Encontro Semanal

Peculiaridades da essência mental

Paz e Amor.

A mente é uma luz. É uma luz porque é vibração. É emitida pela interação entre o ser eflérico silosciente através de ressonâncias que selidem das dimensões confinadas de Ídar, vazando para os horizontes materiais. A interação corpo-mente acontece em função das sobrecargas eletromagnéticas e eletrofis iniciadas por esse ser e construídas pouco a pouco desde a infância, transformando-se, desenvolvendo-se para atender às necessidades desta interação. Questões mentais relacionam-se ainda à qualidade desta interação. Se houvesse dois lados, a mente e o corpo representam uma separação dimensional. Mas, representam também a transferência de informação de um âmbito a outro. Nada disso é novidade, pois o horizonte de alcance vive restrito ao que aparenta. Mas, a mente, por ser multidimensional, pode alcançar pelo menos sete das inúmeras dimensões. O alcance dimensional frequentemente é percebido individualmente. Assim sendo, cada um em sua dimensão encontra-se confinado no organismo físico. Diante da situação corpórea, todo o funcionamento depende das relações desenvolvidas pelo ser sensciente que se modifica para atender suas necessidades e seu desenvolvimento. Em nosso espectro de percepção dos seres humanos, podemos relatar que há grandes diferenças considerando-se uma série de parâmetros como, por exemplo, intensidade, quantidade, alcance, diversidade, interatividade, interferência, níveis de vibração, etc. Grande parte desses parâmetros é amplamente divergente de uma pessoa para outra, o que demonstra a experiência unívoca entre o organismo físico e as ressonâncias selidentes transferidas de éfler-Idar para o ambiente orgânico-físico. Podemos perceber que essas diferenças são resultado da experiência específica entre mente e corpo por influência do meio familiar, social, cultural e as diferentes habilidades de cada um. Os universos mentais se misturam pela perspectiva física e fisiológica, pois compartilham áreas físicas comuns. Mas, usufruem das qualidades bidimensionais que impedem a sobreposição dos sistemas mentais de cada um. O espaço físico tridimensional enquadra duas das três dimensões, ou uma, enrolando-a, dobrando-a, compactando-a, de forma ampla, variada e irrestritamente, formulando processos eletromagnéticos, eletrofi, e fi, resultados da interação das ressonâncias selidentes do ser siloeflérico. Desta forma, a interação mental-corpo físico resulta em diversas formas e locais dimensionais propositados pelo ser sensciente que se utiliza, por um lado bidimensionalmente, os campos fi e eletrofi, através das ressonâncias selidentes siloefléricas e, por outro lado, o aparato fisiológico acolhe em sua estrutura corporal, através da dinâmica enzimática proteica, as ressonâncias em conjunto, lidas pelo organismo físico tridimensionalmente, resultando em uma mente confinada no organismo físico. Diz-se confinado por processos de ressonância polarizados e não polarizados, negativos ou positivos, gravitacionais exalçados do radash de Éfler para a bidimensão de Ídar, formando estruturas bidimensionais lidas através dos campos corpóreos eletromagnéticos, eletrostáticos, eletrofi, magnetostáticos, de forma tridimensional. Entendamos que para a consciência do ser humano, este auto-reconhecimento acontece ao nível de Ídar. Mas, é lido e transdutorizado pelo organismo físico através dos fílens e da estrutura bioeletrônica, bioquímica do cérebro e de todas as outras demais células do organismo físico, sendo as células gliais de extrema importância para a conversão dos sinais mentais bidimensionais captados tridimensionalmente em torno do organismo físico, o corpo. Como o processo mental não sensorial ocorre independentemente da interação orgânica, ele encontra-se ainda em Ídar. O organismo físico capta essas ressonâncias, criando interações e linguagens orgânicas, convertendo-as em sínteses enzimáticas, em processos bioquímicos e em diversas outras formas de atendimento proprioceptivo resultantes das qualidades de influência, interferência, reatividade e processamento de identificadores entre organismo e os processos mentais. O resultado é uma separação entre a mente em si e a estrutura corpórea auto-reativa e auto-recorrente que se fundamenta à medida que estabelece estruturas de significado, onde, por sua vez, é transdutorizado pela interatividade fi e eletrofi dos campos sencientes do ser siloeflérico. Daí, constrói-se o chamado eixo consciencial, manifestado em diversas instâncias do desenvolvimento corporal, mental, diferenciando-se por suas qualidades, ainda assim, aparentemente limitadas. Entretanto, desconhecidas da mente comum humana. É possível, compreendendo os processos mentais como descritos, que se desenvolva melhores níveis de atenção e concentração, habilidades proprioceptivas de percepção auditiva, visual, tátil e diversos outros sistemas sensoriais, como a sexta propriocepção, que é uma leitura de projeções de campos eletrofi, de terceiros, a tentativa inconsciente e subconsciente de interagir entre si. Universos da mente podem ser auto-limitados, mas agem sozinhos muito mais amplamente do que pensam os humanos. Por isso, vislumbramos expor para os seres humanos suas próprias qualidades mentais, ampliando os horizontes da consciência, entendendo-se que a consciência é extensão dos processos inscientes e vice-versa. A consciência e a insciência levam à aproximação com o eixo consciencial, revelando a incondicionalidade do amor. Agradecemos. Paz e Amor.

Agradecimentos. Apresentação da Paula.

Paz e Amor, bem-vinda ao nosso encontro. Agradecemos.

Grupo: Eu vou ter que ler para entender, mas me veio uma reflexão sobre as dimensões: Idar, onde a mente está, é bidimensional, nós duplinados estamos na tridimensão. Quando morremos e desfaz do corpo, nossa percepção dimensional altera? Ficamos bidimensionais? Ou mais dimensões?

NA: O fato de as ressonâncias selidentes atuarem transitoriamente entre Éfler e as dimensões físicas proporciona uma interface causada por exalções e depleções gravitacionais. Fatos conhecidos em parte pelos seres humanos, mas não a parte que estamos descrevendo, pois ela surge como confinamento de altas pressões gravitacionais sobre campos físicos, forçando o confinamento de uma ou duas dimensões físicas. Isso ocorre ao nível sub-atômico, através da instabilidade nuclear e da aura elétrica do átomo. Instabilidade esta expressa pelas diferentes diferenças de gravitação e de pressão, entre o radash de Éfler e a estrutura dimensional física, mobilizando de forma extremamente rápida, variações gravitacionais que formam-se como ondas de ressonância entre a matéria e as exalções e depleções gravitacionais efléricas, confinando duas ou uma dimensão física, quando do surgimento de estruturas materiais mínimas, transferindo entre Éfler e a dimensão física a partir das dimensões confinadas. Tais vibrações gravitacionais são representadas de três formas básicas, como a seguir, de forma neutra, anulando grandes pressões, o que resulta na sensibilização da força fraca do elétron. Em segundo, a atração gravitacional eflérica impõe a depleção da matéria física, em abstância eflérica, fazendo o colapso da matéria, ela desaparece para Éfler. Em terceiro, a repulsão eflérica, que é a exalção gravitacional que expulsa de Éfler para a matéria quantidades mínimas de matérias, de abstância, que se converte em campos elétricos, fazendo surgir do nada, por isso, a selidir, o nada é Éfler. Assim sendo, entre repulsão que é exalção e depleção, e o fator desestabilizador neutro, com frequências altíssimas, na ordem de 1017 até 1030, tais vibrações criam o chamado campo eletrofi. Esta área física confinada em uma ou duas dimensões cria uma espécie de película visível, achatada, ou apenas em linhas, que são utilizadas pelos seres silocientes efléricos que são vocês. A utilização de Ídar que são as dimensões confinadas em duas, elas estão presentes em toda a natureza física, tanto estruturas microscópicas podem surgir, como, do nada, também podem surgir universos. A estrutura vibracional sub-atômica é o que chamamos nesse instante de exalção e depleção, de incronização e decronização. Éfler, o tempo é ucronizado, quer dizer que não há expressão temporal, não existe o tempo. A mente se aloja como ressonância em Ídar, que são essas dimensões confinadas em uma ou duas dimensões. Mas, uma vez estando neste lugar dimensional, que é físico, ele se encontra em longos fios e fitas e placas que são organizadas tridimensionalmente pela mente e pelo corpo. Quando a mente está fora do corpo, ela terá grande dificuldade de se estruturar porque está sujeita a diversos níveis de influência eletromagnética. E depende desses campos eletromagnéticos naturais do espaço físico, para se interagir. A experiência no corpo proporciona um grande avanço para o desenvolvimento de habilidades mentais, tanto no próprio corpo, quanto sem o corpo, ou seja, quando não duplinado. Os chamados espíritos se utilizam de estruturas eletromagnéticas para se desenvolverem e atuarem nos ambientes físicos. Entretanto, um grande desenvolvimento mental proporciona um grande desenvolvimento nas habilidades de se movimentar e interagir sem o corpo físico. Alguns seres muito desenvolvidos, como os seres que chamamos de ranamás – os seres ranamás são aqueles que ajudam os seres humanos quando da chamada encarnação. Desde a concepção, são também os mesmos que fazem os atendimentos aos seres no momento da morte física, conduzindo-os aos lugares adequados, ou permitindo que se mantenham perdidos, de acordo com a experiência necessária de cada um. Os seres ranamás são seres espirituais humanos, em sua grande maioria, altamente desenvolvidos, cujas ressonâncias siloscientes alcançaram níveis elevadíssimos de desenvolvimento. Os ranamás estão a serviço das chamadas encarnações humanas e o controle do desenvolvimento dos demais seres vivos, e atuam em conjunto com seres vegetais, proporcionando a eles as habilidades necessárias para a salvaguarda humana, para a sobrevivência humana, sendo os sistemas mais inteligentes para servir os seres nos ambientes físicos. Paz e Amor.

Grupo: Os ranamás encarnam também?

NA: Não.

Grupo: Já encarnaram?

NA: A grande maioria, não. São seres que alcançaram os meios materiais, muitos são chamados os seres de Lambda, como já descrito em uma breve história do universo físico.

Grupo: Lambda ainda existe?

NA: Lambda não se localiza no tempo nem no espaço, mas é de onde perpassam os seres que inicialmente descobriram as áreas físicas, pois estavam perdidos no radash de Éfler. São histórias que evitamos descrever, pois saem absolutamente do imaginário humano e se tornariam extremamente exóticas para merecerem a confiança dos seres humanos.

Grupo: Qual a relação entre mente e alma?

NA: A mente é a psique, que é a alma.

Grupo: A mente é formada por pensamentos?

NA: Pensamentos e habilidades interativas resultantes do ser siloeflérico que se expressa continuamente, mantendo-se em atividade nos campos eletromagnéticos físicos. A essência que é o eixo consciencial é a alma em nossa opinião.

B(?): Se eu entendi bem, o eixo consciencial seria a relação entre o corpo e a mente?

NA: O eixo consciencial é o resultado físico das ressonâncias selidentes emitidas pelo ser eflérico em contato consigo mesmo no âmbito físico, pois este encontra-se – não é possível compreender com a mente humana os estados existenciais dos seres siloefléricos, que são vocês.

Grupo: eu entedia que o eixo consciencial “estava” em Éfler…

NA: como a interação vem de Éfler, a expressão não faz sentido. A ideia do eixo é compreender que há algo, alguém, ou seja lá como se compreenda, porque não dá para explicar, então usamos a figura de retórica para expressar como se houvesse um eixo físico que não existe que provoca ressonâncias, como se tivesse alguém do outro lado, mandando mensagens batendo na porta, e no lado de cá essas batidas provocam a existência eletromagnética, eletrofi, fi, eletrostática do ser materializado em estados físicos diversos. Essas metáforas, em nenhuma situação, querem dizer que se relaciona de forma paritária com o que acontece, porque não há como se explicar o que foge absolutamente do imaginário humano. E não tentaremos fazer isso além do que estamos fazendo.

Grupo: como os ditos espíritos habitam também o universo físico, estão sujeitos ao tempo, não?

NA: Qual tempo?

Grupo: O nosso tempo, o tempo da Terra, da rotação, nós somos definidos pela rotação da Terra em torno do Sol, que tomamos como base para a contagem. E como é isso com os espíritos vivendo na Terra?

NA: Há diversas coisas em relação com os chamados espíritos – vamos usar a nomenclatura para facilitar. Os espíritos estão em um ambiente eletromagnético e eletrofi e ainda se expressam pelos campos fi que são pressões gravitacionais. Vamos resumir, eles não estão sujeitos ao ambiente físico da Terra da mesma forma que você está. Pois, podem se projetar instantaneamente duzentos mil quilômetros acima da Terra, ir e voltar, e o fazem da mesma forma que a sua mente pode imaginar algo extremamente rápido e sem influência física, aparente ou relativamente perceptível, como em você. Eles não possuem peso, a influência da gravidade terrestre é menor do que a influência fi gravitacional de Éfler que podem sentir. Os espíritos se aglutinam em grupos ou pequenos ou grandes, criando colônias, administradas por seres ranamás, em locais escolhidos por influências ambientais específicas, por exemplo, a 150 mil quilômetros acima do eixo Brasi-Japão há diversas colônias de seres humanos organizadas para atender às necessidades, onde lá estão muitos de seus familiares. Assim que suas habilidades “espirituais” não duplinadas são restauradas, ou seja, pela ação de um determinado tempo, tempo esse que não se comporta da mesma forma que aqui, mas que age sobre as transformações eletromagnéticas das ressonâncias eletrofis de cada um dos seres neste estado consciencial chamado insciente, sensciente. Estes seres se afinizam entre si, melhorando suas mobilidades, evitando a fragmentação, mas colocando-os em convivência de amor incondicional, que são transferidas, formando famílias que buscam em muitos casos, a duplinação entre si. Os seres de menos desenvolvimento terão dificuldade de se afinizar com seres mais desenvolvidos e estarão mais apegados à estrutura material dos planetas. Por exemplo, devido à proteção dos ranamás, grande parte dos seres de menos desenvolvimento encontra-se na órbita lunar, à espera de atendimento, ou reconhecimento, ou ajuda para se duplinarem, no caso, na Terra, ou até em outros planetas. Esses fatos são relatados pela própria humanidade há milhares de anos.

Grupo: Tem humanos que têm acesso a essa informação?

NA: Sim, muitos, várias religiões estabeleceram processos para esses fins. Não quer dizer que sejam eles verdadeiros, ou ultrapassam, lançando-se em ilusões, pois os objetivos conscientes são extremamente limitados. Paz e Amor.

Grupo: Os espíritos tomam decisão de duplinar, é isso? É pela vontade?

NA: Certamente, por exemplo, você quis ser músico?

Grupo: Sim.

NA: Por sua vontade?

Grupo: Sim.

NA: É a mesma coisa. A duplinação é uma oportunidade de se desenvolver mais rapidamente do que não duplinado.

Grupo: Você escolhe o lugar? Num planeta tão grande…

NA: Depende de muitos e muitos fatores. Não é possível estabelecer regras ou descrições simplificadas, pois elas não corresponderão ao que acontece, mas é um desejo ou uma necessidade. Cada um tem o seu processo coordenado, assistido generosamente por um ou mais ranamás.

Grupo: (?) Esses seres que vocês falam que estão sempre com a gente, dentre eles há ranamás?

NA: Não, muito raramente.

Grupo: E esses que tiveram importância na humanidade, Jesus, Buda, são ranamás?

NA: Esses seres diversos, inclusive em outros planetas, são muito mais desenvolvidos do que os ranamás e atingem áreas físicas imensas, inclusive em dimensões distantes e… Não é possível descrever o desenvolvimento desses seres …que participam da vida dos seres humanos. Os ranamás são dos seres mais desenvolvidos que assistem aos seres humanos e aos seres vivos, e estão altamente sintonizados com seres como os que citou. Não existe hierarquias. Todas são expressão do amor e todos são altamente comunicados, independentemente da distância física. São todos oniscientes, onipresentes.

Grupo: E as pessoas importantes que fizeram grandes danos à sociedade? Hitler, etc.?

NA: Muitos deles encontram-se na Lua. O fato de terem sido conhecidos não quer dizer muita coisa. Conhecidos na Terra, desconhecidos em outros horizontes. Apegados ao poder e à riqueza na Terra, fragmentados e isolados em outros mundos. Não possuem muito poder nem para se controlarem. Então, muitas vezes são isolados para terem tempo de decidirem o que querem. Não são julgados, porque não existe tribunal. O julgamento é o próprio desenvolvimento de cada um. O que é muito frequente são pessoas de extrema humildade serem os seres mais desenvolvidos nos ambientes terrestres porque vêm com missões de ajuda aos outros, sem a menor necessidade de ajudar a si próprios. São entendidos como seres iluminados no sentido de que ganham poder à medida que conseguem exercer as suas propostas de ajuda e equilíbrio pela via do amor. Normalmente, são pessoas que trazem para os outros grandes questionamentos, só por estarem por perto. Mas, varia muito como reagem com os outros. Mas, não vieram para si, vieram para os outros, e quebram as regras de que é necessário olhar para si para olhar para os outros, mostrando uma lição da espiritualidade: primeiro, olhe para os outros, depois ou simultaneamente olhe para si. Paz e Amor.

Grupo: Queria pedir uma mensagem para o Pedro, que também frequenta aqui.

NA: Enquanto digo, pense em seu amigo. “Caro irmão, não importa quem vos diz, mas a vida sempre está por um triz. Os caminhos são feitos à medida que os constrói. Não há nada pronto, nem é preciso pressa, olhe para a frente sem medo, ou aceite o medo através da coragem. Sinta-se, respeite-se, ame-se, da mesma forma que assim faz com os outros ou pelos outros. É possível se transformar à luz do amor. A luz do amor está dentro de você, assim como em todos os outros seres, basta crer no amor, no amor incondicional. Sinta a vida através desse amor. Muitas coisas farão sentido e irão se revelar porque o amor é a essência de toda a felicidade possível aos seres humanos. Agradecemos a oportunidade de lhe dizer apenas isso: Paz e Amor.”

Agradecemos. A mente humana se expressa ampla e livremente, mas os seres humanos não sabem disso. É preciso aprender a descobri-la e a domá-la, a dominá-la. A mente humana não é apenas um único universo, são incontáveis. A luz do amor pode transportar a sua mente para todos os lugares desconhecidos da sua criatividade. Utilize-a respeitando e descobrindo a si próprio ou a si própria. Agradecemos. As águas estão energizadas. Paz e Amor.