Encontro Semanalonline

A indivisibilidade das noções

Paz e Amor.

É frequente dividirem as noções como um todo. Dividir a noção é entendê-la por meio de processos díspares. É separar aquilo que encontra-se unido e extenso. Dividir as noções que tens de si, que tens da vida, é fazer desencontrar supostas partes, unindo-as às avessas. Separar aquilo que funciona como um todo faz permanecer-se na ignorância, porque aquilo que funciona na mente ou no corpo como um todo, não pode ser compreendido, separando-se por partes. Sempre haverá disparidades que alongarão o entendimento. As noções são intrinsecamente conjuntos de sistemas de sistemas. Isto é, matrizes de sistemas em equilíbrio que trazem para os processos específicos do corpo e da mente singularidades em suas arquiteturas funcionais. Quando falamos em células, não podemos compreendê-las separando apenas as suas partes, mas é preciso percebê-las em seu organismo e perceber que a célula não está só, ela interdepende dos fluxos existenciais que fazem a sua obediência, tanto as estruturas genéticas, quanto qualquer selidência enviada pelo ser que a mantém. O organismo como um todo não pode ser fragmentado porque uma mão sem o corpo não é mais uma mão. Mesmo que se busque compreender todos os diversos detalhes, tanto das estruturas microscópicas, celulares, e todos os seus rios de fluxos de sangue, de eletricidade, de fluidos e gases, ainda é preciso associá-la ao ser que a mantém. As divisões, portanto, das noções trazem insegurança às compreensões. É preciso, portanto, que se compreenda que não há divisões ou não é preciso haver divisões nas noções de qualquer questão. Mas, que se compreenda como um todo as relações daquilo que se conhece, tornando o organismo orgânico, o ser como ser, e que se identifiquem módulos maiores, e todas as suas intrincadas partes como unidades dos sistemas dos sistemas matriciais. Pois, não há ordem linear nem para o corpo, muito menos para a mente. Os sistemas são sistemas interativos, pois esta é a segunda maior habilidade do ser siloeflérico, que é você.  A sua consciência não emerge das partes, mesmo que haja estruturas específicas para interagir com o mundo externo ou interno. As noções precisam ser holísticas para que se entenda que sempre haverá módulos interdependentes que se estendem indefinidamente, pois cada organismo, cada ser interage com os “universos” internos, assim como com os universos externos. As interações não são apenas específicas. Elas são globais também, o que proporciona acessos múltiplos, inclusive, multidimensionais. O grande desenvolvimento orgânico não se pode traçar em uma linha, como se a vida e o ser em suas vontades e necessidades fossem ordenados como trens e os seus vagões a perpassarem pelos trilhos como um tempo linear e contínuo. É muito mais, pois a complexidade se arboriza, se trimultiplica, criando sistemas paralelos, contíguos, descontínuos, que formam redes de interação organismo-organismo; organismo-mente; mente-mente; mente-memória; memória-organismo, etc. Não é preciso debruçarem-se sobre tantas especificidades para agirem em seu interior, e construírem, revisarem, reencontrarem, reconstruírem a si próprios ou a si próprias. É possível encontrar a luz do seu ser em toda a sua complexidade, apenas auto-orientar-se para o seu todo ligando em sua natureza já constitutiva e constituída, trazendo-a à sua consciência. É possível orientar-se pelos eixos holísticos de suas noções, desde que essas não se subdividam em duzentas milhões de razões. O amor é uma essência que demonstra essa possibilidade, pois a sua atuação parte de um pressuposto de confiança. E apenas a fé movimenta toda a complexidade mente-corpo-sentimento e o amor incondicional. Não estamos falando de simplificação. Não estamos falando de simplismo, mas simplesmente de confiança. A complexidade, por si, aparece quando o novelo se puxa, pois agregado ao fio, virá todo o universo. Paz e Amor. Paz e Amor.

Iremos já acrescentar mais uma parte aos exercícios. Primeiramente, foi proposta a identificação subjetiva de três focos, de três momentos, de três níveis, de três alguma coisa em sua mente, três aspectos específicos já descritos. Não há tempo específico também para se fazer o exercício, pois depende do seu envolvimento, ou de suas possibilidades, especificamente, a importância que dá a si próprio ou a si própria. Em segunda instância, pede-se para que se aproxime do terceiro nível, numa tentativa de se identificar reações da natureza mental de cada um. Reações específicas e diversas que são de importância, pois fará parte do seu processo mental.

O terceiro, na terceira etapa deste mesmo processo, pede-se que se foque uma determinada fonte de luz mental, e esta é a argumentação presente. Devemos agora fazer algumas poucas exposições sobre algumas reações e características conhecidas por nós sobre a mente humana. Características essas que iremos nos aproximar, pois como toda característica de algo ou de alguém, elas existem como parte de habilidades ou de fontes reativas aos ambientes e ao próprio desenvolvimento de cada ser. Uma dessas características, que podem ser notadas, é mais ou menos como alguém que se conhece e se interessa em conhecer mais. Quanto mais tempo, mais intimidade se adquire. Este foco é o surgimento das luzes mentais de habilidade dialógica. Há muitos fluxos de interação. A mente humana possui milhares de formas de ressonância dos fílens orgânicos, criando em sua estrutura mental um ambiente especificamente proprioceptivo. Isto quer dizer que é possível ter consciência. A propriocepção, que é a habilidade de perceber, sob diversos aspectos, tanto sensoriais quanto virtualmente mentais – as chamadas luzes dialógicas são as tais iluminações fugidias que surgem em função de um conjunto de noções orgânicas que se expressam, dando, em conjunto e em equilíbrio com os centros de energia, respostas para o organismo e para o ser silosciente de seus estados geralmente holísticos da saúde existencial do ser. O ser, entendamos como a interação mente-corpo. É esta interação que produz a consciência. É esta interação que armazena a experiência em silos inscientes. Os silos inscientes são procesoss orgânico-mentais de ressonâncias, traçados na estrutura existencial física, na dimensão de Ídar. Assim sendo, tais luzes não significam nada até serem ressignificadas. Elas significam trânsitos de ressonâncias orgânicas baseadas nas necessidades complexas das interações orgânicas e mentais, para a sua sobrevivência. Inicialmente, solicitamos que observassem as sombras e as interferências. Portanto, prossigam com essa etapa e simultaneamente observem agora as seguintes questões: as luzes de interação são espontaneamente deslocadas do organismo para a mente e da mente para o organismo. É necessário que se entendam algumas considerações. Elas podem ser confundidas com estímulos externos. Por isso, as motivações propostas das interferências voluntárias. Essas luzes, elas sendo orginalmente as luzes de interação, elas promovem exatamente o que o nome diz: a interação entre o organismo e mente, entre mente e organismo. Elas já acontecem frequentemente a todo instante. E são desprezadas pela linguagem e pelo próprio corpo consciente. Por isso, não fazem parte da experiência cotidiana. Fazem parte de toda a estrutura subconsciente, inconsciente, insciente, formando a insciência e a insciência íntima. Essas luzes são de extrema importância para a saúde física e mental. O fato de conseguir visualizá-las, já irá modificar os padrões de interação mente e corpo. E, são essencialmente a base de compreensão prática dos icons. Essas luzes não são apenas fótons dos fílens. Elas são a ação vibratória complexa e interativa dos fílens. Os fílens, por sua vez, são a expressão direta do ser silosciente, que é quem gera a sua consciência. O que você sabe de si é uma sua ação do seu ser íntimo, silosciene, você. Ele encontra-se confinado, isto é, você está confinado em seu organismo. Mas, você tem trânsito livre pelo seu organismo. Há formas de se estender para fora do seu organismo a partir das camadas conhecidas do organismo físico, como perespírito, etc. Não utilizaremos tais expressões, pois elas já têm imbutidas as suas concepções, que limitam aquilo que podemos observar tão amplo e extenso dos seres humanos. Em outro momento, iremos fazer descrições apropriadas a respeito. Voltando às luzes de interação, elas têm uma característcia própria de pulsar. Pois, ela frequentemente é resultado de ressonâncias interativas. Isto é, campos eletrofi em interação, se agregam baseados em vários processos, como funções. Por exemplo, o sangue como líquido complexo que atende ao organismo físico, também atende à estrutura mental, e a intimadade entre o fluxo sanguíneo, com todas as suas características, resulta em expressões de fílens que estão em ressonância diferenciada em cada órgão, em cada parte do corpo, assim como desenhadas na memória em Ídar, de tal forma a satisfazerem as necessidades de suas interações. O fluxo sanguíneo libera pulsos de luzes para a mente, que podem ser percebidos com o treinamento e identificados. Assim sendo, podem ser utilizados no diálogo, por exemplo, com a sua imunidade. Podem ser usados para tirar dor. Podem ser usados para a excitação sexual. Podem ser utilizados para o desenvolvimetno de áreas perturbadas; podem ser utilizados para diversos fins. A utilização apropriada desses fluxos de luz de fílens, em ressonância, pode ser percebida, evocada pela mente, treinada e trazer para um gesto que, em resposta, recomporá as funções desejadas. Isto são os icons. Voltando novamente para as luzes de interação. Elas são pulsos circulares que podem começar de uma parte mínima e irem-se abrindo na mente. Ela se abre como uma flor, e deteriora como um gás. Ela vem se expressando e diluindo a sua ressonância, pois encontra o ambiente mental diferente do ambiente corporal. Encontra o ambiente físico da terceira dimensão com o ambiente bidiensional ou unidimensional de Ídar. Os fluxos das luzes podem ser observados como luzes que vêm e desaparecem. Desaparecem e vêm. Vão e voltam em fluxos variados, às vezes em pequenas luzes ou em flashes. Mas, quando se as observa, ela está interagindo com a sua consciência. Então, a priori, o primeiro contato consciente e autocontrolado deve ser: Paz e Amor. Paz e Amor. Paz e Amor. E este fluxo interage com seu organismo, equilibrando os centros de energia por si, trazendo os seus efeitos benéficos do amor, pois os fluxos são expressões do amor. Eles vêm como fluxos, eles vêm como pulsos. Eles podem ser lentos, podem ter cores, pois são níveis distintos de vibração. Eles podem ter vibrações muito lentas, abaixo das chamadas vibrações de ondas de rádio, aos níveis da vibração de sons, mas são ondas eletromagnéticas, eletrofis. São ondas não ionizadas. E podem ter vibrações muito rápidas, com fluxos e pulsares lentos, com vibrações da ordem de 1020, equiparando a vibrações das emissões gama. Mas, podem vir rapidamente ou como flashes de 1 em 1 segundo. Depende do organismo, o que ele está fazendo para sobreviver, para interagir. E você pode observá-los, apenas se aproximando do 3º nível, que é onde e quando e onde começam essas vibrações. A partir daí, podemos aprofundar com mais 5 ou 6 níveis. Mas, fiquem no terceiro. Apenas deixando que os fluxos venham. Eles vêm e se dissolvem, às vezes, fraco, às vezes, intenso, às vezes, avermelhados, às vezes, com algumas impressões orgânicas. É a luz mental do amor. Se imaginares alguém que precise, encontre esse fluxos e direcione-os para uma pessoa ou para si mesmo, pois eles irão agir inicialmente por conta própria, pois não tens ainda treino para lidar com esses fluxos. Agradecemos. Paz e Amor. Paz e Amor.

Grupo: Agradecimento.

NA: Agradecemos as presenças de todos.

Grupo.: Atendimentos gerais.

N.A.: Encontram-se em suas noções toda a experiência que vens vivendo. Encontram-se em seus organismos as propostas que trouxeram para enfrentarem na vida. Sejam leves o quanto puderem ser consigo e com os outros. Sejam independentes em seus sentimentos, deixem-os fluir, por mais contraditórios que possam estar sendo. Ame-os, ame a si, ame a vida. Encontre-se com as suas primeiras luzes, com seus primeiros gestos, com suas primeiras noções, com as suas primeiras respostas, com os seus primeiros amores. Olhem para si com leveza, com cuidado, respeitem os seus erros, não castiguem a si mesmas. Aceitem-se como são. A vida está para as suas noções, assim como o seu coração para a sua mente. Amem-se. Paz e Amor. Paz e Amor. Agradecemos. As águas estão energizadas com luzes ultravioletas dos nossos amigos visitantes. Agradecemos. Paz e Amor.