Encontro Semanal

A mente corporal e o corpo mental

Paz e Amor.

A luz do amor é a essência da mente que se projeta inscientemente para o corpo. A mente constrói o corpo e o corpo constrói a mente. Essa relação biunívoca traz diversos níveis de conflitos importantes, tanto para a sobrevivência quanto para a auto-descoberta, exigindo dos outros. O corpo é preparado paulatinamente para conduzir o desenvolvimento mental. E, desta forma, proporciona o seu próprio desenvolvimento. A mente confinada em um corpo não desenvolvido sem consciência e sem dimensão aprende com o desenvolvimento do corpo. A relação mente-corpo e corpo-mente tende, entretanto, na medida em que família e sociedade estabelecem parâmetros para as reações da consciência, a negar os passos da mente. E esta tendência faz criar ilusões na relação mente-corpo e corpo-mente. Em um determinado momento, a equivalência de um com o outro da relação mente-corpo de aprendiz e a relação de desenvolvimento corpo-mente começam a se separar. O corpo aprende mais do que a mente sobre o próprio corpo. E, desta forma, o distanciamento passa a ser representado pelos desvios do ego, cujas projeções corpóreas e mentais se dissociam. E, com isto, dos primeiros prejuízos para o ser insciente, é a confiança. O distanciamento do seu eixo consciencial, trazendo para as dimensões muitas perturbações, muitas divisões entre reconhecimento de si e as obrigações de ser quem se deve ser. Cada história é única. Cada experiência traz para seus parâmetros de desenvolvimento e de confiabilidade, diferentes níveis de reação, diferentes formas de ser e de estar consigo e com os outros. Outros prejuízos fazem levar a desconfiança também para os outros, criando isolamentos. O aprendizado também recebe suas consequências, mas ainda assim o maior prejuízo se localiza no distanciamento entre o que a mente considera em seu corpo, e o que o corpo consegue revelar para a mente. A mente, simbolizada por muitos eus, se estabelece mais em aprendizados fora do corpo. Mas, o corpo, fiel ao seu eixo, comunica-se com o eixo consciencial praticamente apenas em sua base. Em âmbitos inscientes, senscientes, inconscientes, e subconscientes, os processos de desenvolvimento, então, tentam a todo custo se manifestar de maneira a chamar a atenção, desde simples febres até processos mais complexos, exigindo o reconhecimento de si diante de sua base insciente do amor. É preciso reconhecer a si por meio do seu corpo. É preciso reconhecer as manifestações atiradas do corpo para o próprio corpo. E das profundezas da mente insciente que tenta se manifestar, trazendo as reações mais diversas, inscritas pelas combinações anteriores para que o ser possa se dirigir à sua essência de amor. Por isto, solicitamos que confie em sua essência, que confie em seu amor próprio, incondicionalmente. Que se levem, avaliando as reações do seu organismo, cuidando e amando. Paz e Amor. Paz e Amor. Ainda vamos dar continuidade aos exercícios anteriores, com uma pequena mudança nos exercícios propostos. Então, pedimos autorização para que venham nossos irmãos a continuar. Agradecemos. Eles poderão modificar as modulações da expressão vocal. Agradecemos.

OA: Paz e Amor. Vamos apenas dar continuidade ao que havia sido proposto, mesmo que não tenham praticado. Mas, esta fase poderá ser alternada com o que fora proposto antes. Pedimos desculpas para quem não compreender o processo e agradecemos. A parte mais específica do próximo exercício é que ele deve ser feito de olhos abertos. Muitas vezes, a experiência mental mais concentrada e mais profunda precisa eliminar o fator visual. Mas, neste caso, como já fora citado de outras vezes, é possível orientar a visão para uma área que vislumbre a expressão de Ídar. Lembrando que Ídar é uma dimensão confinada em uma ou duas das dimensões físicas, por questões das variações microgravitacionais já explicadas, em parte. Desta forma, vamos relembrar que quando falamos sobre Ídar, havia uma forma de vislumbrar os campos de Ídar visualmente, porque a atmosfera física se encarregava de agregar em torno das áreas confinadas, o que permitia perceber de forma altamente sutil essas áreas ditas como áreas físicas confinadas de Ídar. Então, vamos lembrar que solicitávamos que se fizesse com as mãos um triângulo e contra uma luz de penumbra, buscasse enxergar uma película de atmosfera. É preciso lembrar que os campos eletrofi, que são campos associados aos campos eletromagnéticos do corpo, eles se expressam para a parte interna e externa do organismo físico. Como são vibrações selidentes, nanogravitacionais, as expressões de fílens são projetadas a partir dos centros mitocondriais de cada célula. Isto quer dizer que são muitos bilhões de fílens em seu corpo. E eles contribuem para formar a sua mente. Com isto, como já dissemos, também Ídar, como dimensão, é utilizada pelo organismo físico-mental, como ambiente de armazenamento de memória de alta velocidade. E, por isso, esta projeção tem uma importância extremamente grande para a estrutura orgânica, estando relacionada aos centros de energias, os chamados chakras. É possível, fazendo este triângulo com as mãos, vislumbrar uma película bidimensional. A terceira dimensão não existe em Ídar. Ela está confinada por processos Éfler-materiais, relacionados a processos gravitacionais, como já exposto. Então, peço que façam esse triângulo com as mãos e, contralateralmente a uma fonte de luz, busque localizar dentro deste triângulo uma película expressa e visível, porque a atmosfera é atraída pelos campos eletromagnéticos e proporciona, portanto, que ela seja sutilmente visualizada. Então, procure olhar e enxergar essa película, por favor. Assim que visualizarem, digam, para que possamos prosseguir. Ponha a uma distância mais à frente. Agora, todas e todos já visualizaram? O exercício agora é: você abre este triângulo lentamente, tentando manter o campo que está focado, e veja a partir de que momento ele se dissipa. Podemos prosseguir?

O exercício consiste em fazer essa visualização: abrir e continuar visualizando, sem as mãos. Caso tenha facilidade, tente imaginar uma bola nas mãos, e solte e continue visualizando a bola. Vamos fazer um emparelhamento com os exercícios anteriores. Ao focar a tela que chamamos de tela de Ídar, estás olhando, em parte, para a dimensão de Ídar. Mas, ela exige mais concentração. E saibam, portanto, que estimulam as relações de confiança, porque estabelecem parâmetros visuais de auto-reconhecimento de paridade. E, ao treinar, poderão notar que as luzes de interação dos exercícios anteriores irão surgir com mais facilidade. Então, isto depende de treinamento. O tempo para fazer sugerimos que seja próximo de 5 minutos, no máximo, 10 minutos. E que pode ser feito quantas vezes quiser, com intervalos mínimos de duas horas. É um aprendizado mental. Estamos preparando para encontrar as manifestações autênticas das reações de paridade orgânicas corporais e mentais, para compor o processo de desenvolvimento do reconhecimento e construção de icons, para o desenvolvimento e construção da chamada meditação silosciente. Agradecemos. Paz e Amor. Alguma pergunta?

Grupo: Queria que repetisse a parte da bola.

OA: Dissemos que caso tenha facilidade de compor a tela de Ídar, uma tarefa ótima para prosseguir é buscar enxergar uma bola composta em suas mãos, e visualizá-la fisicamente. É um exercício mais avançado.

Grupo: Esses exercícios são os facilitadores da visualização das luzes mentais, anunciados anteriormente?

OA: Sim, são vários e vamos desenvolver.

Grupo: No do triângulo, enxergo halo de luz nas bordas, seria essa manifestação que você dizia?

OA: Este halo é uma visualização primária da chamada aura. Ele normalmente tem uma cor branca. E, caso queira se desenvolver, tente notar cores. Isto irá estimular os cornetos oculares que estão no fundo dos olhos, de maneira a trazer as impressões das vibrações de luz acima da luz visível. Entre elas, entre a faixa violeta e ultra-violeta. Isto é bem difícil para aquelas pessoas que não têm a tendência para isso.

Grupo: Os chakras são a concentração dessas luzes?

OA: Os chakras são centros de convergência de energia e de campos eletromagnéticos, eletrofis e de exalções em sintonia com radiações cósmicas, que captam parte do campo cósmico para nutrir a relação corpo insciente, do corpo e da mente. Os chakras criam ressonâncias de alta vibração, correspondente a vários níveis, os mais básicos, mais próximos das ressonâncias corporais, e, na medida em que se sobe para a cabeça, os diversos centros ampliam os seus campos de vibração e, por isso, expressam cores de acordo com o nível dessas vibrações, sendo o último, na altura da moleira, é chamado de coronário pelos indianos, mas temos outras designações, e expressam níveis bem mais elevados de radiação não ionizada. Isto é alimentação dos campos inscientes porque mantêm as vibrações de comunicação para a transdutorização de ressonâncias que selidem do ser chamado de siloeflérico, que seria o correspondente à sua alma fora da dimensão física, utilizando uma linguagem para atender a esse entendimento, e além disso, para sustentar os processos mnemônicos que transitam de Éfler para o organismo físico, no ser insciente duplinado. Isto é, “encarnado”. Agradecemos. Paz e Amor.

NA: Paz e Amor. Antes, gostaria de agradecer a acolhida e a nossa irmã, e à outra, seja bem-vinda. Agradecemos.

Atendimento.

NA: Ao continuar em sua existência, a cada dia, observe a si com amor, sinta as suas tendências, observando a sua essência. E dê crédito àquilo que sente, pois, o corpo forma a mente, encontrando-se com ela. E a mente, da mesma forma, se não encontrares com o seu corpo, estás perdendo oportunidade de se equilibrar. Ame-se. Paz e Amor. Paz e Amor. Agradecemos. Paz e Amor. As águas estão energizadas. Paz e Amor.