.

Paz e Amor.

Escolhemos abordar uma complementação a respeito do suirsoma. A experiência suirsômica é bastante complexa pelo fato de proporcionar a cada ser humano referências sutis e estrutura em seus campos vibratórios corporais, mentais, psíquicos, assim como trazer objetivos que possam ser alinhados com o objetivo incondicional do amor. Lembremos que o ser Ranamás – como é chamado aquele que se dedica aos seres humanos, um por um, na experiência da duplinação, a chamada encarnação – este ser combina com o ser Intai, que é o “espírito”, as possibilidades de suas necessidades em sua experiência terrestre. Não querendo dizer que ele é obrigado a seguir espécie qualquer de protocolo para viver a vida. Muito antes pelo contrário. O que os Ranamás combinaram com você se torna, na duplinação, algo absolutamente obscuro, desconhecido, não relacionado a você. Isso acontece por questões óbvias da relação intrínseca entre o ser insciencial, isto é, o “espírito” e o seu corpo físico com toda a sua autonomia biológica, genética, etc., etc.. A relação, portanto, suirsômica relaciona-se à experiência de viver a vida de acordo com aquilo que se vive. Há muitas possibilidades de se perceber, em muitos níveis de profundidade, quais são os seus suirsomas. Mas, essa tarefa não é uma tarefa fácil, talvez seja impossível, relacionado, portanto, àquilo que se combinara com o ser altruístico, devotado aos seres humanos, chamados de Ranamás. Entretanto, há muitas outras questões suirsômicas, como já expusemos sobre os suirdjai – que se trata da experiência “de viver a vida” dos seres Intai – certamente, com outras questões envolvendo a experiência do ser “espiritual” no mundo dimensional de Mágnem, o ambiente dimensional dos “espíritos”. Há outras formas de relação que são importantes para a vida cotidiana dos seres humanos duplinados, isto é, “encarnados”. Além daqueles que se propõem a ajudar a experiência humana Intai, ou seja, dos espíritos em seus grupos, há os próprios “espíritos” que se ajudam mutuamente, combinando questões para a vida duplinada uns dos outros. A expressão relacionada a isso é Suirharmony: harmonia entre os seres, ou Harmon. A experiência Harmon é aquela em que os seres ainda em estado pré-duplinado, já nas mãos dos seres Ranamás, têm a oportunidade de estenderem os seus relacionamentos em estado “espiritual”, de maneira a se ajudarem. Isto quer dizer que os “espíritos” combinam também entre si como ajudar uns aos outros. Entretanto, há também o aspecto negativo e de grande importância, pois, se por um lado, a experiência Harmon de um ser duplinado pode ajudá-lo a aproximar dos seus objetivos suirsômicos, pode, por outro lado, também usurpar da sua experiência duplinada, causando danos, desvios e toda espécie de oportunidade para o âmbito da negatividade. É importante que se perceba como estas informações esclarecem as dúvidas anteriores acerca dos suirsomas, pois, por que muitos se distanciam dos seus suirsomas? Por causa da experiência Harmon. O amor há de ser a referência para transformar e equalizar a experiência Harmon com as possibilidades suirsômicas, trazendo para o campo existencial duplinado aquilo que se denomina como proteção. Nos encontros previstos para o próximo período do ano a seguir, iremos tratar dos assuntos relacionados, por um lado, à sensibilidade suirsômica, que agora também iremos detalhar Suirharmony. Suirharmony ou Harmon, a experiência combinada entre os Ranamás e a sincronização, a empatia dos seres Intai em relação aos seres duplinados Aintai. O amor há de ser a referência a ser compreendida como a força da proteção. A luz do amor é o acesso a ser compreendido pelo ser humano em sua experiência cotidiana, aprender a descobrir a si, e a viver em harmonia. O outro assunto relaciona-se às potencialidades mentais a serem exploradas dentro das possibilidades de auto-conhecimento, a ampliação da consciência, aproximando-se de sua exosciência. Paz e Amor. Paz e Amor.
Agradecimentos pelo último encontro do ano.
NA: Igualmente agradecemos. Sejam bem-vindos. Agradecemos a acolhida.
Agradecimentos e atendimentos – – – –


Grupo: Eu tenho uma pergunta: Há muitos encontros atrás você me disse que é possível recuperar uma memória de, por exemplo, uma peça que toquei há mais de 10 anos. Uns dias atrás, eu estava tentando recordar uma peça que toquei há pouco tempo e não consegui fazer uma passagem e, de repente, eu me distraí com algu ma coisa e, na hora que eu vi, minha mão já tinha feito tudo com perfeição. E aí me lembrei de você falando isso, que é possível a gente captar essa memória por inteiro e fiquei curiosa. Como a gente faz isso? Como a gente vai em Ídar e capta esse tipo de memória?
NA: Todas as células possuem ligações com os fílens, a partir das estruturas celulares de mitocôndrias, onde é processada a energia no chamado ciclo de Krebs. É importante que se compreenda que todo o processo biológico celular produz, ao mesmo tempo, reações de Nir, que agora podemos dizer, como processo não detectado pela ciência humana, mas importante para toda a “engrenagem” dos processos celulares. O processamento de enzima contribui, possibilitando o acesso dos fluxos fi que estão sendo marcados pelos próprios filens, através dos fluxos dos chamados chakras, mantendo disponível na estrutura celular, em volta de todo o organismo físico. Esses fluxos, atuando na dimensão de Ídar, portanto, diretamente ligado à própria estrutura celular, através de ressonâncias expressas pelos fílens, amplificadas pelos microtúbulos e, portanto, à estrutura cerebral, possuindo grande quantidade dessas estruturas celulares, em ressonância, marcam cada processo de memória como referência para o processamento orgânico, de tal forma que todo o conjunto simultaneamente, de memória, pode ser solicitado, atendendo às necessidades coordenadas por cada estrutura orgânica, independentemente do seu funcionamento genético já pré-estabelecido. Ou seja, o cérebro controla todo o organismo, o corpo, mas, as estruturas celulares relacionam-se diretamente com os processos de memória. Desta forma, há memória para tudo. Há muitas formas de condensação e de controle, algumas delas controladas por estruturas no cérebro como o hipocampo e as áreas específicas do corpo caloso, que transfere as informações do cérebro de um lado para o outro, assim como cada estrutura celelar, através dos fílens, emite fluxos de campos eletromagnéticos, eletrofi, fieletrostáticos, como esses que podem ser captado à flor da pele, próximos do coração, próximos do cérebro e próximos de estruturas como o fígado, baço, até relacionados ao intestino. Evidentemente, os campos cerebrais acessam controles psicomotores, emocionais, e as dimensões de guion, onde irão aprender algumas técnicas, para melhorarem esses fluxos, especialmente relacionados à memória. Quando você requisita uma memória treinada, ela pode ser solicitada por inteiro, que será “colhida” nas áreas bidimensionais, ou monodimensionais de Ídar. Já falamos que se não houvesse a dimensão de Ídar para ser utilizada como “área” de memória, a estrutura orgânica não teria a agilidade, a simultaneidade, ou seja, o holismo que possui. Essa simultaneidade, essa preemptividade relaciona-se aos processos mnemônicos idáricos. Paz e amor.
Grupo: Queria falar de Harmon. Quer dizer que nós, como Intai, combinamos entre nós também uma relação, depois de duplinado. Isso passa também pelos Ranamás?
NA: Harmon relaciona-se a combinações antes das duplinações entre os seres espirituais. O Ranamás simplesmente acolhe. O que ele combina, é com ele. Certamente, ele poderá permitir a interferência da experiência Harmon. Ou pode impedi-la. Depende do que ele propõe.
Grupo: E os desvios que são comuns aqui, do suirsoma? Um dos fatores pode ser esse…
NA: Suirharmon
Grupo: De se deixar influenciar pela…
NA: Pelos amigos “mal-encaminhados”.
Grupo: E também das relações Harmon serem mal encaminhadas.
NA: Pois é, depende de quem são seus amigos aqui e de quem são seus amigos lá….
Grupo: Esses grupos de amigos, como este aqui, pode ter sido combinado, numa combinação Harmon, anteriormente?
NA: Pode acontecer. Nem sempre, Mas, veja: como você veio para cá?
Grupo: Através de um amigo.
NA: Então, está demonstrado.
Grupo: Essa experiência Harmon tem a ver com a formação das famílias?
NA: Tem, tem sim. Muitos combinam daqui pra lá também.
Grupo: Isso que eu ia perguntar. É possível?
NA: Sim
Grupo: Daqui pra lá?
Grupo: Você faz amizade aqui e encontra lá
NA: E combina, fala “quando eu morrer a gente se encontra lá”.
Grupo: Então já está combinado.
Grupo: Queria agradecer também o acompanhamento também ao longo desse ano tão intenso. Que continue. Meu pai está começando um processo de cura, fazendo uns exames, e peço um acompanhamento.
NA: Acompanharemos e igualmente agradecemos.
Mais agradecimentos – – – –


Grupo: Eu queria saber a respeito dos exercícios, se eu posso fazer o exercício do halo, e, em seguida, fazer esse último que ensinou, ou se tem alguma interferência.
NA: Se houver interferência é dentro de você. Se perceber, suspenda. Faça outro dia.
Grupo: O Pina pode ser todo dia, né? E se a gente sentir alguma interferência entre o halo e esse de passar a mão na cabeça…
NA: Todos podem ser todo dia, mas é muita coisa, né?
Júnia: Mas, por exemplo, fazer um cada dia dá um resultado bom?
NA: Dá sim.
Grupo: Eu tenho uma dúvida, pois eu estava pensando uma coisa sobre a finalidade desse exercício que a gente passa a mão na cabeça, e o Weber hoje colocou de uma outra forma. Aí eu queria saber exatamente qual a finalidade desse exercício.
NA: Vamos fazer uma comparação com um jogo do futebol. O objetivo é sair chutando a bola, acertar a trave, ou jogar a bola dentro do gol?
Grupo: Dentro do gol, lógico.
NA: Mas, tem que passar pelos outros objetivos. Às vezes, a explicação final depende da compreensão do processo. Um jogador desse esporte passa a infância jogando, treinando as bases para depois melhorar a cada vez. Simultaneamente, o objetivo é, por vezes, atingido. Toda experiência como tocar um instrumento, tem o seu limite, às vezes, muito proximal, ou seja, amanhã. Outros daqui há um ano, ou durante um ano. A experiência mental em todos os casos é a mesma: treinamento, memória, habilidade. A mente nos exercícios propostos inicialmente precisa ser percebida. O cérebro de cada um, como organismo sensível e capaz de captar os campos eletromagnéticos das mãos, os campos Nir, os campos fi, eletrofi, irá se manifestar pouco a pouco como habilidade mental. Habilidade esta que pode ser construída, da mesma forma como jogar futebol, tocar piano. São processos mentais e orgânicos, quer dizer, com o corpo e em atividade com a mente. Esses processos mentais são inicialmente para aprender a captar as ondas cerebrais diversas e sensibilizá-las em relação a questões sensoriais, portanto, aprendendo a tocar as notas, uma por uma, a chutar a bola e acertar um certo alvo, ou sair correndo com a bola nos pés. Qual é a habilidade que vai sobressair nas tentativas de descobrir qual é a sua melhor habilidade? O exercício proposto é uma busca em si, através da sua consciência e das funcionalidades energéticas, aergéticas, da estrutura do seu corpo e da sua mente. É possível desenvolver. É preciso persistência. É preciso deixar claro se você quer. Não é uma obrigação. Não é uma imposição. É apenas uma possibilidade que conhecemos e sabemos, pois, muitos conseguem. Não é algo tão extraordinário, pois, muitos jogam bola, muitos tocam piano, muitos fazem dos seus alimentos, alimentos saborosos, e isso depende de desenvolvimento, desenvolvimento pessoal, desenvolvimento mental, sensorial, social, etc. Paz e Amor.
Grupo: Quando passo na têmpora morro de rir, isso faz parte daquela sensibilização que você falou?
NA: Sim. É uma reação da sua estrutura mental.
Grupo: Agora, só de pensar eu já… (risos)
NA: Seja feliz.
Grupo: Sobre o processo de pré-duplinação, antes eu pensava que era um processo individual, meu com o meu Ranamás. Mas, agora, com essa experiência Harmon ficou um pouco nebuloso para mim. Queria que você esclarecesse um pouco como se dá esse processo, esses contatos.
NA: Todos os seres buscam suas afinidades, suas proximidades, suas possibilidades. A experiência de cada um aqui neste mundo duplinado, ou acolá, no mundo dos “espíritos”, você será o mesmo, você será você, pois a sua insciência não vai mudar. Você poderá compreender ou não mais amplamente quem é você. Ou não, porque nem todos têm o mesmo desenvolvimento. Em qualquer lugar, o seu desenvolvimento irá lhe proporcionar um alcance ainda maior. Para deixá-los mais tranquilos, certamente você é mais desenvolvido como Intai do que como Aintai e, por isso mesmo, se você se desenvolver bem como Aintai, irá perceber nitidamente como cresceu quando deduplinar. Entretanto, são muitos assuntos, são muitas questões, são muitos anos de experiência. Cada um já viveu mais de 1000 experiências de duplinação. Isto não quer dizer que você se desenvolveu da mesma forma que se desenvolveu aquele que mais se desenvolveu. Mas, frequentemente, quando se retorna para “mundo espiritual”, quer dizer que você está melhor do que antes. A experiência da duplinação traz belas transformações na grande maioria dos seres duplinados e depois deduplinados. Isto é uma boa visão da importância da duplinação. Entretanto, há aqueles que se apegam ao mundo materializado, se tornando, muitas vezes, dependentes, “viciados” – sem uma crítica moralista, mas mais como um alerta da realidade que cada um vive. Quanto mais preparado para crer em si, amar a si e aos outros, mais desenvolvido estará quando retornar ao ciclo da vida. Então, a relação entre os seres na experiência da “espiritualidade” é de grande importância, assim como acontece na experiência duplinada. Só que são realidades diferentes, são possibilidades diferentes. E certamente o mundo físico duplinado é mais fácil de ser compreendido do que o mundo dos “espíritos”, dos seres Intai.
Grupo: A gente aqui duplinado, Aintai, a gente convive com uma natureza esplêndida, convive com milhares de seres vivos diferentes. E do outro lado? A gente convive com esses seres?
NA: Convive.
Grupo: A natureza do outro lado…
NA: É completamente diferente, tão bela quanto. Mas, enquanto aqui de olhos abertos para um pôr do sol avermelhado, a maioria irá percebê-lo semelhantemente, no outro lado isso já não acontece. O pôr do sol pode ser recheado de outras coisas, de outras presenças, de outras habilidades, de outras possibilidades, e irá exigir mais do desenvolvimento de cada um. Normalmente, os menos desenvolvidos – não quer dizer que sejam piores ou melhores – irão se afinizar com seus pares. Em algumas situações, é como se caíssem em buracos negros, cujas possibilidades de se sair deles exige a benevolência dos mais desenvolvidos, que estejam percebendo as situações. Há muitos nomes para essas situações, como a ideia do espiritismo religioso, que chamam essas situações de umbrais. Mas, há muito mais diversidade. Há muito mais seres. Há muito mais embates. Você não morre, mas você pode ser preso. E se você é mais desenvolvido, você não pode ser preso. As situações são muito diversas. Cada caso é um caso. De uma forma geral, depende da força evidente do seu amor insciencial, incondicional.
Atendimento – – – –


Grupo: Estava pensando muito hoje nas conexões entre as pessoas na rua, das pessoas que vão e vêm. E aí me bateu uma coisa de todo mundo agradecendo, e acho que podemos falar que a gente é um grupo, pelas questões amorosas que nos trazem aqui. Queria fazer uma proposição para o grupo, porque cada um aqui tem razões muito fortes para agradecer por estar aqui hoje. Todos passaram, com certeza, por experiências muito fortes. Queria propor da gente pensar um pouco sobre o que a gente pode agradecer e falar “eu agradeço”, cada um.
NA: Assim seja.
Todos agradecem
NA: Igualmente agradecemos, pois, a essência do amor prevalece e quando a essência do amor prevalece, as suas irradiações penetram em seus seres, entrando em ressonância, aquela ressonância selidente na estrutura física e contínua do seu ser insciencial. É possível reverberar o amor como energia, como força Tehili, como força física, como força de saúde, como equilíbrio mental, como equilíbrio físico, como sorte, como positividade e, portanto, baseado em sua confiança. Acredite em seu ser, acredite em sua luz de amor, e você irá se encontrar em suas possibilidades, independentemente do seu suirsoma. Seja em si o seu amor. Agradecemos. Paz e Amor. Que o próximo ano, que continua deste se transforme e se revele como possibilidade positiva, construtiva e amorosa para todos vocês. Estamos acompanhando. Paz e Amor. Mnahrkiwon.