Encontro Semanal

Reconhecimentos espelhados

 

Paz e Amor.

Muitas vezes, utilizamos a metáfora dos espelhos, uma vez que o processo mnemônico replica informações tanto organicamente quanto na estrutura mental de Ídar. A consciência revela aspectos espectrais de grande importância, a partir dos processos já descritos, em parte, como sistemas de paridade. Mas, há mais ilusão do que realidade nas transformações entre signos e símbolos, cujos operadores sistêmicos realizam transformações, para que seja de fácil acesso mnemônico e de uso em todo o processo sistêmico, orgânico. Focamos agora redundâncias de informações que transitam em tempo de latência no organismo físico, mas assistido pelos comandos de memória transcritos em Ídar. O sistema precisa de velocidade, e o uso da dimensão idárica proporciona processamentos imediatos de memória. A memória latente transpõe os seus processos de significado engendrados na estrutura microcelular, de tal forma a estar ligado pelos fílens em vários aspectos do sistema de ressonâncias que selidem, tanto do meio ambiente, na interação, quanto nas convergências siloefléricas, isto é, na comunicabilidade com o ser silosciente. A produção da consciência se faz, portanto, por intermédio dos sistemas de espelho mnemônico, onde pode reaver grandes quantidades de memória intercaladas nas latências orgânicas físicas celulares, estando, portanto, à mercê dos circuitos criados inscientemente, subconscientemente e inconscientemente, a partir da interação necessária do funcionamento sincronizado entre a mente, o pensamento, as raízes do sentimento nas estruturas cerebrais do sistema límbico, e nas modulações de todas as células do organismo físico. Pois, há uma grande variedade de intercomunicações a partir das estruturas bioquímicas, em sintonia com os comandos inscientes siloefléricos das chamadas ressonâncias selidentes. Os espelhos de reconhecimento proporcionam redundância e ambiguidade para que a mente se auto-dialogue, trazendo impressões sensoriais e proprioceptivas, simultaneamente com associações diretas de memória. Esses aspectos são de extrema importância para o transcurso dialógico mental, pessoal de cada um, considerando-se as suas simbolizações, representações e sistemas de significado, auto-significação, e as associações bioquímicas correspondentes. Essas estão interligadas mais profundamente, pois, participaram de todo o processo filogenético, silogenético, endogenético, e transformações correspondentes entre a mente e todo o desenvolvimento orgânico.

Entretanto, interessa-nos, no momento, saber que esses aspectos dialógicos espelhados, ou seja, do organismo para a mente, da mente para o organismo, através de várias formas dos sistemas de paridade, permitem diálogos entre a mente consciente e estruturas generalizadas do organismo físico. Essas áreas de atuação mental, como já descrito em parte, precisam de treinamento. O treinamento, como já descrevemos, deve ocorrer de forma específica, uma vez que cada ser, apesar de toda a semelhança da estrutura orgânica, de uma forma geral, há grandes diferenças nos status conscienciais, pois cada história leva aos seus feedbacks próprios, o que de certa maneira, dificulta a identificação pelos sintomas do grupo. Cada um colherá suas respostas de acordo com os níveis e formas de suas convivências consigo próprios, e/ou consigo próprias. Evidentemente que, apesar de tais distinções, na essência, visa-se a comunicabilidade mental consciente, com as impressões, propriocepções e reações bioquímicas de toda a estrutura orgânica, inclusive geneticamente falando, isto é, é possível a influência e a transformação orgânica, a partir de mentalizações auto-orientadas, o que nominamos como icons. Qual a utilidade disso? Os icons são representações obedientes da estrutura orgânica aos signos conscientes e, por isso, podem levar a diversos propósitos de desenvolvimento consciencial. Dentre muitos aspectos, realçamos a melhoria do sistema de memória, uma redistribuição orgânica dos centros de energia, dando-se como respostas um crescimento no sistema imunológico, trazendo mais auto-reconhecimento. Mais ainda, equilíbrio e clareza mental. Uma vez que o diálogo estabeleça, possibilita interassociações de autocura. Interassociações são ligações de reconhecimento paritário, isto é, o organismo reconhece como mensagem para a estrutura biológica. E, desta forma, associações de símbolos, de gestos, de pensamentos, de palavras, de simbologias localizadas, como tocar em um determinado lugar possibilita desencadear mensagens específicas para o organismo. O organismo irá recebê-las com tendência a entendê-las como orgânicas, isto é, como mensagem dos centros neurológicos ou orgânicos.

O treinamento, portanto, deve seguir os caminhos indicados, em função de criar módulos de auto-reconhecimento, especificamente mais seguros, pois, a estrutura mental pode se iludir quando não se obtém respostas treinadas, e uma vez inseguro, seleciona como não paritário. E, assim, tende a não obedecer à sugestão enviada pela consciência. O treinamento deve criar uma relação de estabilidade entre as simbologias resolvidas pela consciência e a certeza demandada para assegurar diálogos mente-orgânicos. A concepção do processo orgânico, como já descrito de outras vezes, responde com alto grau de confiabilidade ao sentimento e às certezas relacionadas ao amor incondicional que passa a ser figurado como parte do processo que conduz confiabilidade entre a mente, a consciência e o reconhecimento orgânico. A estrutura é tão exata e fechada em sua lógica existencial que somente a confiabilidade pode garantir que o processo se transmita com segurança. Qualquer dúvida da consciência modifica o status quo do processo espelhado de auto-reconhecimento: o reconhecimento orgânico de paridade. A luz do amor é a essência da virtude, da saúde, do equilíbrio e do desenvolvimento natural e existencial consciencial. Paz e Amor. Paz e Amor.

Agradecimentos pelo retorno, e continuação.

NA: Expressamo-nos em gratidão para a continuidade dos nossos encontros. Paz e Amor.

…pedidos e atendimentos…

NA: Agradecemos a oportunidade. Assim seja, estaremos acompanhando.

NA: Cada consciência constrói para si as relações íntimas com a vida. Os seus significados conduzem para o corpo, para a mente, e para muito mais, para outras pessoas. Construa em seu coração referências para a sua mente e em sua mente, referências para o seu coração. O amor é uma luz no sentido de atrair o caminho, o caminho da consciência. Por isso, a consciência é algo que se diz incontestável para si próprio ou para si própria.

Agradecemos. Paz e Amor. Paz e Amor. Paz e Amor.