Encontro Semanal

Lásmas endócrinos

 

Paz e Amor

 

Subdividimos genericamente os lasmas em nove tipos, sendo os três primeiros j abordados: flasmas, lamos e linflasmas. Os outros seis, subdivididos em três categorias, sendo as mesmas subdivididas em duas. Assim sendo, na primeira categoria, os lasmas endócrinos relacionam-se à propriocepção, percepção, estando relacionada pois toda reação orgânica relacionada à percepção em todos os seus aspectos. Em seguida, igualmente relacionados às questões endócrinas, às glândulas e os seus sub-produtos orgânicos, relacionados à emoção e ao sentimento. Na segunda categoria, igualmente subdividida, a primeira referência à produção de energia, o controle e a segunda referência incronicidade, sincronicidade e crescimento, e morte celular. A terceira categoria, igualmente subdividida, relaciona-se à sexualidade, subdividida em masculino e feminino. Estes seis aspectos orgânicos estão intimamente relacionados aos sistemas endócrinos. Daremos um exemplo de cada uma das três categorias. No que diz respeito à propriocepção, diversos aspectos orgânicos, endócrinos, relacionam-se intimamente a como se percebe o mundo, por qualquer uma das formas: audição, visão, paladar, etc.. Entretanto, os lasmas auditivos, por exemplo, recriam, bloqueiam, criam fantasmas auditivos. O mesmo acontece com todos os outros sentidos. Muitas vezes, frequentemente, associados a demências, com base nos níveis de distorção proprioceptiva, do ponto de vista emocional. Os lasmas  endócrinos das emoções aproximam-se dos boúges, interligando-os, construindo fantasmas de toda espécie, os chamados fantasmas orgânicos. Os lasmas, baseados na energia e na produção de energia, acontecem de toda sorte, pela própria estrutura bioquímica, mas um exemplo conhecido são os chamados corpos cetônicos, que são reações do fígado à fome, fazendo com que estruturas de gordura se transformem em energia. Este processo gera subprodutos de cetona, dando no conhecido mau hálito, oriundo da fome. Mais além, pela própria sobrevivência, os lasmas endócrinos oriundos das experiências dos corpos cetônicos geram lasmas específicos, muitas vezes percebidos por outros animais como um momento crítico de fragilidade daquele ser. Um outro exemplo, da terceira categoria, da sexualidade, onde uma grande quantidade de substâncias reage com grande fragilidade. Um exemplo pode ser os lasmas que relacionam propriocepção, percepção, sentimento, a sexualidade e o medo. Muitas vezes, diversos lasmas, lamos, linflasmas e lasmas endócrinos partilham com seres humanos tanto os seus aspectos positivos quanto evidenciam de forma clara as suas dificuldades, pois ao abordarmos as estruturas lásmicas dos seres humanos, queremos expressar a importância que se deve dar a todas as formas de relacionamento consigo próprio. Pois, o organismo físico constituído de estruturas complexas, inter-relacionadas, depende profundamente de todas as suas ligações íntimas com o chamado eixo consciencial, as quais denominamos senciência íntima, que severamente institui para o próprio ser ligações não conscientes com o amor. Entretanto, na dependência absoluta de sua própria descoberta, a descoberta de si próprio, a confiança que o próprio ser busca para gerir-se fisicamente, gerindo a consciência em seu aspecto resultante da sua experiência de vida. O amor é uma possibilidade real que pode levá-lo a transformar a si próprio profundamente, baseando-se que o próprio organismo físico lhe obedece, quando intitulado à luz do amor. E que, do contrário, desliga-se, recriando ligações alternativas, baseadas em pistas falsas, criando isolamentos não apenas da própria consciência, mas igualmente de estruturas inteiras do organismo, deixando-o à mercê de seu próprio automatismo. Muitas vezes, esse automatismo reencontra-se e pode reconstruí-lo, mas é pouco provável que sem o aval da consciência, da confiança, o ser possa seguir sem a luz do amor. Assim sendo, encontrará percalços orgânicos e distanciamentos de si próprio, estando apesar de tudo ainda abertos intimamente ao amor. Paz e Amor. Paz e Amor.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Grupo: Por xxxx:

NA: “Caro irmão, já atravessaste uma ponte, já perdeste o medo, revitalize o coração, desanime o medo, se possível abandone-o. Lembre-se que a força da confiança poderá fazer a que se destina a uma cura, pois toda cura, seja de um médico ou de um paciente, baseia-se em confiança. Não havendo outra opção, a cura é certa. Confie, ilumine-se do amor da vida, do seu amor íntimo, fortaleça-se. Paz e Amor.”

Grupo: Quero pedir ajuda. Algumas conquistas que vinha tendo ficaram abaladas, estou fragilizada e veio gripe, febre, e quando vocês falam em lasmas, sinto que isso ainda é obscuro, eu sinto o que outro sente, ando chorosa, e às vezes é difícil equilibrar sozinha. Peço ajuda.

NA: Fique em minha frente, por favor. Peço a permissão para a vinda do nosso irmão.

Grupo: Paz e Amor. Paz e Amor.

NA: Toda segurança é apenas um ponto em equilíbrio. Desta forma, toda insegurança
são desequilíbrios.

J: E por isso mesmo né, vamos fazer um equilíbrio como se fosse uma torre de cartas de baralho, que delicadamente se coloca as coisas em equilíbrio. Mas, cartas de baralho em equilíbrio podem ser tão sólidas como prédios fincados sobre rochas. Às vezes, montanhas inteiras estão quase desabando porque se sair uma pedrinha do lugar, já é suficiente para desabar tudo. O mais importante disso é entender que você pode se equilibrar quando quiser.

Grupo: Como posso fazer isso?

J: Nós já estamos prestes a falar muito sobre equilíbrio. Mas, qual seria a primeira coisa do equilíbrio? Qual seria o primeiro aspecto do equilíbrio?

Grupo: Não sei falar, sei que o que me desequilibra são sentimentos que me tomam.

J: Então você vai colocar um toquinho no chão, e outro toquinho em cima, e mais outro e mais outro. Para colocar o primeiro, o que você faz?

Grupo: Como assim?

J: Estou te dando um toquinho de madeira, e você vai colocar ele no chão, vou te dar outro e você vai colocar em cima dele, e assim sucessivamente. O que você faz quando te dou o primeiro toquinho?

Grupo: Coloco ele no chão.

J: Sim, percebe a confiança que você teve? Ora bolas, vou colocar no chão. Estamos falando de equilíbrio, te dou o segundo e como vamos fazer?

Grupo: Coloco o outro.

J: Com o mesmo ímpeto?

Grupo: Sim.

J: Quando vai colocando os outros, vai tendo mais cuidado, mais delicadeza, mais atenção, porque sabe que a fragilidade relaciona-se com a complexidade. Quanto maior a torre de toquinhos, mais frágil se torna em relação ao equilíbrio. Como a alma e o corpo não são toquinhos, essa fragilidade é construída de dentro para fora, mas é entendida de fora para dentro. Sinta a sua confiança. Quando tiver perdido, escute, sinta, cheire, chame, dialogue consigo própria. Reforce a coragem, pois o antídoto par o medo é a coragem. Não duvide de si, pois deve prestar bem atenção ao seu íntimo, pois é uma torre de toquinhos bem alta, deve avaliar a direção do vento, a inclinação de todos os toquinhos. Deve avaliar o seu coração, deve avaliar a si própria, com amor. O amor é a delicadeza, a inteligência, o gesto correto, a força que surge. O amor deteriora a ignorância. O amor desfaz o medo. Não quer dizer que tudo vá surgir como um passe de mágica, porque não está fazendo esta mágica, pois se estivesse fazendo, a realizaria. Mas, a mágica de superar cada instante, tornando-se feliz, é possível sempre. Às vezes, as respostas para si própria demoram a surgir, mas não tenha medo delas. Deixe-as como quiserem fluir, pois pela coragem que significa confiança, isto aturalmente se fará. Confie. Se pudéssemos substituir nas pessoas humanas os seus sentimentos, não iríamos fazer nada. Mas, podemos demonstrar o poder que tens consigo própria. Desabitue a destruir-se. Confie em suas pequenas construções, em suas pequenas reconstruções. Ao longo de pouco tempo, serão imensas e trarão portabilidade, força e mais confiança. Não desista, O primeiro exercício a fazer é aniquilar com essa gripe a partir deste instante. Faremos o reequilíbrio dentro da nossa possibilidade. Então, contribua com a sua parte, com o seu amor.

Grupo: Estou com um cisto sebáceo, inflamou, tomei antibiótico para desinflamar e retirar. Quando voltei tomei a decisão de não tomar o antibiótico, de que iria secar, diminuir, e ele diminuiu sensivelmente, mas não totalmente, queria ajuda.

J: Continue……, mas não recrie como ele deve estar consigo próprio. Exemplo, ele úmido resolve melhor no momento. Ele não necessariamente não tem que secar, pois é um produto de si mesma, e ele foi protegido por si própria, quase que isolando-o. Então, ponha a mão sobre o baço e o fígado, dizendo para si própria que se ama. Que se respeita e que determina para si mesma que se resolva. A reação de cada um diante do seu próprio equilíbrio é sempre inusitada, pois qual é a soma de todas as coisas?

Não se pode dizer. Então confie em seu pulsar e dialogue com ele. Bem provavelmente
irá responder-te. Paz e Amor.

NA: Encontrar-se consigo próprio não é apenas vislumbrar-se no espelho. Mas, dialogar com o seu espelho íntimo, com as suas impressões de si próprio, com as decisões sem cobrar de si a ou b. Mas, delicadamente, interrogar-se, respeitosamente investigar-se, buscar-se, sem lhe cobrar a ou b, compreendendo o que foi, já foi. Agora o que será? Ilumine-se com o seu próprio amor, com o amor dos outros, com o seu próprio respeito por si e pelos outros. Mentalize-se confiante, respeitosamente sem lhe cobrar nem a nem b. Paz e Amor. Paz e Amor. Peço-lhes que no próximo encontro tenhamos espaço e vestimentas adequadas para que possamos abordar a respeito das proteções relacionadas aos lasmas. Iremos falar sobre os campos das mãos e sugerir algumas formas de fazer o que é chamada de limpeza lásmica. Roupas que se possa deitar no chão, especificamente, como queiram. Agradecemos. Paz e Amor.