Encontro Semanal

Pissor – um exercício lúdico suirsômico


Paz e Amor.

Mnahrkiwon.


Há muitas situações cotidianas em que continuar atuando coerentemente, positivamente, encontra-se na contramão da experiência de viver a vida. Isto gera esforço para dar continuidade a projetos, a processos, muitas vezes, relacionados aos relacionamentos entre as pessoas. Essa demanda de energia requer coerência, consciência e, muitas vezes, persistência. Construir “uma vida” é uma expressão frequente, coerente da experiência de cada um. Alguns dizem: “insistir em viver a vida”. Então, há aí uma diferença significativa entre persistir e insistir. Já abordamos o tema. A experiência da persistência requer energias positivas. A experiência da insistência requer energias negativas. Entretanto, deveriam ser energias neutras para a insistência, de alguma forma, é uma modalidade da persistência. Mas, o âmbito negativo frequentemente perpassa a insistência. Que bom! Pois há uma forma de diferenciar uma coisa da outra, ao se compreender que a persistência sempre está associada a elementos positivos da experiência da vida. Esta possibilidade pode ajudar a definir os aspectos positivos da sua experiência. E, ao aludir-se à sua “insistência”, busque a neutralidade, buscando, assim, encontrar a intenção construtiva da experiência a ser vivida. Qualquer experiência. Então, tem-se de outras paragens, um pequeno jogo na experiência suirsômica. Esta alusão do Pissor, que é a proposta do exercício para ajudar a identificar aspectos positivos da sua experiência suirsômica. Há que se entender o panorama fugidio da experiência suirsômica de cada um. O jogo, portanto, consiste em:
Três elementos são escolhidos para que se dê uma pontuação de 3 pontos. Os elementos, considerados elementos suirsômicos são importantes em suas descrições específicas, o que não significa que sejam a mesma coisa para todas as pessoas. Muito antes pelo contrário. Cada um deve ter e tem a sua própria forma de sentir, de pensar, de decidir, de avalizar as situações da sua própria vida. As pontuações de 1, 2 e 3 pontos devem ser somadas e ao final no máximo 9 pontos. Há um ponto extra relacionado a um fator finalizador, também entendido como fator suirsômico. O que é um fator suirsômico? Questões da sua experiência de viver a vida, que levam a sua experiência para onde ela está indo. Como, certamente, isto é de alta complexidade, o exercício lúdico não pretende resumir algo da sua experiência suirsômica, como se fosse um oráculo. Mas, apenas como algo da sua possibilidade de perceber a si dentro de apenas 3 elementos suirsômicos.
O primeiro elemento é: observe a sua vida. O fator de observação é de grande importância para tudo que acontece em seu entorno. Então, a observação deve ser de máxima neutralidade. Se a sua observação estiver atendendo objetivos internos, a sua pontuação é nula, zero. Se você consegue discernir um certo âmbito de neutralidade, ou seja, você apenas observou, anotou ou guardou na memória, ponto final: um ponto. Se a sua neutralidade se estende a mais observações, você pode pontuar 2 ou 3. No caso da pontuação máxima, 3, quer dizer que você sempre observa as suas próprias situações com neutralidade. Qualquer parcialidade na observação, a pontuação média pode atender à avaliação.
O segundo elemento suirsômico relaciona-se à capacidade de aceitação. Aceitar os seus desafios. Aceitar cada experiência que você vive, inclusive as negativas. Toda experiência deve ser aceita pelo coração e reverberada pela inteligência racional. Se você costuma brigar com as suas aceitações, ou seja, se você costuma não aceitar o que a vida lhe apresenta, você marca uma pontuação nula. No caso de haver coisas pontuais, mesmo, e principalmente sendo negativas, e você as aceita, você pode marcar 1 ponto. No caso dos 3 pontos, apenas se você tiver facilidade para aceitar-se como és, em todas as situações. Do contrário, você está entre 1 e 2 pontos.
O terceiro elemento suirsômico do exercício-jogo relaciona-se a ajudar a si e aos outros. Ajudar também é um desafio para todos os seres humanos. Diante das situações de ajuda, quando normalmente você faz vistas grossas para as situações cotidianas, independentemente de quais sejam; quando, frequentemente, você ignora os pedidos de ajuda, ou, normalmente, não é uma prática da sua experiência, basta não pontuar este item. Caso você ajuda quando pode, ou quando é possível, nas situações da experiência de viver a vida, a sua pontuação pode ser 1. A experiência de cada pessoa perpassa sempre em ajudas. Todos os seres humanos, sem exceção, são ajudados frequentemente e esta experiência relaciona-se a uma totalidade suirsômica intimamente relacionada ao amor incondicional. E, assim sendo, pontuar 3 no Pissor quer dizer ajudar incondicionalmente. Não é necessário considerar que você é um santo, mas, simplesmente, uma pessoa que ajuda quando pode, sempre. Ajuda quando quer, sempre. Ajuda quando não quer, sempre, incondicionalmente, mesmo se a pessoa ou a situação que você está ajudando não lhe trarão ou lhe trará algum benefício. A incondicionalidade de 3 pontos é só se você perceber que você sempre ajudará, independentemente se muito ou pouco, mas incondicionalmente. Não pontue se você tem algum interesse na ajuda. Pode ser uma ajuda ao seu filho, ou filha, mas, é incondicional, e essa ajuda é bem-vinda. Ela pontua 3 pontos. Mas, o seu vizinho precisou de você, e você tinha uma condição para isso. A sua pontuação deve ser 2 ou 1.
Então, é muito difícil, sim, pontuar 3 pontos em cada um desses elementos suirsômicos. O ponto extra que coroa o jogo é se você crê em você. Esse ponto também é incondicional. Então, possivelmente, poucas pessoas poderão considerar fazer 10 pontos neste lúdico exercício. O exercício é sempre proposto em lugares de aprendizado de Kinabaio, outro planeta que introduzimos para o conhecimento de vocês. Em outras situações, iremos descrever a experiência humana em Kinabaio. Agradecemos. Paz e Amor.


Grupo: Mas isso é um jogo que você faz ao longo de um tempo, você determina? Como seria o sistema de auto-avaliação?
NA: Você faz quando você quiser. Marca um período para você fazer e se observar, e seja sincero. É difícil chegar na pontuação máxima. Mas, não é impossível.
Grupo: É observação de si, ajudar a si e aos outros e…
NA: Aceitação.
Grupo: Explica o primeiro de novo, por favor. Você ser imparcial ou parcial? Como é isso?
NA: O que é a parcialidade? Vou observar uma situação que você viveu. Na situação você não foi muito honesto, então você considera que foi.
Grupo: É a sinceridade consigo mesmo.
NA: Isso. Quando você considera que foi e dá uma pontuação mais alta, o sentido do jogo foi alterado pela sua consciência, e você sabe. Portanto, você sabe que aquela pontuação é mais difusa e errada. Ela pode lhe trazer ilusão. O que significa que a impressão suirsômica pode estar – preste atenção nisso – desviada. É complexo. Mas, é um sinal de que a experiência não está sendo vivida com a sinceridade que você precisa ter para consigo.
Grupo: Entendi.
NA: Se a sua pontuação for baixa, por exemplo, abaixo de 3, não se decepcione. Pense o que está certo, o que está errado na sua pontuação. Ao ser sincero consigo, poderá melhorar a sua pontuação.
Grupo: Só o fato de você lhe dar uma nota 3, já tem uma coisa de bom, que é a sinceridade, né?
NA: Muito bem, exatamente. Não quer dizer que dar uma nota, por exemplo, zero, seja uma nota ruim. Pode significar exatamente isso que você disse. Isso já é uma boa coisa para você mesmo. Não é necessário divulgar para as pessoas. De preferência, se fizer isso, assuma a sua própria condição dessa divulgação. Pois, vai divulgar que tirou zero? Por isso, é um jogo. Por isso, é lúdico, no sentido que não representa uma realidade complexa, representa uma situação pessoal íntima entre você e você.
NA: Diz-se: Meu Pissor é 10, ou: Eu tenho um Pissor 10. Eu tenho um Pissor nulo. Meu pissor é 3. Você pode repensar os elementos suirsômicos, incluindo outros, de maneira que esses 4 elementos sempre estejam presentes.
– – – – – – – – – – – –

Pedidos.

– – – – – – – – – – – –


NA: Sigamos, pois! Reflitam! pensem! Muitas vezes, estamos trazendo situações muito diferentes para uma experiência comum de viver a vida. Mas, as coisas que não se podem ver, às vezes, também não se podem sentir, não quer dizer que elas não existam. Elas podem estar fora de um alcance momentâneo. Mas, quando cada um de vocês voltar para a experiência de ser Intai, irão poder conferir, muitas vezes, até muito mais do que possibilitamos expressar a vocês. Mas, essas formas, essas coisas dimensionais, essas palavras, recapituladas por muitos outros seres humanos, transferidas por nós, visa apenas que reconsiderem a força do amor dentro da vida de cada um. Pode ser que alguns nada percebam. E que outros passem a perceber. Mesmo assim, é sempre bom pensar aquilo que se vê, se sente, mesmo presos a um tempo cotidiano, cheio de limitações, às vezes, rodeados de problemas, pequenos ou grandes. Mas, quando se fortalece a possibilidade de se ampliar a sua mente consciente, chegando a se perceber em um horizonte possível mental sadio, leve, apto a se abrir para um mundo que se apresenta violento, que se apresenta auto-destrutivo, mas que em seu ver, em sua cosmovisão, tudo pode mudar. Cada um que se muda, muda o mundo. Porque o mundo não pode mudá-lo apenas. É preciso que cada um se mude. A luz do amor encontra-se pronta, apta para ser compreendida, para ser acessada, para ser utilizada, e para mudar a sua vida, inclusive por meio de suas próprias quaisquer religiões. Independe, porque a fé é a experiência da confiança. É a experiência da sobrevivência. É, enfim, a experiência do amor, mesmo que haja manipulações, mentiras, etc.,etc.. Cada um pode, com a sua própria mente, reconhecer o seu próprio corpo, amá-lo e amar aos outros. Pois, essa transformação está na ordem da experiência humana. É só querer e viver. A realidade é feita pela mente das pessoas, na medida em que se acredita em seu próprio ser e fornece para os outros, seus filhos, seus amigos, seus desconhecidos, seus próximos, seus distantes, aquele que precisa e você nunca mais vai vê-lo. Qualquer um irá transformar a sua experiência, assim como, a experiência da humanidade. Podemos dizer que é o único caminho sadio para solucionar o estado de desenvolvimento coletivo humano: o amor.

Agradecemos.

Paz e Amor. Mnahrkiwon.