Encontro Semanal

Os fluxos dos sentimentos

.

Paz e Amor.

.

Muitas vezes, elaboramos sobre assuntos relacionados a aspectos racionais ou racionalizamos para se compreender, de alguma forma, horizontes fora do espectro perceptivo e de conhecimento de vocês. Ao fazermos escolhas a respeito do que passar, do que converter para o sentido humano, sempre buscamos preparar para uma multiplicidade de questões. E estas preparações vão se somando até fazerem sentido na experiência de cada um. O sentimento humano nos é muito transparente. Mais do que o pensamento, porque para nós os centros de energia nos é colorido – cores que se relacionam a estados de ânimo, de energia, aos graus de liberdade e de relacionamento entre os órgãos do corpo de cada um. E o alimento sideral dos campos eletromagnéticos, das irradiações cósmicas, que são absorvidas integralmente por esses centros de energia e transferidas para o organismo físico, por meio da interatividade entre o ser confinado e em seu eixo consciencial, com todo o seu conteúdo existencial, dispondo-se na estrutura orgânica física, onde deve imprimir sua experiência a partir desta interatividade entre a mente e sua experiência de sobrevivência no corpo físico. As emoções, os sentimentos, as impressões subjetivas cumprem o papel de guia, pois são essencialmente resultados dessa dita interação. Os sentimentos são autenticamente o conteúdo específico resultante desta interação entre a “espiritualidade” e o ser que usufrui do aprendizado, alterando, se transformando nesta estrutura física. E isto realça a importância primordial dos sentimentos. Assim, os sentimentos são a primeira e única ferramenta do eixo consciencial para lidar com o organismo físico. Os sentimentos reestruturam de muitas formas e em muitos níveis de profundidade a estrutura orgânica física. A expressão final compõe-se de sentimento e sentido, uma relação complexa dos sistemas de paridade da experiência duplinada humana. São os sentimentos que proporcionam as relações de intimidade, compondo não só a estrutura genética, como a lógica paritária das substâncias químicas e bioquímicas, criando compostos capazes de dar sentido à existência simbólica corporificada na experiência duplinada. Isto quer dizer que desde as sínteses proteicas até os grupos formados pela inteligência orgânica, como o sistema imunológico, a comunicação endócrina, as emissões de fílens pelas células, agrupadas pelos sentidos bio-orgânicos, isto é, baseados e orientados pela estrutura biológica genética, por exemplo. Assim, a priori, fica claro para a nossa “percepção” das luzes interativas da estrutura orgânica e mental e “espiritual”, que os sentimentos fazem conexões resultantes dessas inúmeras ações de interação Intai-Aintai no ser confinado. Os sentimentos representam, portanto, uma síntese de conexões corporificadas, isto é, do corpo, ou mentalizadas da mente e, ainda, digamos, “espiritualizadas”, entendendo-se que esta síntese precisa ser considerada como a raiz da grande maioria das expressões de auto-compreensão e auto-destruição de cada um. Os sentimentos levam para o corpo toda a motivação para a compreensão das experiências de viver a vida em cada segundo, e em cada unidade de memória utilizada para a sobrevivência. Os sentimentos são responsáveis, portanto, pela capacidade de pensar, de sentir proprioceptivamente, de sentir intuitivamente, de sentir fisicamente, de fazer conexões, criando e gerando o que é entendido como inteligência pelos humanos. Por outro lado, os sentimentos não se definem como “monossilábicos”, metaforicamente, mas especificamente, multidialógicos, intercambiando estruturas de comportamento com funcionalidade orgânica, de tal forma que o corpo pode dizer o que vive em sua essência ao seu subconsciente, e assim as demandas da existência para a sobrevivência, na experiência física duplinada, são construídas com objetivos de levarem para os diversos níveis conscienciais, aprendizados mais profundos e transformadores. Assim, podemos concluir para dizer que são os sentimentos levados para as outras vidas, como resultado intrínseco, compactado e sintético, trazendo para a sua continuidade nos sentidos suirsômicos. Desta forma, há uma íntima relação entre os sentimentos e os suirsomas. Tais relações evidenciam como os sentimentos psicotransmitem as necessidades e sensibilizam o ser para a sua própria transformação. Os sentimentos expressam completamente todas as consequências e os desdobramentos dos sentidos a que vieram os seres Intai para as dimensões Aintai. O sentido e a força gerada pelos sentimentos relacionam-se aos aspectos já inúmeras vezes descritos a respeito da confiança e também das forças tehili. Os sentimentos geram os principais encaixes suirsômicos entre aquilo que se confia e aquilo que se vive cotidianamente, sendo, portanto, respaldo para toda espécie de ação consciencial, física e orgânica. Todo o processo consciencial, insciencial, exociencial enriquece e é enriquecido pelas relações e consequências geradas pelos sentimentos. Uma última consideração de extrema importância: é preciso que se compreenda que os sentimentos são essencialmente a principal forma de desenvolver a consciência. A consciência depende dos parâmetros e das referências geradas por sentimentos. Desta forma, considera-se que a mente consciente pode influenciar e é cabalmente transformada pelos sentimentos, sejam eles sentimentos construtivos, positivos ou destrutivos, negativos. Toda a base consciencial, a partir de agora, iremos incluir, como referência a ser elaborada sobre os assuntos já expostos inúmeras vezes. Tudo que viemos expondo, viemos preparando para incluir os processos de sentimento, deixando para um tempo em que se compreenda que aquilo que se gera em sua existência física, orgânica, e que lhe é sentido, damos o nome de sentimento, pois desencadeia estruturando, direcionando, orientando a consciência a ser o que é e a ter os comportamentos e as reações orgânicas que lhe acontecem. Os seus sentimentos são especificamente o potencial expresso em seu organismo de ser nesta vida o que ela representa para você. Assim, todas as abordagens sobre o corpo e pensamento, controle mental, descoberta de si, a confiança, sempre fazemos conexão direta com as chamadas luzes do amor. Assim, da mesma forma, o sentimento do amor incondicional produz saltos extremamente consistentes e exuberantes para um desenvolvimento consciencial acima dos registrados pelas rotas de cada um, trazendo avanços para o crescimento existencial kalamatsana. O amor é a essência de todos os sentimentos construtivos, e o distanciamento deste cerne cria noções distorcidas e processos deletérios, inclusive físicos, não querendo dizer com isso que isso se relaciona com as “doenças”, pois essas são essencialmente a forma em que os sentimentos ensinam aos corpos e aos “espíritos” quem é você. E as suas transformações podem e devem acontecer a partir de um crescimento consciencial altamente relacionado às questões fisiológicas, isto é, do corpo e de suas transformações, assim como da “espiritualidade”. Pouco a pouco iremos fazer relações com os assuntos diversos abordados, como as inteligências orgânicas, boúges, lasmas, flasmas, icons, mentalizações e uma compreensão mais profunda de como lidar com os seus sentimentos. Os fluxos dos sentimentos são os sentidos que você atribui aos seus próprios sentimentos. Quando os fluxos decorrem da compreensão do amor, a consciência se aprofunda e se abre. Se abre para a cura de sua estrutura física, regenerando seus sentidos, suas noções e suas habilidades, trazendo para o cerne da existência conexões mais amplas, conexões imprevisíveis ainda, mas certamente o exercício de confiar em si, de encontrar a sua luz de amor irá trazer para a sua experiência de vida transformações de si e de muitos e muitos outros. Agradecemos. Paz e Amor. Paz e Amor.

———

Atendimentos

———

NA: Paz e Amor. Cada um olhando para o seu caminho pode sentir quão delicado cada passo representa no vazio da ignorância. Pois, vai-se andando, muitas vezes sem saber, mas os sentimentos vão sendo espelhos que transmitem situações, sentidos, angústias, sentimentos desconexos, que se conectam, fazendo com que os passos se dirijam para onde devem se dirigir. Os sentidos não são feitos de algumas lógicas, mas daquilo que os sentimentos constroem, desde os primeiros momentos da duplinação. O corpo aprende. Aprende a ser como o sentido se estabelece em seu ser. Seja como for, de uma forma boa, ou de uma forma não boa, os sentimentos são resultados daquilo que é. O que é para si, o que é da vida para si. É preciso acolher o seu sentimento. É preciso amar a si, respeitar e caminhar com o seu caminhar, e encontrar o caminho que os seus pés levam, compreendendo mais amplamente que as noções que cada passo pode dar-te, resultam no sucesso de quem você é. Encontre a sua felicidade em sua mente, pois a consciência também pode ensinar ao sentimento. Ao mesmo tempo, escolha os seus sentimentos, não como se fosse escolher algum, mas como essencialmente descobrir-se algo em si. E assim, segue-se buscando encontrar a si em seu ser, essencialmente em seu sentimento. Saiba que o sentimento de amor, seja ele qual for, é como semear, em um jardim, uma flor. É preciso regar e acompanhar, sentir a luz do sol ou o frio da manhã, percebendo que cada um cumpre uma função e muito mais, formando uma conexão entre você, você, e a sua existência. Saiba que essencialmente, ou seja, primordialmente, conecte-se com outros, não se sinta sozinho ou sozinha. Sinta que não só os invisíveis estão por aí, mas também, e principalmente, os visíveis, muitas vezes, os visíveis invisíveis aos seus olhos. É preciso acordar. É preciso olhar para a frente, para os lados e perceber que sempre há alguém precisando de você, e saiba que é como se fosse uma luz suirsômica. Se alguém precisa de você, é porque você precisa deste alguém. Precisar é uma descoberta. Iremos voltar a esse assunto. Que o amor seja o resultado do seu sentimento. Paz e Amor. Paz e Amor. Agradecemos. As águas estão energizadas. Paz e Amor.