Encontro Semanal

Os fluxos mentais

 

Paz e Amor.

Solicitamos a permissão para a participação de seres visitantes. Paz e Amor.

A mente humana é fluxo. Muitos tipos de fluxos. Pelo menos duas dezenas de tipos de fluxos estão presentes no cotidiano da experiência humana. Cada tipo de fluxo relaciona-se a processos mentais de interação e construção da relação entre mente-corpo e mente-consciência. Iremos abordar vários desses fluxos. Neste encontro, vamos falar de duas espécies de fluxo, mais presentes no cotidiano, mais identificável. Entretanto, assim mesmo, mais importantes. Os fluxos mentais que iremos abordar referem-se a características já dissertadas, relacionando os fílens, os campos fi, eletro-fi e eletromagnéticos. Os fluxos fi, como já elaborado em outros momentos, são manifestações de variação gravitacional, de ordem microatômica. Os campos eletrofi são variações de campos fi interativamente com os campos eletromagnéticos, e os campos eletromagnéticos são resultantes da estrutura material física. A mente manifesta-se nestes três níveis. Assim, vamos falar apenas de dois tipos de fluxo. Cada um dos dois fluxos se subdividem em outros dois, formando dois pares de tipos de fluxo. O primeiro chama-se fluxo Somos. O segundo, fluxo Mnomos. O pensamento ordinário, isto é, este pensamento associado à linguagem, que você tem em sua mente constantemente, é um fluxo Somos associativo. Quer dizer que se utiliza da estrutura fisiológica para se formar. É a estrutura linguística funciona como processo de interação mente-corpo. Os fluxos Somos são predominantemente a ordem comum da mente da maioria dos seres humanos “encarnados”. Exemplo de um fluxo Somos em sua atividade interativa, entre os seres humanos – a conversa, o diálogo, o pensamento ordinário. Outro exemplo, a transmissão mental da simpatia. Os processos mentais são fluxos que se transmitem através de processos de interação. Como a mente se encontra em Ídar, parte desse processo não acontece interativamente nos horizontes do corpo físico. E esses requerem processos diferentes da demanda dos fluxos mentais. São chamados de Fluxos Mnomos. Relacionam-se à memória, ao mesmo tempo, às ressonâncias selidentes do eixo consciencial, promovendo, através das interações eletrofis e os campos eletromagnéticos. É o caso quando os seres estão fora da estrutura corporal física. As duas formas de fluxos mentais estão presentes cotidianamente nos seres que estão vivendo em um corpo físico, como vocês. Os senhores e senhoras, ou os seres que estão presentes, mas não estão em corpo físico, não conseguem criar campos eletrofis interativos com a estrutura física, sem se utilizarem de recursos a partir dos seres já existentes. E, por isso, sua intercambiedade acontece baseada em fluxos Mnomos. É importante se diferenciar as duas formas, pois os seres que se encontram em corpo físico se utilizam dos dois processos mentais. Os fluxos mentais são o que você percebe como pensamento. O que você percebe como consciência, com movimento do seu corpo. A partir dos fluxos mentais é que se pode criar os chamados icons, que são pensamentos, mentalizações associadas ao corpo. Assim sendo, os fluxos Somos podem ser associados ao corpo. Mas, também podem ser simbolicamente criados, e assim, se tornam dissociados. Então, temos fluxos Somos associativos e dissociativos. Ambos relacionam-se ao corpo, mas a interação bio-químico-genético-celular, a partir dos campos eletrofis (?). Os fluxos Mnomos também se subdividem em associativos e dissociativos. Associativos, quando conseguem interagir com campos eletromagnéticos. É o caso da interatividade entre os seres “espirituais” e os seres que se encontram corporificados. Os dissociados são os fluxos Mnomos, apenas simbolizados a partir de Ídar, e a manipulação inteligente dos campos fi e eletrofi. Portanto, sem a estrutura física corporal biogenética. Paz e Amor. Agradecemos.

Grupo: Luz para xxx

NA: Asim seja, já encontra amparada pelos irmãos.

Grupo: Voltando aos fluxos mentais. O primeiro é ligado à linguagem, e ao corpo.

Quem está desencarnado não pensa com palavras?

NA: Pensa. Entretanto, se se utiliza de um outro ser como você, irá se aproveitar do seu campo eletrofi para tal. E por isso mesmo, os seres humanos que estão com a consciência em corpo físico são frequentemente acompanhados de suas companhias frequentes, que interagem com o seu subconsciente, ou até com a sua própria consciência, se utilizando de matéria física que está em torno dos seres físicos, na concepção biológica de ser vivo, da ciência humana. Assim sendo, poderá se utilizar de fluxos Somos. Caso contrário, sem os campos eletrofis, ele se encontra a esmo, ou aglutinados em grupos por afinidades diversas, criando e recriando seus próprios campos eletrofis. E, desta forma, também podem utilizar-se do pensamento fluxosomático. Entretanto, se não conseguem o acesso eletrofi, não conseguirão interagir com campos eletromagnéticos. Precisarão de ajuda externa, ou por meio de outros seres, sem corpo físico, ou de seres vivos. Muitas vezes, qualquer ser vivo ou grupos de seres vivos podem servir para tal propósito, o que é muito frequente, por exemplo, a utilização de animais e certos micro organismos, etc., dando-lhes a possibilidade de se movimentarem e interagirem com os seres humanos, em corpo, corporificados.

Grupo: Maioria do meus pensamentos então não são meus?

NA: A maioria dos pensamentos partem da sua consciência. Dependendo de como se relaciona consigo próprio pode estar aberto a fluxos Somos de outros seres. Portanto, depende se você deixar a porta da sua casa aberta.

Grupo: Como se deixa a porta aberta?

NA: Descrendo de si mesma, desinteressando de si mesma e dos outros. Banalizando-se. Entregando-se a questões negativas, auto-destrutivas, estará disponibilizando seus campos mentais para outros quaisquer.

Grupo: Pessoas muito negativas estão muito abertas?

NA: Abertura não é fragilidade. Elas estão frágeis, elas estão sem controle de si próprias. Não possuem habilidades de auto-referência consciencial. E se tornam alvo de “invasores espirituais”.

Grupo: esses invasores são seres também com pouca evolução espiritual. Por que estariam invadindo? Há boas intenções em quem invade?

NA: Se alguém invadir a sua casa, você acha que terá boas intenções?

 

Grupo: mas os espíritos com boas ou más intenções têm a necessidade primordial de estar em contato com os seres humanos encarnados?

NA: Peço que troque a pergunta trocando espíritos por seres encarnados e você mesmo responde. Os seres humanos têm boas intenções. Os seres humanos em sua estrutura social, política, econômica, praticam boas intenções? É isso que você enxerga em seu cotidiano?

Grupo: Tem boa e má intenção.

NA: Conte com as boas intenções, mas não se iluda. Não é uma visão negativa, muito menos realista, mas é tão subjetiva que depende da experiência de cada um, e não podemos intitulá-las, como uma fotografia. Mas, pode se ver pela resultante do todo e de tudo que acontece. Certamente, se procurares pelas virtudes e suas fontes virtuosas, que, como dissemos, estão disponíveis para quem quiser encontrar, mas o que buscam os seres em sua massa comportamental? Buscam reagir ao domínio dos mais fortes. Buscam os mais fortes equilibrar-se com os mais fracos?

Grupo: Geralmente não.

NA: Ao se pensar sobre os “espíritos”, por ora, neste diálogo, utilizamo-nos de uma nomenclatura espírita, mas para facilitar o diálogo. Então, os seres em espírito são exatamente iguais em sua índole e em suas ações aos seres encarnados, pois são os próprios. Não há diferença de comportamento entre os seres encarnados e os seres desencarnados. Ficou clara essa parte? Não se pensa em espírito diferente dos seres humanos que você conhece. Se você conhece boas pessoas, provavelmente está cercado em espírito de bons seres, no sentido do equilíbrio emocional, tanto dos seres encarnados, quanto dos seres desncarnados.

Grupo: Eu aprendi que eu estou nessa vida para evoluir como ser humano. No momento da minha morte, estarei em outro plano, pelo que entendi, como é o processo de reencarnação? Como retomam para este plano com outro carma ou alma, não sei definir?

NA: Vamos responder de forma limitada, pois pode dar a vocês a impressão ou o entendimento na forma espírita de pensar, pois somos bem diferentes. Então, não podemos sequenciar o processo, como se sequencia, porque podemos dizer que alguns seres encarnados têm menos atividade do que alguns seres na forma espiritual. Assim sendo, é possível e muito comum que uma parte da humanidade encontra-se alienada e submissa, em termos de sua consciência, a outros seres encarnados e/ou desencarnados. Então, o processo, como entendemos, não se subdivide entre seres que você pode ver e seres que você não pode ver. A evolução, ou melhor, o desenvolvimento – porque a evolução em si pressupõe determinado modelo e não há modelo a não ser genericamente para as estruturas existenciais dos seres. Chamamos de seres vivos, inclusive seres que nem células ou estrutura física possuem, como é o nosso caso. Então, a vida, entendida pela ciência humana, não inclui os seres espirituais. A ciência humana inclusive desconhece em termos de comprovação científica o que é, propriamente dita, a mente. E, assim sendo, conceitua, baseado em sua complexidade biogenética, bioatômica, etc. Há de se convir que, em tese, já estamos divergindo imensamente, só de estarmos aqui, de todas essas conceituações da ciência humana. Mas, não iremos confrontá-la, porque não há necessidade. Então, o entendimento que estamos transmitindo, lhes sirvam apenas como uma reflexão acerca de si próprios. As questões relacionadas ao desenvolvimento – e não à evolução – de nossa parte, abordamos com base na referência do reconhecimento que o ser eflérico que se encontra em estado de ressonância com o que você acha que é a sua própria consciência, tal a complexidade dessa ligação entre o ser eflérico que se projeta do que chamamos de sua sirga adal, de sua profundidade eflérica, e do seu esforço próprio de manter-se em ressonância, emitindo a sua presença em sua consciência. Isto quer dizer que você, a sua consciência, é resultado da comunicação do seu ser que é você em um estado específico, fora da dimensão física. Chamamos este de ser silosciente, porque armazena em seu ser a sua consciência. Silosciente, e traz para o seu corpo, para o seu ser, também fora de um corpo, pela via de Ídar. Ídar possibilita a ressonância silociente que selide de Éfler, criando o que chamamos de eixo consciencial. Esse eixo consciencial fora do corpo físico irá se desenvolver no sentido de conseguir dominar a si próprio. Mas, poderá demorar uma eternidade sem um corpo físico. A necessidade de uma estrutura orgânica se faz pelo engajamento temporal, pela ação do tempo na psique. A psiquê é a alma, é o ser eflérico compactado, preso ao corpo, submisso ao que ele próprio cria em sua consciência, fazendo-se desenvolver, não evoluir. Desenvolver quer dizer aderir-se em si próprio, reconhecer a si próprio. Só poderá reconhecer a si, se reconhecer aos outros. É praticamente impossível um ser se desenvolver sem reconhecer a si, ao mesmo tempo, sem recohecer aos outros. É preciso reconhecer a si por intermédio dos outros. Assim vem através da sua mãe. Fora deste corpo, a sua ação encontra-se limitada aos aspectos de seu próprio desenvolvimento. Os seres mais desenvolvidos são aqueles que dominam a si próprios e aos outros. Quanto mais dominar a si, mais irá interagir com os outros. Mas, ao interagir com os outros, reconhecendo e respeitando, irá conhecer a si próprio. Assim, para concluir, elaboramos, sob o ponto de vista não de uma evolução do ser, mas do seu desenvolvimento, em diversos estágios que se alternam ou que se somam, pois é possível se desenvolver ao mesmo tempo no corpo quanto fora do corpo. Paz e Amor.

Grupo: Agradeço e queria perguntar. E o que acontece com as pessoas que tiram sua própria vida?

NA: Merece um encontro específico, dada a complexidade. Mas, o que acontece com você quando apenas corta a mão?

NA: Sente dor, prejudica para o resto da vida. Assim também acontece com as pessoas que tiram suas vidas. Irão precisar de muita ajuda e compreensão, muitas vezes não encontram, porque do lado de lá, entre aspas, estarão os mesmos tipos de seres humanos que estão do lado de cá. Ou seja, podem encontrar ajuda, ou não.

Grupo: Como é aqui, é lá, pelo que estou entendendo.

NA: Só que diferente

Grupo: E se você consegue se dominar, fechar essa porta, se apropriar da sua mente ao máximo, aí você pode criar uma realidade para você: a partir da primeira luz, da boa frequência, e trabalhar em outros planos.

NA: Isso mesmo

Grupo: Como a confiança pode ajudar a neutralizar as interferências que venham a acontecer? Bloquear as indesejáveis.

NA: Através do amor. Confie em si e em seu amor. Irá anular e afastar como se fosse um inseticida. O amor já faz isso em seu sistema imunológico, protegendo você de grande parte das influências deletérias. Não fosse assim, não seria possível sobreviver. Mas, cada um é um. Não se pode generalizar porque cada experiência soma-se em seu conjunto de características que se somam, se subtraem, se dividem, se multiplicam, formando a sua personalidade, os seus problemas, as suas virtudes, etc. Paz e Amor.

Grupo: É possível não voltar? Não encarnar outra vez?

NA: Sim

Grupo: É opção sua?

NA: Sim. Poderá ficar para sempre.

Grupo: Pode continuar evoluindo lá?

NA: Lá é mais difícil. Aqui é mais fácil. Quanto mais desenvolvido lá, mais fácil, lá. Quanto mais desenvolvido aqui, mais fácil aqui. Resumindo, desenvolva-se.

Grupo: Se for em outro planeta?

NA: Pode ser assim. Planetas não faltam. Existem bilhões.

Grupo: Você já falou que somos privilegiados na Terra. Oferece mais possibilidades para que se desenvolva?

NA: Não é o melhor planeta para que se desenvolva.

Grupo: Dá para ter o roteiro dos planetas?

NA: Planeta tour. Mas, o que é possível é o que você está vivendo.

Grupo: Se você desencarnou, é possível escolher ir para outro planeta? Ou depende de certo estágio de evolução?

NA: Bom, veja bem, você tem dois caminhos, encontra-se na encruzilhada, e há uma placa com seta para a direita: Paraíso. Se você chegar lá, estará no paraíso. Na outra diz, vida normal. Qual você vai escolher?

Grupo: Paraíso.

NA: Muito bem. Quando chegar no Paraíso, terá que se adequar às regras do Paraíso. Quais seriam as regras do Paraíso? Primeiramente, não ter corpo. Não possuir identidade. Não olhar para si. Talvez seja melhor ir para a vida normal para aprender as coisas do Paraíso.

Grupo: Então significa maior desenvolvimento?

NA: Evolução pressupõe modelo…Desenvolvimento é subjetivo, depende de si próprio em relação a si mesmo. Não é possível idealizar o Paraíso, então é melhor, a não ser que já seja o que concebe os seres humanos como uma deusa, com as habilidades necessárias de fé e de auto-controle. Se não, estará em um ambiente em que todos irão parar tudo para apenas olhar você. Como irá se sentir? É sempre importante perceber que na medida em que se busca o lugar perfeito é porque se considera também perfeita. Não há perfeição na experiência humana. Há apenas as possibilidades de se buscar alguma perfeição. Isto é especificamente pontual àquilo que você conseguir ser melhor, dia após dia, irá se tornando gradativamente menos imperfeita. Se crer em si mesma, irá potencializar a relação que tens consigo própria, assim como com os outros. Pois, se pensares em si mesma sem pensar nos outros, irá achar que o universo circunda você apenas. E poderá ficar só e isolada da sua própria realidade. É necessário interagir por meio do amor incondicional, que é a forma mais equilibrada, que possibilita o desenvolvimento da melhor forma para encontrar a si de forma ampla, livre e possível. Assim como aos outros, respeitando, e no mínimo, compreendendo que as dificuldades de cada um também são suas, mesmo aquele ser mais distante em relação ao planeta, estão tão próximos quanto um átomo do seu corpo e uma célula do seu corpo, que lhe dá acesso à consciência, quanto a célula vizinha que transmite para si a sua própria noção. O ser individualizado precisa perceber-se nos outros seres em sua volta, para que possa interagir e distribuir o seu amor, multiplicando. Não é fácil, porque a experiência humana ainda se baseia na dor. Mas é possível transformar a dor em amor. Agradecemos.

 

Seguindo pelas estradas das transformações mentais, então, os fluxos, que é o seu pensamento pensando, o seu corpo reagindo quimicamente aos alimentos, aos alimentos que se digerem e aos alimentos que vêm da mente, é possível transformá-los, recaptulando-os, confiando em si, encontrando a si naqueles que podem repercutir o que de bom tens para oferecer, interagindo com o que de bom têm os outros para lhe oferecer. As fontes do amor são fontes virtuosas, que podem fazer qualquer ser encontrar a si e se desenvolver. Não há facilidade para aqueles que determinam a si, pelo seu próprio esforço, realizar as suas tarefas cotidianas. Aquele que busca burlar, impedir, forjar, invadir, impor, etc., em algum momento irá perceber, seja este momento em vida física, ou em vida da alma fora do corpo, pois a sua existência não cessa. E sempre estará como aqui e agora, diante de si próprio. Aceite-se, ame-se, descubra-se, potencialize-se, treine-se, amplie-se, ame-se, ame aos outros, encontre as suas fontes de virtude. A mais fácil, que está dentro de você, chama-se amor. Utilize-a sem medo. Paz e Amor. Paz e Amor. Paz e Amor. Agradecemos. As águas estão energizadas com a presença de nossos irmãos siderais que tornaram a água com um toque violeta, que significa uma irradiação de amor. Paz e Amor. Paz e Amor.