isto é, como por exemplo, nas esquizofrenias, ou outros processos considerados como de “doenças mentais”. As permeabilidades proporcionam grande equilíbrio, permitindo raciocínios longos e extensos usos de memórias para pensamentos, elaborações, cálculos matemáticos, cálculos orgânicos, e muitas outras formas de processamento de informação e conhecimento intuitivo gerado em experiências de vidas anteriores, sendo, frequentemente, tais informações veladas para a consciência e, às vezes, até para a exosciência. É preciso que se compreenda que você tem uma mente pensante que retém o sentido de informações diversas, que produz interassociações inteligentes, que usufrui de um aprendizado traumático, que pensa e sente saudade, tristeza e as associa a processos da sua experiência, ou no caso igualmente com diversos outros sentidos e outros sentimentos. Isto quer dizer que é possível todas as suas experiências mentais, graças à permeabilidade dos sistemas, possibilitando níveis filtrados de sistemas de sistemas matriciais de paridade. Os processos mentais são, portanto, nos seres humanos, de altíssima complexidade, expressando com máxima fidelidade, os seus processos inscienciais resultados de diversas, inúmeras, milhares de duplinações. Cada experiência encaixa-se em sua permeabilidade mental, em camadas selecionáveis pelos sistemas de memória admissíveis pelos processos vigentes da consciência, normalmente, antecipadamente retidos na exosciência, um nível diferenciado de insciência tsana, ou seja, aquela que existe em seu ser. Esta lista vai pouco a pouco ser demonstrada com o intuito de ajudá-los a reconhecer cada item possível da experiência de cada um, uma vez que cada um tem a sua própria lista. Assim, é possível um estudo de si que possibilite verdadeiramente encontrar com suas habilidades naturais, acessíveis inclusive à sua consciência. Cada um, da mesma forma que pensa, sente, percebe, entende, analisa, de forma única e diferente dos outros, os níveis de permeabilidade se mostram diretamente ligados a essas diferenças, tendo por si a possibilidade de se compreender a sua “complexidade mental” e as suas próprias habilidades naturais, que proporciona que você seja autônomo e tenha o poder de utilizar esta autonomia para ser, para si e para os outros, o que se é ou se pretende ser, já que é a consciência o nível de interesse dos processos corporais de desenvolvimento, de interação com os mundos físicos, sendo através, portanto, das suas permeabilidades mentais desenvolvidas e encontradas pela experiência da sobrevivência de cada um. Compreende-se que há muitas forças de manipulação por entre as permeabilidades mentais e por isso aceita-se a noção de que há forças naturais que possibilitam equilíbrio, habilidade, insciência, exosciência e consciência desenvolvidas, que possibilita sensibilidade, boas noções da existência Kalamatsana. Essas forças são as forças incondicionais do amor. Agradecemos. Paz e Amor. Paz e Amor.
Boas-vindas e agradecimentos gerais.
Grupo: Eu ainda vou ler para entender melhor, mas pelo que entendi, a permeabilidade mental é entre os Aintai com os Intai e outros seres, ou também entre Aintais?
NA: De toda forma, de todas as formas.
Grupo: Entre os Aintai seria o que se chama de telepatia?
NA: Sim, é uma forma de permeabilidade. Ou incluindo os Intais também.
Grupo: Não foi isso que você chamou de confluência?
NA: Também, sim.
Grupo: A transdutorização seria um tipo?
NA: A transdutorização é um processo provocado por nós. Exige determinada permeabilidade, mas é outra coisa.
Grupo: O que o Anderson está desenvolvendo, esses extravasamentos, clarividência, clariaudiência, são esses tipos de permeabilidade, né?
NA: Exige dele níveis específicos de permeabilidade. A permeabilidade não é uma questão única, mas há níveis diferenciados e específicos de permeabilidade mental e orgânica também.
Grupo: Depois você vai explicar melhor a relação entre a permeabilidade mental e orgânica e a influência que essa permeabilidade mental tem no nosso organismo?
NA: Todo organismo físico funciona baseado em permeabilidades celulares, por exemplo, e esse controle é em todos os níveis, por exemplo, permeabilidade à acidez, ou a determinada substância, ou a determinado nível molar, ou determinado nível bio-elétrico, etc.
Grupo: Mas, a relação entre as duas. Se um determinado nível de permeabilidade mental, como vai influenciar, por exemplo, na permeabilidade de uma célula.
NA: Sempre haverá uma relação direta entre processos mentais e processos orgânicos, por exemplo, os sistemas de paridade. As permeabilidades podem relacionar-se diretamente com os sistemas de paridade.
Grupo: É muito amplo, não é?
NA: Sim, mas vamos abordar permeabilidades mentais específicas para compreensão de alguns processos.
Grupo: Fiquei com um pouco de dúvida, quando você coloca que a mente e a consciência, nessa divisão, ela está relacionada ao corpo físico, mas, fora do corpo físico, ela é um todo? Não tem uma divisão?
NA: Não. Ela tem permeabilidades, porque os processos de experiência inscienciais, eles apresentam em seus limiares de interação diferentes níveis de permeabilidade. Por exemplo, a sua mente verbal pode influenciar uma inflamação orgânica. Na medida em que se consegue compreender que os processos mentais verbais fazem parte de um sistema orgânico que se organiza para dar significado, da mesma forma, esses processos podem ser induzidos para níveis mais profundos dos sistemas de paridade relacionados a determinada permeabilidade. Permeabilidade quer dizer algo vai ser retido e transformado. Algo vai ser transferido da mesma forma. Essa variação pode, por exemplo, aumentar a imunidade. Exemplo, ter bons sentimentos cria relações de paridade com boa imunidade. O processo de seleção mental vai gerar níveis de relação eletrofi, Nir, campos Nir, que são em si a tal da permeabilidade, dotando os sistemas de vibração necessária com informação objetiva para o próprio entendimento orgânico. Determinadas substâncias serão privilegiadas, como endorfina, etc., etc.. Exemplo grosseiro, e explicações humanas.
Grupo: E como aumentar o nível de permeabilidade? Os exercícios?
NA: Os exercícios, eles vão ensinar a dominar certos níveis de permeabilidade mental. Vamos pegar uma situação mais clara. A atenção é uma forma de permeabilidade mental. A concentração, quando você está fazendo coisas ou que você necessita, ou que você necessita das suas melhores habilidades, ou que você está motivado, há uma alta seletividade nas permeabilidades mentais. O exemplo mais evidente é: você tem uma excelente concentração. Isto é uma resposta direta do que é a permeabilidade. Neste caso, você aprendeu a utilizar a permeabilidade relacionada à concentração.
Grupo: E no caso da esquizofrenia, teria uma permeabilidade relacionada com os Intai? Dos Aintai com os Intai?
NA: No caso específico das chamadas típicas oligofrenias, ou pode-se chegar às esquizofrenias, que são, muitas vezes, resultados de processos enzimáticos de células cerebrais específicas, entende-se perfeitamente que há uma desorientação, em alguns casos, comuns dessa permeabilidade. Ela ganha níveis diferentes de variação, dissociando de processos específicos mentais, por exemplo.
Grupo: A permeabilidade mental nos permite manipular, compreender mais os níveis dos campos de energia, de filergia, e Nir?
NA: Exatamente. A mente relaciona-se a processos de campos Nir, como já abordamos. Portanto, há uma evidência, inclusive perceptível desses níveis. Por exemplo, quando você está com sono, e esse limiar é mais forte , fica claro que você vai dormir. Você está entrando em sintonia com um conjunto de relações orgânico-mentais que é isso que chamamos de permeabilidade mental.
Grupo: Essa permeabilidade é maior na infância, e depois a gente perde um pouco?
NA: As crianças humanas têm diferentes formas de permeabilidade, especialmente porque há processos em desenvolvimento. Exemplo, talvez dos mais típicos, é a chamada mielinização. Influencia nos estados de resposta e de permeabilidade, dando características bem específicas de dispersão, por exemplo, ou de acúmulos de processos mentais, o que normalmente desfaz a hegemonia dos sinais cognitivos. Ou melhor, de determinados sinais cognitivos.
Grupo: Você falou de bons sentimentos. A ausência de bons sentimentos poderia ser impermeabilidade mental?
NA: Sim, porque há um excessivo direcionamento para o externo, ou para o sistema que chamamos de aprisionamento do ego, que são permeabilidades de baixo extravasamento. Muitas vezes, vamos explicando algumas coisas e elas pouco a pouco irão fazer sentido porque pode-se ter a ideia de que instantaneamente uma coisa parece explicar muitas outras. Mas isso é da natureza do aprendizado, ou da descoberta de si.
Grupo: É porque aconteceram algumas coisas comigo que acho que fiquei um pouco preso nisso. Eu sinto essa influência na permeabilidade da minha mente. Queria que me ajudassem a superar.
NA: Muitas vezes, alguns preconceitos estabelecem parâmetros para a mente, que hiperdireciona os sentidos a serem compreendidos. Isso gera permeabilidade de baixo extravasamento, ou seja, a pessoa fica com determinado sentimento e se fixa, ou reativamente, como no caso de traumas. Na maioria das vezes a consciência é excluída do processo, mas o corpo absorve muito bem as relações e direcionamentos de memória, bloqueando. Isto pode inclusive gerar processos inflamatórios, ou chamadas rebeliões do sistema imunológico. A tendência do corpo é gerenciar todos os seus processos baseados em suas naturezas. Às vezes, as posturas mentais, especialmente relacionadas à linguagem, promovem processos de bloqueio nessas permeabilidades, fazendo com que você, por exemplo, se arrepie numa situação que você não tem consciência. Só como exemplo de como os sistemas de paridade lidam com aquilo ou com todo o conjunto de situações e de questões do organismo e do ser insciencial.
Grupo: Uma rigidez, ou seja, a questão da permeabilidade está relacionada com a expressão, com a percepção das luzes de interação?
NA: As luzes de interação estão mais diretamente relacionadas aos sistemas dos sistemas de paridade, que participam das densidades mentais, dos processos mentais e assim, portanto, de suas permeabilidades. A boa notícia é que quando se consegue lidar com sistemas de paridade, ou seja, por exemplo, com as luzes de interação, isso possibilita um grande aprendizado em relação aos controles mentais, como os Icons e, dessa forma, um domínio da permeabilidade mental, como acontece quando você se concentra para ler um livro ou assistir a um filme.
Grupo: A questão da duplinação, eu tenho uma impressão que foi uma solução para ajudar no processo de desenvolvimento humano, para acelerar. Existem seres que não precisam desse tipo de processo? Seria o caso dos 3 amigos que estão nos acompanhando? O que que é mais comum no nosso universo físico?
NA: O mais comum é a duplinação. Há outros seres que passam por processos de duplinação diferentes, mas passam. E há os seres que, digamos, que vivem o processo de duplinação eternamente, ou aqueles que estão em estado de não duplinação eternamente. Ou seja, não duplinam, como você perguntou.
Grupo: Shamir, Dzar e Tono fazem uso do processo de duplinação?
NA: Fazem, mas é muito diferente, totalmente diferente.
Há muito o que abordarmos sobre a mente. Nosso objetivo é contribuir de alguma forma para que cada um encontre a si pelos seus próprios meios e que tenham cada vez mais desenvolvido habilidades com o seu próprio ser, o ser em corpo e organismo, o ser mental e o ser “espiritual”. A relação pode ser desenvolvida na medida em que se compreende que há luzes do amor incondicional ao seu dispor, que são forças da natureza, como as forças tehili, para que vocês possam se desenvolver, cada um a seu modo, de alguma forma no mínimo ou no seu máximo, isto é, de cada um. Mas, a luz do amor é a nossa referência incondicional. Agradecemos as atenções. Nossos irmãos aprendizes se encontram em estado de observação. São expressões de um amor contínuo, respeito aos seres humanos, e objetivamente focados para lhes dar novas impressões sobre a existência. Claro que eles são tão exóticos quanto a nossa própria experiência. Mesmo assim, cautelosamente, na medida de suas receptividades, iremoss trazendo o nosso amor. Agradecemos. As águas estão energizadas pelos três irmãos. Agradecemos. Paz e amor. Mnahrkiwon.